Edição digital
Assine já
PUB
Tecnologia

“A atual recuperação do setor será mais digital, muito mais sustentável e a adoção da tecnologia será fundamental”

Num momento em que as empresas recuperam, a facilitação de processos e a criação de melhores experiências, tornam-se imprescindíveis. João Carvalho, Head of SAP Concur | Southern Europe and Francophone Africa, falou com o Publituris e deu a conhecer as mais-valias da nova solução SAP.

Victor Jorge
Tecnologia

“A atual recuperação do setor será mais digital, muito mais sustentável e a adoção da tecnologia será fundamental”

Num momento em que as empresas recuperam, a facilitação de processos e a criação de melhores experiências, tornam-se imprescindíveis. João Carvalho, Head of SAP Concur | Southern Europe and Francophone Africa, falou com o Publituris e deu a conhecer as mais-valias da nova solução SAP.

Victor Jorge
Sobre o autor
Victor Jorge
Artigos relacionados
MSC Cruzeiros vai ter 19 cruzeiros com partida e chegada ao Funchal no inverno 2024-2025
Transportes
Portugal entre os destinos com melhor performance em 2023, dizem dados da UN Tourism
Destinos
GoldenPark: A Nova Casa de Apostas em Portugal
Sabia que a Betclic Também Tem Jogos de Casino
Conheça a Secção de Desporto da Betclic
Porto e Norte de Portugal vai ter maior participação de sempre na BTL
Destinos
Algarve leva experiência imersiva pela região à BTL
Destinos
Booking.com e TAP com melhor reputação em 2024
Turismo
França marca presença sem precedente na BTL com a sua delegação “French Travel Tech”
Praia da Falésia ganha prémio “Travellers’ Choice” do Tripadvisor como “Melhor praia do Mundo”
Destinos

Muitas empresas utilizam soluções digitais para simplificarem a reserva de viagens, outras utilizam software de gestão de despesas para ajudarem os colaboradores a simplificarem o processo de envio de despesas e aceleração de reembolsos. No entanto, para criarem experiências excecionais de colaborador e, ao mesmo tempo, controlarem os custos, as empresas têm de encontrar formas de integrarem as suas abordagens à gestão de viagens e despesas (T&E) numa única estratégia coesa.

Por isso, João Carvalho, Head of SAP Concur | Southern Europe and Francophone Africa, salienta que “as empresas estão cada vez mais interessadas em soluções que ajudem os gestores de viagens e os responsáveis de Recursos Humanos a avaliar e gerir o risco das viagens”, sendo essencial “facilitar e desburocratizar cada vez mais os processos empresariais, tendo em conta o impacto ambiental das deslocações”.

A SAP apresentou, recentemente, a solução SAP Concur. No que consiste esta solução e que mais-valia traz ao setor do turismo e respetivos atores?
A SAP Concur é uma solução que pode definir-se como uma solução integral de gestão de viagens de empresa e de reembolso de despesas do colaborador. Graças a esta solução, um processo que, tipicamente, sempre foi manual passa agora a ser digital e possível de o fazer numa única plataforma e que está nas mãos do colaborador, que gere e/ou realiza essa deslocação e que com isso acaba por gerar despesas para liquidar.

Neste momento, o setor do turismo de negócios está a viver uma recuperação relevante e tanto as empresas como os seus colaboradores requerem cada vez mais soluções digitais de fácil utilização para realizar a gestão completa das suas deslocações profissionais da mesma forma que o fazem nas suas deslocações de âmbito pessoal. Na situação atual, onde ainda existem restrições e as empresas, em geral, estão a repensar todo o programa de viagens, contar com uma solução deste estilo gera por sua vez um sentimento de confiança no colaborador e, ao mesmo tempo, de controlo, na organização, facilitando assim o regresso das viagens corporativas gerando desta forma um impacto positivo no setor turístico.

Trata-se de uma solução end-to-end que dizem diferenciar-se da concorrência em Portugal. Em que aspetos?
Quando nos referimos ao processo end–to–end falamos da conjugação, numa única aplicação, dos processos de viagens e de despesas. Ou seja, o colaborador pode fazer diretamente, na aplicação, todo o processo de aprovação e reserva online, em tempo real, dos diversos serviços que vai precisar para a sua viagem (aéreo, hotel, rent-a-car, etc…). À posteriori, e na mesma app, fará o upload dos recibos referentes às despesas associadas a essa viagem ou deslocação. Após esta fase, os documentos estarão sujeitos ao processo de aprovação que a empresa tenha pré-definido, seguindo depois para a área financeira de forma a ser realizado o reembolso correspondente ao colaborador. A nível organizacional, estes dois processos sempre ocorreram de forma separada – as viagens acabavam por ser geridas por uma equipa e as despesas, que acabam por ser o impacto desta ação, por outros elementos da empresa (obviamente que cada empresa tem a sua organização interna).

Esta solução permite juntar estes dois “mundos” tornando-se num processo único, end-to-end, para o colaborador. Assim, a SAP Concur permite uma gestão integral e digital de todo o processo.

Em relação ao mercado português temos vindo a constatar que os processos são ainda muito manuais, baseados em papel e em aprovações (via email) e que existem ainda organizações onde é requerida, por exemplo, uma assinatura manual das chefias. Sentimos, por isso, que havia uma janela de oportunidade para melhoria de todo este processo. Melhoria esta que tem vindo a ser pedida pelos próprios colaboradores, uma vez que facilita não só a sua vida como a do back office.

O setor do turismo de negócios está a viver uma recuperação relevante e tanto as empresas como os seus colaboradores requerem cada vez mais soluções digitais de fácil utilização

 

Futuro (obrigatoriamente) digital
A tecnologia ou digitalização entraram, definitivamente, no léxico do setor do turismo. Que maiores dificuldades ou desafios são colocados na explicação da necessidade dos players do turismo enveredarem por este tipo de soluções?
No que se refere ao turismo de negócios, o impacto da tecnologia segue o mesmo caminho que o turismo de lazer. Neste sentido a adoção de ferramentas tecnológicas para otimizar a relação entre o viajante e a empresa fornecedora do serviço (seja a agência de viagens ou outros) é, claramente, uma prioridade e uma linha de ação chave para a otimização dos processos internos. Muitos dos processos de back office de gestão dos fornecedores são ainda bastante manuais e, sem dúvida alguma que uma parte desses serviços deverá ser otimizada recorrendo, naturalmente, à tecnologia.

A atual recuperação do setor será mais digital e, sem dúvida, muito mais sustentável, e a adoção da tecnologia será fundamental.

A par da solução há a fase técnica e de formação. Como é que se processa esta questão. Dão formação aos vossos clientes? Como e em que base? É uma formação contínua?
A formação é parte intrínseca do processo de implementação das nossas soluções. Esta formação pode ser realizada com foco no “Train the trainer” ou diretamente ao utilizador final. Os nossos parceiros de implementação definem com o cliente que tipo de formação é requerida de forma a garantir a correta adoção da ferramenta. Ao longo da vida de utilização das soluções, por parte dos clientes, a SAP Concur comunica de forma regular as inovações que as soluções vão sofrendo de forma a maximizar a utilização por parte dos clientes.

De salientar que se trata de uma solução intuitiva e de fácil utilização. A aplicação móvel SAP Concur está disponível para iOS e Android e é uma das poucas aplicações corporativas com níveis de aceitação semelhantes ao consumo de massa como WhatsApp ou Spotify.

Quais são os maiores entraves ao processo de digitalização das empresas no e do setor do turismo?
No caso das soluções da SAP Concur, o processo de digitalização, que é o que nos permite entrar em contacto direto com as empresas do setor turismo, assenta na distribuição, emissão e faturação dos serviços. Por vezes, o que acontece é depararmo-nos com algumas dificuldades nos processos de integração com as soluções das próprias empresas turísticas. Muitas dessas empresas utilizam sistemas desenvolvidos taylor made e que vão requerer integração com outras ferramentas que existem no mercado, como é caso da SAP Concur. Estas situações têm impacto na velocidade na qual se pode ativar o serviço, aportando algum esforço adicional.

Por outro lado, é certo que cada vez mais as empresas estão a adotar soluções tecnológicas mais modernas, tipicamente em cloud, o que permitirá, no futuro, uma maior agilidade e capacidade de adaptação e resposta às necessidades do mercado corporativo que são, sem quaisquer dúvidas, cada vez mais digitais.

Concur X2
Dividem as soluções Concur em “Travel” e “Expense”. O que caracteriza estas sub-soluções?
Ainda que se tratem de uma única plataforma, as soluções específicas da SAP Concur podem de facto ser ativadas e consumidas de forma autónoma. As nossas soluções podem dividir-se em dois grandes grupos: Concur Travel e Concur Expense.

A primeira refere-se a todo processo de reserva, aprovação e emissão online de bilhetes dos diferentes serviços requeridos pelo colaborador e que cumprem com a política da empresa. Trata-se de um motor de busca muito similar ao de um de viagens comumente usado pelo grande público, mas com uma grande diferença, garante que as opções oferecidas pela solução, ao colaborador, são aquelas definidas pela empresa de acordo com a sua política de viagens.

Já a “Concur Expense”, refere-se a todos os processos relacionados com a gestão de despesas desde a captura digital (fotografia) dos recibos em papel; o processo de aprovação dos mesmos; os centros de custo aos quais serão imputados; as ajudas de custo; adiantamentos e, ainda, aos processos de auditoria interna e integração com os movimentos dos cartões de crédito. Todos estes processos são suportados pela solução de Expense em conjunto com a solução de Travel.

Estas soluções ou sub-soluções destinam-se a que setores de atividade dentro do universo do turismo?
As soluções de Travel têm uma integração direta com a Agência de Viagens que, por sua vez, presta um serviço ao cliente final. Na prática, a maior parte dos conteúdos / inventariado chega, à Concur Travel, através da agência que está conectada ao Global Distribution System (GDS), sendo assim possível analisar todo o inventário existente.

Também existem outras integrações, com o mundo hoteleiro, que dão a possibilidade de utilizar os serviços diretos de plataformas ou agregadores como booking.com ou HRS. Diria, então, que os principais conteúdos consumidos pelo Concur Travel são o aéreo, os hotéis e os rent-a-car, tornando-se assim um canal digital para o mundo corporativo e para qualquer empresa que atue nestes setores.

No mercado português temos vindo a constatar que os processos são ainda muito manuais, baseados em papel, em aprovações (via email) ou uma assinatura manual das chefias


Como integrar as soluções nas atuais estruturas e de que forma facilitam o dia-a-dia das mesmas?

Um dos principais pontos de integração é, sem dúvida, o Global Distribution System (GDS) que acaba por alimentar todo o setor de distribuição de viagens (agências de viagens). As que prestam serviço, ao segmento corporativo, estão cada vez mais integradas com o Concur e com os modelos de booking online. À medida que este modelo vai sendo adotado pelas empresas, as próprias agências de viagens também farão as restantes otimizações nas integrações necessárias para assim poder captar os benefícios e eficiências organizacionais gerados pelo volume de bookings online.

Que integração existe com as restantes soluções SAP?
Todo o processo de viagens e despesas termina como um input na contabilidade da empresa e, por isso, contamos com uma integração nativa com os módulos financeiros de SAP ERP, o que permite uma contabilização sem esforço e uma comunicação bidirecional entre ambos sistemas. Também de referir que a estrutura organizativa, a nível de recursos humanos, que está suportado no SAP ERP também está integrada nativamente com SAP Concur facilitando, assim, a atualização dos perfis dos colaboradores de uma forma otimizada. Existem outras integrações disponíveis, como por exemplo, com a plataforma analítica da SAP.

De referir que, a Concur, foi adquirida pela SAP, em 2014, e por isso contamos, no nosso portfólio, com um set importante de integrações com outros sistemas financeiros, RH e CRM de mercado.

Que outras soluções poderão ou deverão ser tidas em conta pelo universo do turismo (de forma geral), de modo a melhorar a gestão e eficiência do negócio?
O portfólio da SAP é bastante amplo e, de forma geral, as empresas do universo do turismo podem adotar essas soluções, quer no âmbito da eficiência interna quer na gestão dos seus clientes ou fornecedores. A digitalização e a melhoria de eficiência do setor do turismo é relevante e equivalente a outros setores de atividade.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Artigos relacionados
MSC Cruzeiros vai ter 19 cruzeiros com partida e chegada ao Funchal no inverno 2024-2025
Transportes
Portugal entre os destinos com melhor performance em 2023, dizem dados da UN Tourism
Destinos
GoldenPark: A Nova Casa de Apostas em Portugal
Sabia que a Betclic Também Tem Jogos de Casino
Conheça a Secção de Desporto da Betclic
Porto e Norte de Portugal vai ter maior participação de sempre na BTL
Destinos
Algarve leva experiência imersiva pela região à BTL
Destinos
Booking.com e TAP com melhor reputação em 2024
Turismo
França marca presença sem precedente na BTL com a sua delegação “French Travel Tech”
Praia da Falésia ganha prémio “Travellers’ Choice” do Tripadvisor como “Melhor praia do Mundo”
Destinos
PUB
Aviação

NDC da Travelport+ distribui conteúdos e serviços da Iberia

Os conteúdos e serviços da Iberia passam a estar disponíveis através da norma NDC aos agentes Travelport+.

Publituris

A Iberia e a Travelport passam a oferecer conteúdos e serviços NDC (New Distribution Capability) na plataforma Travelport+. Os agentes que utilizam a Travelport+ poderão visualizar e comparar as tarifas NDC da Iberia e os serviços auxiliares num único local, facilitando a identificação e a reserva das melhores opções para os seus viajantes.

Para Celia Muñoz Espín, diretora de Estratégia Comercial e Distribuição da Iberia, “a adição da Travelport ao NDC é um marco fundamental na profunda transformação que está a ocorrer na nossa indústria. Com esta aliança, oferecemos uma gama mais alargada de opções às agências de viagens que utilizam o Travelport+ e, ao mesmo tempo, os clientes beneficiarão de um maior número de alternativas e de uma experiência melhorada”.

Sobre a Travelport, a diretora da Iberia frisa que se trata de um fornecedor de tecnologia “bem conhecido no setor das viagens que está a evoluir para o futuro do marketing”. Por isso, considera que, para a Iberia, “é importante estabelecer parcerias com fornecedores de tecnologia com uma vasta experiência e que possam satisfazer as nossas exigências de inovação centrada no cliente”.

Já Jason Clarke, Commercial Diretor, Travel Partners da Travelport, refere que “através do Travelport +, os utilizadores das nossas agências podem comprar e gerir os voos dos seus clientes sem problemas, com acesso a todas as ofertas dinâmicas de produtos e acessórios da Iberia num só lugar.”

De resto, Jason Clarke salienta que a empresa está a “acelerar o fornecimento de soluções NDC completas para os nossos parceiros aéreos, como a Iberia, para que a fonte de conteúdo não seja um fator para as agências e empresas de gestão de viagens (TMC) que precisam de criar experiências modernas de venda a retalho e de serviços para os seus viajantes.”

A Travelport está também a fornecer às suas agências parceiras as capacidades necessárias para servir os viajantes diretamente, permitindo aos agentes modificar, alterar ou cancelar reservas NDC da Iberia quando necessário. Os clientes das agências da Travelport em Portugal, o primeiro país em que o acordo está a ser implementado, são os primeiros a ter acesso à solução completa Iberia NDC na Travelport+, esperando-se que os restantes mercados tenham acesso nas próximas semanas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Tecnologia

LUGGit fecha ronda de investimento no valor de 1,8 M€  

A empresa de gestão de bagagens fechou uma nova ronda de investimento de 1,8 milhões de euros em que participaram a GED Ventures Portugal, Caixa Capital e Portugal Ventures, alcançando os 2,2 milhões de euros de investimento total.

Victor Jorge

A LUGGit fechou uma nova ronda de investimento de 1,8 milhões de euros, operação liderada por GED Ventures Portugal e Caixa Capital, fundos de investimento centrados em empresas portuguesas aos quais acompanha a Portugal Ventures, fundo que já investiu previamente na empresa.

Criada em 2019 com sede em Portugal e reconhecida como a segunda solução mais inovadora no setor pela Organização Mundial de Turismo em 2020, a LUGGit é uma empresa que se dedica à recolha, armazenamento e entrega de bagagem no local e hora que os clientes escolherem. A empresa, que começou a operar em Lisboa e Porto conta hoje com operação em cinco cidades distribuídas por três países diferentes.

Depois de ter crescido em todos os seus aspetos, depois de em 2021 ter redefinido o seu foco, alcançando acordos com mais de 2.000 proprietários e gestores de alojamento turístico, a LUGGit cresceu começou, em 2022, a operar em Praga e Barcelona, expansão internacional que culminou com a abertura de Madrid em julho de 2023. Uma expansão que fez com que a empresa conseguisse alcançar mais de 10.000 clientes, e faturar desde já, mais do dobro este ano, comparado com 2022.

Ricardo Figueiredo, CEO e co-fundador de LUGGit, destaca que a chave do êxito está “em manter a excelência e satisfação dos clientes como nossa essência. Os investidores percebem a importância desta forma de trabalhar e graças à sua colaboração e confiança podemos continuar a avançar no nosso plano de expansão, que tem como objetivo abrir mercados em 7 cidades europeias novas localizadas em 3 países diferentes e aumentar a nossa equipa com 8 novas contratações durante o próximo ano.”

Para Francisco Lino Marques, partner e membro do Conselho de Administração da GED Ventures Portugal, “a LUGGit é uma das mais promissoras start-ups portuguesas de Logistics Tech, pelo que este investimento permitirá acelerar o desenvolvimento tecnológico, posicionado esta solução como uma das mais inovadoras do setor do turismo.”

Já Pedro Rangel, presidente do Conselho de Administração da Caixa Capital, destaca que, “através deste investimento, a Caixa Capital reforça a sua estratégia no apoio a empreendedores nacionais, cujos projetos apresentam um foco no desenvolvimento de produtos e serviços inovadores, de elevado potencial e orientados para o mercado global. No caso específico da LUGGit, identificámos uma oportunidade diferenciadora de transformação e melhoria da experiência turística, associada ao transporte e armazenamento de bagagens com o recurso a uma app.”

Por último, Pedro Mello Breyner, vogal Executivo da Portugal Ventures, refere que “a Portugal Ventures investiu na LUGGit em 2019 pouco depois de iniciarem a sua atividade em Lisboa e Porto. Desde essa data, tem sido um orgulho acompanhar a equipa de promotores, sendo estes um exemplo de resiliência na superação dos diversos desafios que foram surgindo, nomeadamente dois anos de pandemia. Com presença em algumas das cidades mais turísticas da Europa, esta ronda de investimento é um passo importante para a equipa de promotores implementar o reforço da sua estratégia de internacionalização, que irá permitir o crescimento da empresa em recursos humanos qualificados e contribuindo para a melhoria da visibilidade de Portugal como um exemplo de boas práticas na dinamização do empreendedorismo.”

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Distribuição

Consultia Business Travel simplifica oferta Destinux

A nova oferta da Consultia Business Travel passa de seis tipos de produtos para apenas dois – Freemium e Premium – para tornar acessível a qualquer empresa melhorar a sua experiência de gestão de viagens e, ao mesmo tempo, poupar.

Publituris

A Consultia Business Travel, empresa especializada na gestão integrada de viagens de negócios, acaba de simplificar a sua plataforma Destinux com dois novos planos: Freemium e Premium. Esta alteração coloca à disposição dos clientes ofertas em função do orçamento das suas viagens de negócios, surgindo esta oferta no âmbito da sua estratégia de democratização da tecnologia Destinux.

Freemium é a versão gratuita de Destinux projetada para atender às necessidades de um mercado pouco estruturado, sendo avaliado em mais de 1.000 milhões de euros em despesas de viagens de negócios apenas em Portugal.

A partir deste plano, as empresas podem aceder aos serviços básicos da Destinux sem custos de subscrição, permitindo uma gestão mais eficientes das suas viagens de negócios. O Freemium, permite, ainda, às empresas ter acesso gratuito ao módulo de reservas Destinux (não sendo necessário ter subscrição anual), por cada pedido registado é emitida uma fatura, apoio a incidências e um máximo de cinco utilizadores por registo.

Já o pacote Destinux Premium, permite que os clientes contratem uma gama de serviços a partir de 49 euros por mês, no caso de empresas com um orçamento de viagens corporativas inferior a 40 mil euros por ano. Este modelo, foi especialmente desenvolvido para as empresas que desejem automatizar a gestão de viagens corporativas sem prescindir de um atendimento humano personalizado quando necessário, que se traduz na satisfação e poupanças significativas às empresas, num mercado que vale mais de um bilião de dólares a nível mundial.

As vantagens do Destinux Premium passam pela implementação de uma política de viagens, que confere aos utilizadores maior segurança; autorizações automatizadas, fornecendo mesmo um maior controlo sobre as suas viagens; as despesas e o orçamento são atribuídos a departamentos específicos, para uma fácil organização e pagamento; elabora e  controla orçamentos, para os utilizadores terem em conta os seus gastos; calcula o retorno de investimento (ROI) das viagens, para demonstrar quais são as melhores soluções para os utilizadores; integra os dados com sistemas ERP, para gerir e planear os recursos empresariais de cada utilizador; este modelo permite digitalizar as despesas de deslocação, para reduzir a utilização de papel, tal como, oferece a compensação das emissões de carbono (CO2), sendo assim um serviço amigo do ambiente.

Além disso através do Destinux Premium é possível ter acesso a toda a informação e documentação online a qualquer momento; conciliação dos cartões, para que os utilizadores possam ter acesso a mais ofertas; oferece um suporte personalizado, para ajudar os utilizadores com todas as questões que relacionadas com as suas viagens.

O CEO da Consultia Business Travel, Carlos Martinez, salienta que o objetivo com esta evolução do produto é tornar o Destinux “acessível a todas as empresas, quer confiem a gestão das suas viagens corporativas a uma empresa especializada, quer ainda a gerem internamente”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Tecnologia

Prime da eDreams ODIGEO ultrapassa os 5 milhões de membros

O Prime, plataforma de subscrição de viagens da eDreams, acaba de ultrapassar os cinco milhões de membros, tendo adicionado 1.7 milhões de novos subscritores só no último ano. Nos últimos cinco anos registou uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 220%.

Publituris

A eDreams ODIGEO anunciou esta quarta-feira, que o seu serviço de subscrição – Prime, ultrapassou os 5 milhões de membros, após adicionar 1.7 milhões de novos subscritores apenas no último ano.

Para além do volume de membros, o Prime também ultrapassa as outras plataformas em termos de taxas de crescimento. A análise do crescimento das principais plataformas de subscrição durante os últimos cinco anos fiscais, alinhada com o período durante o qual o Prime esteve a operar, revela que este registou a maior taxa de crescimento anual composta, alcançando os 220%. Refira-se que o programa está atualmente disponível em 10 dos 44 países nos quais a eDreams ODIGEO opera as suas plataformas de reservas de viagens.

Lançado em 2017, o Prime concede aos seus membros acesso exclusivo a uma infinidade de ofertas, promoções e descontos em vários produtos e serviços de viagem, desde voos e alojamentos a pacotes de férias e aluguer de automóveis. Os membros Prime têm também acesso a um serviço prioritário de apoio ao cliente 24/7 e podem usufruir de todas as vantagens do programa desde a primeira reserva que efetuarem, sem quaisquer limitações em termos de itinerários, datas de viagem, fornecedores ou número de reservas.

Esta flexibilidade oferece aos viajantes uma vasta gama de opções, tais como o acesso a milhares de milhões de combinações de voos para quase 700 companhias aéreas de todo o mundo. Para além disso, os membros podem garantir tarifas com desconto em 2.1 milhões de opções de alojamento oferecidas pelas marcas da eDreams ODIGEO, juntamente com milhares de opções de aluguer de automóveis.

O Prime também é capaz de ajudar os seus membros a fazer poupanças de custos significativas, uma proposta de valor fundamental para os consumidores, especialmente no atual contexto macroeconómico.

Uma análise levada a cabo pela eDreams ODIGEO confirma que a economia das subscrições está em plena expansão. As plataformas de subscrição mais relevantes do mundo têm agora um total de 1.5 mil milhões de subscritores, em comparação com apenas 458 milhões em 2017, quando o Prime foi inicialmente lançado.

Por outro lado, nos últimos 11 anos, a economia das subscrições cresceu a uma taxa de crescimento anual (CAGR) de 17%, quase quatro vezes mais rapidamente do que as empresas tradicionais.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Guestcentric celebra parceria com coleção de hotéis de termas em Portugal

Em causa está o Grupo Desenvolvimento das Termas de Portugal, onde estão incluídas as unidades Palace Hotel & SPA Termas de S. Vicente, Palace Hotel & SPA Termas de S. Miguel, Palace Hotel & SPA Termas de S. Tiago, Plácido Douro Tabuaço, Palace Hotel & SPA Termas do Bicanho, Palace Hotel & SPA Monterio, Palace Hotel & SPA Astúrias, Hotel Monterio Aguieira e o Majestoso Hotel.

Publituris

A Guestcentric, fornecedora de soluções de comércio eletrónico para hotéis, estabeleceu uma colaboração com uma rede de hotéis especializados em termas e bem-estar de Portugal.

Em causa está o Grupo Desenvolvimento das Termas de Portugal, onde estão incluídas as unidades Palace Hotel & SPA Termas de S. Vicente, Palace Hotel & SPA Termas de S. Miguel, Palace Hotel & SPA Termas de S. Tiago, Plácido Douro Tabuaço, Palace Hotel & SPA Termas do Bicanho, Palace Hotel & SPA Monterio, Palace Hotel & SPA Astúrias, Hotel Monterio Aguieira e o Majestoso Hotel. O objetivo passa por “otimizar a presença online e aumentar as vendas diretas nas nove unidades hoteleiras sob a sua gestão, localizadas no Norte de Portugal”, como indicado em comunicado.

Numa primeira fase, a Guestcentric explica que “o foco foi implementar o motor de reservas, concebido de raiz para maximizar a conversão das vendas diretas de cada um dos hotéis da coleção”.

Complementarmente, será integrado em cada hotel o channel management da Guestcentric, que “assegura uma presença integrada e fluída nos diversos canais online”. Desta forma, “as unidades terão um maior controle sobre a distribuição do seu inventário, podendo aumentar a sua penetração internacional, dando prioridade à distribuição direta, que é a mais rentável”. A parceria inclui ainda uma integração direta com os canais Meta, “reforçando o posicionamento dos hotéis em novos mercados, atraindo um público internacional mais vasto do que o atual”.

Para além da plataforma tecnológica de Guestcentric, os hotéis do grupo dispõem ainda do Lab, um serviço de marketing digital desta empresa que atua como uma extensão da equipa de marketing dos hotéis, “personalizado às necessidades de cada cliente”. Este baseia-se numa análise permanente e rigorosa da performance online do cliente, complementada com insights de mercado.

“É com muito entusiasmo que damos as boas-vindas a estas nove unidades hoteleiras enquanto nossos clientes. As nossas ferramentas abrangem as várias áreas do mundo digital e foram concebidas para serem geridas diretamente pelo hotel, para melhorar as vendas diretas”, afirma Filipa Campos, diretora de vendas para a região da EMEA na Guestcentric.

Já Daniel Fernandes Lourenço, administrador do grupo de hotéis, acrescenta que “a parceria com a Guestcentric anima-nos muito nesta fase do nosso desenvolvimento. Ao trabalhar em estreita colaboração com a equipa da Guestcentric e recorrendo à sua plataforma digital, estamos confiantes que veremos o nosso negócio online crescer significativamente.”

A Guestcentric implementou a sua suíte de soluções de e-commerce em todos os hotéis do grupo, prevendo a conclusão do projeto “num futuro próximo, com o lançamento de um website para cada unidade hoteleira”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Tecnologia

TTS Corporate apresenta avanços na gestão de viagens corporativas

A TTS Travel Technology and Solutions, empresa de fornecimento de soluções tecnológicas para a indústria de viagens, acaba de anunciar avanços significativos no seu produto corporativo, o TTS Corporate.

Publituris

Uma das valências é a autenticação multifatorial (MFA) que acrescenta uma robusta camada de proteção adicional às suas medidas de segurança atuais. A Autenticação Multifatorial envolve um processo de verificação em duas etapas. Além de fornecer a palavra-passe do cliente, o sistema irá requerer um segundo elemento de verificação garantindo que mesmo que alguém tenha acesso à senha, não irá conseguir aceder aos dados.

A MFA fornece um nível adicional de segurança ao requerer mais do que uma forma de verificação. Mesmo que um hacker consiga decifrar a palavra-passe, precisará do segundo fator de autenticação – algo quase impossível de violar, garantindo que a onta e dados permaneçam seguros.

Ao implementar a MFA, o risco de fraude é significativamente reduzido. O segundo fator de autenticação é uma resposta em tempo real e única, o que torna o acesso não autorizado ainda mais difícil. Esta funcionalidade estará disponível no TTS Corporate até ao final do mês de agosto.

Refira-se que o TTS Corporate é uma solução corporativa desenvolvida pela TTS, que permite os agentes de viagens gerirem os seus clientes corporativos de uma maneira rigorosa e simples.

A empresa garante que é “uma solução altamente eficiente que pode lidar com grandes volumes de dados numa questão de segundos. Com a capacidade de importar milhares de utilizadores rapidamente, oferecemos uma experiência ágil e escalável, atendendo pequenas e grandes empresas. Esta flexibilidade permite uma fácil implementação do TTS Corporate em empresas de qualquer tamanho, permitindo que tenham o produto totalmente funcional em apenas alguns dias”.

Além disso, em maio, foi feita uma migração do TTS Corporate para a AWS (Amazon Web Services). Esta mudança é considerada importante no aperfeiçoamento da infraestrutura do TTS Corporate, proporcionando maior escalabilidade, desempenho e segurança. Com a AWS, “estamos comprometidos em oferecer uma experiência ainda mais confiável e ágil aos nossos clientes, garantindo que possam aproveitar ao máximo todas as funcionalidades e recursos do TTS Corporate”, destaca a empresa no seu comunicado de imprensa.

A TTS tem presença em mais de 120 países e conta com mais de 14 mil clientes.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Tecnologia

Unlimit desafia empresas portuguesas do turismo a inovarem

A Unlimit volta a desafiar as empresas portuguesas a inovarem o setor do turismo em Portugal, em parceria com startups de todo o mundo. O programa de aceleração de startups Aceler@Tech, com apoio do Turismo de Portugal, terá este ano a sua terceira edição, e as candidaturas podem ser feitas aqui, até ao dia 15 de setembro de 2023.

Publituris

As empresas que participarem no programa poderão estabelecer uma relação de proximidade com as startups participantes, e alavancar as suas soluções para endereçar os seus desafios internos e criar novas abordagens estratégicas.

Para a terceira edição, a Unlimit e o Aceler@Tech querem reforçar a identificação dos melhores projetos com foco em Experience Tourism, Sustainable Tourism, Enhanced Tourism Journey, Strategic Horizons, e Digital Nomads.

No programa serão dinamizadas sessões de apresentação das startups selecionadas às empresas parceiras desta edição, entre elas o Rock in Rio, a Abreu, a Odisseias e os Hóteis Vila Galé. De seguida, serão realizadas reuniões entre cada startup e as empresas, assim como speed meetings com investidores e industry experts.

Madalena Clara, Innovation Manager na Unlimit e responsável pelo Aceler@Tech, indica que “o sucesso das duas edições anteriores revela um enorme potencial – pela qualidade e diversidade das soluções apresentadas e pelos excelentes resultados obtidos das parcerias entre as startups e as empresas”. Desta forma, “é com grande entusiasmo e expectativa que lançamos esta terceira edição, e que esperamos que o Aceler@Tech consiga ajudar a impulsionar a economia e a inovação em Portugal.”

Por sua vez, Carlos Abade, presidente do Turismo de Portugal, afirma que “a inovação no turismo é mais do que um propósito. É, acima de tudo, uma atitude – não só de empreendedores que se desafiam constantemente a encontrar soluções disruptivas, mas também de um mercado próximo, disponível e aberto para ouvir e testar essas propostas”.

Para respostas realistas e atempadas que potenciem a competitividade do setor e a satisfação do turista, é fundamental, segundo Carlos Abade, que “as empresas se associem e se mobilizem nesta partilha de riscos, expondo os problemas reais do negócio aos empreendedores e startups, para que se encontrem as soluções adequadas. Não importa a dimensão da empresa. O que importa é a sua vontade de fazer melhor, diferente e de uma forma cada vez mais sustentável.”

A edição passada contou com candidaturas de startups de 56 países, tendo algumas passado por programas reconhecidos internacionalmente, como o Y Combinator, Techstars, 500 Startups e Google for Startups. Na segunda edição, 33% das startups que participaram levantaram mais de 3 milhões de euros e 40% apresentaram vendas anuais acima de 250 mil euros.

Fundada em 2008, a Unlimit ajuda empresas portuguesas a acelerarem o seu roadmap de inovação. Com foco na exploração de novas áreas estratégicas e na solução de desafios de negócio, a promoção de colaboração com startups tem como objetivo incentivar a criação de novos negócios, fomentar a criatividade, melhorar a competitividade e aumentar a eficiência.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Tecnologia

Vasco Translator V4 facilita comunicação no Dino Parque Lourinhã

A partir de agora, os visitantes estrangeiros possuem um equipamento para ajudar na comunicação no Dino Parque Lourinhã.

Publituris

A Vasco Electronics Portugal passa a apoiar o Dino Parque Lourinhã ao facilitar a comunicação com os visitantes estrangeiros no maior parque temático da Europa, ligado à temática dos Dinossauros, que conta com mais de 10 hectares de extensão.

A partir de agora, os tradutores da Vasco Electronics, nomeadamente o Vasco Translator V4, vêm auxiliar na interação com os visitantes estrangeiros e permitir uma melhor experiência de atendimento ao visitante no Dino Parque Lourinhã.

Compacto e ergonómico, com um cartão SIM integrado que oferece Internet gratuita e interminável, o Vasco Translator V4 será, assim, o instrumento para que os visitantes estrangeiros quebrem as barreiras de comunicação e da língua, sendo ao mesmo tempo um auxílio também para o staff do Dino Parque Lourinhã.

Graças a dez motores de tradução diferentes, o Vasco Translator V4 conta, ainda, com uma precisão de tradução de 96%. Com mais de 70 idiomas, desde o indonésio ao mandarim, passando pelo grego e pelo norueguês, os idiomas são reproduzidos por uma voz nativa, e a tradução atende a regionalismos e expressões idiomáticas. Além disso, tem capacidade para tradução de 108 idiomas na tradução de fotografias.

Luís Rocha, diretor-geral do Dino Parque, admite que “preparamo-nos para o começo de uma nova etapa no atendimento ao visitante estrangeiro do Dino Parque Lourinhã, sendo o Vasco Translator V4 uma preciosa ajuda nisso. Recebemos um elevado número de visitantes de diversos idiomas e com esta parceria queremos assegurar que todos tenham uma fantástica experiência no Dino Parque.”

Já João Fernandes, Country Manager da Vasco Electronics em Portugal, espera que, com a utilização do Vasco Translator V4, a empresa “acrescente novos visitantes ao Dino Parque Lourinhã” e “contribuir para o crescimento do turismo nesta região”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Tecnologia

REDE-T cria nova área de negócio de consultoria em parceria com HCMS

A parceria agora iniciada tornará “mais atrativo o acesso à consultoria profissional externa para os membros da REDE-T”

Publituris

A Hospitality Concepts & Management Solutions (HCMS) e a REDE-T assinaram uma parceria de consultoria preferencial, admitindo Rob Veltman, diretor-geral da HCMS, que este acordo tornará “mais atrativo o acesso à consultoria profissional externa para os membros da REDE-T”.

Já Ricardo Augusto, CEO e founder da REDE-T refere que, “tendo por base o posicionamento da plataforma no mercado, criar uma área de negócio de consultoria com um parceiro de renome, foi um “passo natural’”.

Os membros da REDE-T receberão um desconto mínimo de 10% sobre os honorários da HCMS.

Com mais de 30 anos de experiência em consultoria hoteleira e gestão de Hotéis & Resorts em Portugal e na Europa, a HCMS é, segundo a REDE-T, “um parceiro experiente e credível, com resultados comprovados, disponível para preparar as organizações para os desafios que a indústria hoteleira enfrenta atualmente e no futuro”.

De referir que a equipa da HCMS é constituída por gestores hoteleiros experientes, todos com a sua própria especialização, cobrindo todas as áreas de desenvolvimento e operação hoteleira, com elevados padrões de qualidade, com ênfase nas vendas e marketing, gestão de projetos, desenvolvimento de conceitos, operações, gestão financeira e de lucros, retenção de hóspedes e recursos humanos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Tiqets e Google vão mostrar como otimizar presença online para atrações turísticas e culturais

A plataforma online de venda de bilhetes para museus e atrações turísticas e culturais Tiqets, e a Google, promovem um webinar gratuito, no próximo dia 13 de junho, terça-feira, para fomentar o know-how da indústria da cultura e das viagens sobre o posicionamento no mercado digital.

Publituris

No próximo dia 13 de junho, a Tiqets, em parceria com a Google, vai organizar um webinar exclusivo sobre a nova ferramenta ‘Google Things to Do’ (GTTD). A iniciativa terá lugar das 14:30 às 15:15 (hora portuguesa) e a participação é gratuita – qualquer museu, atração turística e cultural ou operador de experiências de viagens pode inscrever-se em: https://www.tiqets.com/venues/resources/google-things-to-do/?utm_source=LinkedIn&utm_medium=free_social_organic.

O objetivo principal do webinar é partilhar conhecimento especializado para ajudar os museus e as atrações do mundo inteiro a reforçar a sua visibilidade, captar potenciais visitantes e aumentar as reservas através da otimização da sua presença online. Neste webinar exclusivo, os participantes poderão descobrir o essencial sobre a ferramenta ‘Things to Do’, bem como aprender e interagir diretamente com especialistas da Google e da Tiqets.

A iniciativa contará com a presença de Julie-Anne Negiar (EMEA Regional Product Lead da Google), Lorenzo Belfiore (Online Marketing Specialist da Tiqets) e Olga Chatzidoukaki (Strategic Partnerships Development Manager da Travel Google).

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.