Assine já
Distribuição

Nortravel e Jolidey lançam voo extra entre Porto e Sal

Os operadores turísticos Nortravel e Jolidey anunciam ao mercado um voo extra entre o Porto e a Ilha do Sal (Cabo Verde) de 31 de julho a 04 setembro (última partida).

Carolina Morgado
Distribuição

Nortravel e Jolidey lançam voo extra entre Porto e Sal

Os operadores turísticos Nortravel e Jolidey anunciam ao mercado um voo extra entre o Porto e a Ilha do Sal (Cabo Verde) de 31 de julho a 04 setembro (última partida).

Sobre o autor
Carolina Morgado
Artigos relacionados
Nortravel e Jolidey lançam três charters para Cabo Verde
Distribuição
‘Pool’ de quatro operadores colocam voo extra para Djerba
Distribuição
Abreu, Solférias e Soltrópico reforçam operações especiais para Cabo Verde em 2022
Distribuição
Travelplan com vendas antecipadas para verão nas Caraíbas
Distribuição

Para o verão de 2022, e como forma de reforçar a sua presença em Cabo Verde, este é o quarto voo semanal que os operadores turísticos do Grupo Ávoris disponibilizam entre Portugal e o arquipélago.

A operação é realizada pela companhia aérea SmartWings em Boeing 737/800 com capacidade para 189 passageiros.

O voo extra do Porto tem preços por pessoa em duplo desde 902 euros em hotel de quatro estrelas, e de 1.089 euros em unidade hoteleira de cinco estrelas, ambos em regime de tudo incluído.

Estes preços incluem ainda os voos com direito a uma peça de bagagem, sete noites de alojamento, transferes, seguro de viagem (inclui cobertura Covid-19), taxas de aeroporto, segurança e combustível (235 euros) e TSA no valor de 35 euros.

Na programação dos dois operadores, são disponibilizadas 16 unidades hoteleiras na Ilha do Sal, de três, quatro e cinco estrelas, em vários regimes alimentares.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Artigos relacionados
Distribuição

Operadores juntam-se para lançar novo charter de réveillon para o Brasil

Solférias, Exoticoonline, Sonhando e Alto Astral são os operadores turísticos que vão realizar uma operação charter de réveillon para o Brasil, com partida para Salvador da Bahia, a 26 de dezembro, e para Maceió, no dia seguinte.

Publituris

Os operadores turísticos Solférias, Exoticoonline, Sonhando e Alto Astral vão voltar a lançar uma operação charter de réveillon para o Brasil, que vai contar com partidas do Porto para Salvador da Bahia e desde Lisboa e Porto para Maceió.

De acordo com a informação divulgada esta terça-feira, 2 de agosto, a operação charter para Salvador da Bahia vai contar com partida do Porto, a 26 de dezembro, enquanto o regresso decorre a 2 de janeiro.

Já o charter para Maceió, que vai ter saída de Lisboa via Porto, tem partida marcada para 27 de dezembro, com regresso a 3 de janeiro, com a programação para este destino brasileiro a destacar o recém-inaugurado Vila Galé Alagoas.

“Esta operação tem tido um sucesso continuado desde que foi lançada em 2012”, destacam os operadores turísticos que participam nesta operação, no comunicado enviado à imprensa esta terça-feira, 3 de agosto.

No sentido inverno, os voos estão também a ser comercializados pelo operador Alto Astral, “em parceria com Lusanova e outros parceiros locais”, explica ainda a informação divulgada pelos operadores turísticos.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

TUI Portugal lança campanha ‘Ainda vai a tempo’

Para promover verão de 2022, o operador turístico TUI Portugal disponibiliza ao mercado a campanha “Ainda vai a tempo”, composta por diversos destinos e para saídas até final de setembro.

Publituris

Com a campanha de comunicação digital ‘Ainda vai a tempo’, dirigida ao cliente final, o operador turístico apela à espontaneidade dos portugueses que ainda procuram um destino para as suas férias de verão.

Maurícia, Maldivas, Seychelles, Tailândia, Turquia, Egipto, Dubai e ainda os Cruzeiros Fluviais TUI, são os destinos disponíveis para reservas last minute junto da rede de parceiros TUI.

A campanha ‘Ainda vai a tempo’ terá divulgação nos canais digitais da TUI Portugal, nomeadamente website (pt.tui.com), newsletter e redes sociais, sempre sugerindo a visita à agência de viagens para mais informações e reservas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Lusanova: Circuito Alsácia e Floresta Negra em promoção

Para a partida de 04 de setembro, o operador turístico Lusanova coloca no mercado uma promoção com um desconto de 110 euros por passageiro para o circuito Alsácia e Floresta Negra.

Publituris

Este programa, que pertence ao Catálogo Europa Seleção do operador turístico, inclui passagem aérea de acordo com o itinerário em classe económica, bagagem de porão, circuito em autocarro de turismo com guia acompanhante em língua espanhola, sete noites em regime de alojamento e pequeno-almoço, 12 refeições, transferes de chegada e saída, taxas de IVA, de aeroporto, segurança e combustível, bem como seguro de viagem

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

DS Travel é nova marca para a área das viagens e turismo

É a nova marca do Grupo Decisões e Soluções, rede de Consultoria Imobiliária, de Intermediação de Crédito e de Mediação de Seguros, dedicada ao setor das viagens e turismo.. O grupo pretende chegar a 100 agências em Portugal nos próximos anos e criar mil postos de trabalho.

Publituris

Segundo nota de imprensa do grupo, nas agências de viagens DS Travel, os clientes vão poder usufruir de um serviço personalizado e especializado na organização de viagens, para particulares e empresas, adaptado aos seus reais objetivos e exigências.

Igualmente, será prestado um apoio de intermediação de crédito, proporcionando assim a cada cliente um serviço completo e com Soluções 360° na área das viagens e turismo.

De acordo com Paulo Abrantes, diretor geral da DS Travel e do Grupo Decisões e Soluções, este novo projeto terá também como pilares fundamentais “um serviço de aconselhamento de grande importância para a população na área das viagens e turismo, adaptado às possibilidades, sonhos e objetivos de cada cliente e dar trabalho e oportunidades profissionais a centenas de pessoas a nível nacional”.

O grupo pretende abrir 100 agências DS Travel no nosso país nos próximos três anos, encontrando-se já num processo de seleção de candidatos e empreendedores que queiram criar o seu próprio negócio, e iniciar depois o seu processo de internacionalização, bem como, dar a oportunidade a mais de mil pessoas a nível nacional de fazerem parte deste projeto, integrando as várias futuras agências.

Como diretor coordenador nacional da marca, a DS Travel contará com Nuno Oliveira, que possui uma vasta experiência na área do turismo e organização de viagens.

Este responsável aponta que, “sabemos que cada cliente é único e pretendemos por isso, disponibilizar um serviço de proximidade, mais personalizado e especializado, oferecendo não só viagens tradicionais a nível nacional e internacional, como experiências turísticas mais tailor-made”.

O modelo de negócio da DS Travel será semelhante ao franchising e o direito de entrada será de cinco mil euros, usufruindo cada empreendedor de um modelo de negócio devidamente montado e estruturado, bem como de uma forte estrutura de apoio, constituída por uma coordenação nacional, coordenações regionais, formadores nas diferentes áreas, departamentos de marketing, comunicação, informático, jurídico e administrativo.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Egotravel e Turismo da Tunísia juntos em campanha promocional

O operador turístico Egotravel, em parceria com o Turismo da Tunísia, acaba de lançar, no mercado português, uma campanha de promoção daquele destino.

Publituris

Com o mote “Tunísia: a sua porta para um mundo de experiências imperdíveis”, a campanha foca a diversidade da oferta turística do destino, explorando os sentidos e espicaçando a curiosidade dos turistas nacionais.

A campanha está presente em diversas plataformas, desde as redes sociais e web com conteúdos orgânicos e patrocinados, bem como email marketing, sms marketing e plataformas de streaming.

Esta aposta, segundo nota de imprensa da Egotravel, vem na sequência do seu  posicionamento enquanto especialista do destino e da operação charter que possui até 26 de setembro, com saídas de Lisboa às segundas-feiras e do Porto aos sábados, para Djerba com programas de sete noites em tudo incluído, desde 544 euros por pessoa.

Gonçalo Palma, diretor-geral da Egotravel realça que “esta é uma oportunidade para voltar a reaproximar o destino Tunísia do viajante nacional, que sempre teve apetência por o tipo de oferta que a Tunísia disponibiliza: proximidade, sol e praia e uma diversidade de unidades hoteleiras com Tudo Incluído”.

No entanto, com esta campanha “queremos mostrar a pluralidade da oferta turística da Tunísia: a arte, a história, a gastronomia, a aventura e a cultura, entre outros”, bem como “aumentar a procura nas agências de viagens pelo destino para que regresse ao top de preferências dos portugueses no pós-pandemia”, refere ainda o responsável.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Turangra anuncia lugares garantidos para São Miguel, Terceira e Pico

O operador turístico Turangra, especializado em pacotes de férias para o arquipélago dos Açores, anuncia ao mercado que já está disponível a sua programação de lugares garantidos para São Miguel, Terceira e Pico, bem como um combinado São Miguel e Terceira.

Publituris

Para a ilha de São Miguel, segundo o operador turístico, o pacote de cinco noites tem o valor desde 432 euros, com partida de Lisboa a 05 de outubro, em regime APA no Hotel Alcides, enquanto para a Terceira, o pacote de três noites tem o valor desde 351 euros, com partida de Lisboa a 07 de dezembro, em regime APA no Hotel Zenite.

Em relação â ilha do Pico, o programa de duas noites tem o valor desde 310 euros, com partida de Lisboa a 29 de outubro, em regime APA no Hotel Caravelas.

No combinado São Miguel + Terceira, o pacote de cinco noites custa desde 512 euros, com partida de Lisboa a 05 de outubro, em regime APA no Hotel Alcides e Hotel Zenite.

Refira-se que toda esta programação da Turangra inclui,  para além do alojamento e voo, o transfere e seguro de viagem.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Egotravel amplia canais de comunicação com agentes de viagens

O operador turístico Egotravel amplia os canais de comunicação e contacto com os agentes de viagens com o lançamento de uma nova funcionalidade no seu website.

Publituris

Esta nova solução tecnológica traduz-se numa ferramenta de “live chat”, a partir do website da Egotravel, que permite uma interação direta com a equipa de reservas disponibilizando uma experiência avançada de serviço de atendimento ao cliente.

Segundo o operador turístico, com esta nova plataforma pretende ampliar a agilidade e rapidez da resposta aos seus parceiros e clientes.

Assim, sempre que um agente de viagens entrar no site encontrará um ícone, similar a um balão de fala, que permitirá estabelecer uma conversa direta com um agente da equipa de reservas.

Daniel Graça, diretor de Vendas da Egotravel refere que “queríamos melhorar o apoio que prestamos aos nossos clientes diariamente e acreditamos que é importante que a interação seja ágil, eficiente, sendo uma ajuda instantânea no momento exato em que precisam”.

O responsável adianta que “queremos oferecer ao agente de viagens mais um canal de comunicação e ferramenta que permita auxiliar a venda, no momento em que tem o cliente sentado a sua frente, em que precise de respostas rápidas e facilitadoras do processo de compra.”

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

TUI Portugal e Emirates promovem Maurícia com catálogo digital

Aumento da capacidade e disponibilidade da companhia aérea a partir de julho e agosto leva a ação de marketing conjunta com operador turístico e companhia aérea para promoção do destino. 

Publituris

A TUI Portugal uniu esforços com a companhia aérea Emirates para promoção da Maurícia, em resultado do incremento da oferta de voos para este destino, através de um catálogo digital.

A companhia aérea conta já, desde 1 de julho, com dois voos diários operados pelo A380 na rota Dubai – Maurícia, estando confirmado para agosto um segundo voo – este no período da noite – para a rota de Lisboa às segundas, quartas, sextas e sábado, atestando, assim, “um aumento de capacidade e disponibilidade que atesta a aposta da Emirates neste destino operado pela TUI Portugal”, lê-se no comunicado enviado às redações.

O operador turístico já tinha, de resto, a definido este destino como “estratégico” para 2022, dadas as suas condições únicas, que o tornam muito apetecível para o viajante português. “Combinação perfeita de praia, natureza, cultura e gastronomia, a Maurícia apresenta ainda um custo-benefício muito competitivo, que lhe permite ser uma alternativa a outros destinos tradicionalmente mais procurados pelos portugueses”, refere a TUI no comunicado.

No catálogo digital TUI powered by Emirates é possível ficar com uma ideia muito completa do destino, funcionando, por isso, como uma útil ferramenta de vendas para os Agentes de Viagens, mas também como leitura obrigatória para o cliente interessado numa compra mais informada.

Para além do catálogo, a colaboração TUI Portugal e Emirates estende-se também à comunicação com Agentes de Viagens, que serão convidados a aumentar as reservas para este destino, com destaque para a oferta de um voo com a companhia aérea rumo à Maurícia, a ser atribuído ao primeiro Agente a fechar uma reserva para os programas TUI em campanha, numa lógica de incentivo de vendas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Animação Turística

APECATE apela ao regresso da atividade de animação turística e eventos na Serra de Sintra

A APECATE apela à Câmara Municipal de Sintra e restantes entidades com tutela sobre a Serra de Sintra que promovam uma reunião de coordenação com todos os operadores para se encontrarem modelos de operação que o funcionamento da atividade turística.

Publituris

Este apelo vem na sequência, segundo a Associação, da “situação de constrangimento verificada durante a semana passada e que muito condicionou a atividade da animação turística e dos eventos, mostrando a grande fragilidade que existe na gestão e coordenação por parte das diferentes entidades envolvidas na administração do território”.

Em nota de imprensa, a APECATE aponta que esperava que, com a diminuição do nível de risco de incêndio as medidas altamente restritivas fossem levantadas e que existisse um regresso à atividade.

No entanto, indica que “não é esse o entendimento da Câmara Municipal de Sintra e das entidades que tutelam o acesso à Serra de Sintra que, numa decisão que muitas vezes só é conhecida pelos operadores envolvidos na véspera à noite ou no próprio dia (o que não só prejudica as empresas como dá uma imagem péssima aos turistas) sem partilharem as razões, nem explicarem se existem outras soluções, proíbem o acesso à Serra”.

A Associação lembra ainda que “este tipo de decisão tomada sem explicar ou partilhar com os operadores o porquê, tem ocorrido com alguma frequência, muitas vezes sem avisos prévios, o que provoca enormes prejuízos para todos”.

No comunicado, a APECATE lamenta “o modelo de funcionamento de costas voltadas para os operadores, a arbitrariedade na análise das situações que nos parece existir e a limitação à liberdade de atividade que deveria ser a bandeira de atuação em situações de elevada gravidade como esta, envolvendo as empresas e entidades civis para que, em vez de proibir sem explicação, se encontrem formas de atuação que eliminem as situações de risco, mas permitam a percussão das atividades”.

 

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Publituris Exclusivo

Viagens Tempo oferece ao mercado mais de 57 destinos

Apostando numa programação diversificada, o operador turístico Viagens Tempo tem mais de 57 países publicados que cobrem o mundo inteiro, mas numa vertente maioritariamente cultural, em circuitos ou combinados com praias. Açores e Madeira tem sido uma surpresa.

Gosta de se apresentar ao mercado como um operador turístico pequeno, composto por 17 pessoas, familiar, credível, antiga no mercado, com 28 anos de existência, e sede no Porto. É assim a Viagens Tempo, conforme declarou ao Publituris, o seu diretor Comercial, Ricardo Gordo, apontando que “cada produto que vendemos é um produto especial”.

“Não nos preocupamos com os números, nas sim em cada cliente e na qualidade que colocamos ou cada produto que colocamos no mercado, dando sempre o nosso cunho pessoal” disse o responsável, para lembrar que “uma coisa que damos muito valor é que temos um booking com cinco pessoas com 25 anos de casa, pessoas que estão connosco desde os primeiros anos da empresa, pessoas com muito know-how em relação aos destinos que vendemos, e hoje vendemos o mundo inteiro”.

Ricardo Gordo faz questão de realçar que “só vendemos os destinos que conhecemos, e isso é muito importante no pré-venda, na venda e damos também muita atenção ao pós-venda, ou seja, no apoio que damos ao cliente quando já está no destino”.

Flexibilidade e diversificação
Conta o diretor Comercial que o operador turístico começou com meia dúzia de destinos, hoje “já colocamos no mercado mais de 57 países. Temos produtos já formatados, mas tentamos ser sempre flexíveis e ir ao encontro daquilo que o cliente pretende. Não queremos vender em massa, mas com a máxima qualidade e profissionalismo, com uma programação diferente e não em charter”.

Desde o início que “nunca entrámos no segmento charter, sempre fugimos aos produtos de risco, trabalhamos sim com allotments na parte aérea, e com partidas especiais para alguns produtos, sempre em voos regulares, numa programação muito diversificada”, explicou o responsável, apontando que, diversificar e flexibilizar são os objetivos. “Tentamos abarcar o maior número de produtos desde que seja um destino que conhecemos, que achamos que podemos dar o nosso contributo e acrescentar valor”.

Em termos de novidades ao mercado, muitas ficaram para trás devido à guerra na Ucrânia, referiu Ricardo Gordo. “Tínhamos algumas coisas programadas para aquela zona, mas tiveram de ficar em carteira”. No entanto “lançámos Costa Rica em combinados de aventura com praia, diferente da programação que existe no mercado, temos também o Nepal, que esteve parado, mas que se começou a vender, uma surpresa interessante, a Colômbia e S. Tomé que retomámos, e Malta, apesar de este ano não haver voos diretos”.

Açores e Madeira – surpresa em volume de vendas
O diretor Comercial da Viagens Tempo revelou ainda que, durante a pandemia “não fizemos nada em relação a Portugal Continental, mas apostámos muito nos Açores e na Madeira, e este ano vão ser de novo as nossas apostas, em viagens de grupos, e temos tido bastantes resultados. Temos acordos com os maiores grupos e redes de agências de viagens em Portugal. 30% a 40” da nossa faturação é de grupos, e Açores e Madeira, neste momento, é o maior, com grupos fechados”

O responsável explicou que “quando surgimos, em 1994, tínhamos os Açores e a Madeira na nossa programação, bem como praias em Portugal e as costas espanholas, mas ao longo do tempo fomos reformulando os produtos, ou seja, em 2019, começámos a vender tudo, menos o que tínhamos no início. Com a pandemia, e como não havia alternativas de sair de Portugal, voltámos a apostar nas Regiões Autónomas. Como correu bem decidimos continuar com a aposta. O resto foi, praticamente, reformular a programação que existia”.

O grande desafio neste momento é, segundo Ricardo Gordo, “é esperar que alguns destinos reabram. Conforme vão reabrindo, a nossa ideia é ir colocando-os no mercado e tentar voltar à normalidade”, para acrescentar que “muitos países como os EUA/Canadá e o Japão, para onde tínhamos muitas vendas, neste momento temos algumas dificuldades, bem como a Índia e a China. O Vietname, por exemplo, reabriu recentemente, mas mesmo os que já permitem a entrada de turistas internacionais sem grandes restrições, demora algum tempo até estabilizar. Por isso, a nossa programação não está fechada”.

Assim, o operador turístico está a recolocar na sua programação, o Vietname, a Indonésia em circuitos e combinados com cultura e praia, e a Tailândia. “A necessidade de um ou outro teste será aceitável. Quarentena é que não”, defende.

Quatro tipos de programação
Refira-se que a Tempo Viagens oferece quatro tipos de programação: Circuitos Culturais na Europa, com uma grande oferta, em saídas semanais (já esteve mais complicado, mas agora já se está a conseguir confirmar); Grandes Viagens também culturais para África, Ásia, Américas e Oceânia; as Praias do Índico como Maurícias, Seichelles, Maldivas, e também a Tailândia (só praias), voltados para as luas de mel; e grupos fechados. ”Não entramos na guerra dos destinos de praias operados em charters à partida de Portugal”, disse o diretor Comercial da Viagens Tempo.

Ricardo Gordo considerou ainda que “a nossa atividade é muito sazonal e não é possível fugir a isso, mas há destinos que se vendem durante todo o ano, tais como a Argentina, o Peru e as Maldivas. Nós acabamos por vender o ano inteiro, com menos sazonalidade em relação aos operadores turísticos que apostam mais em operações charters de maio a setembro.

Moderadamente satisfeitos
De todas as formas, para este ano “estamos moderadamente satisfeitos, porque tínhamos previsto uma recuperação das vendas de 2019 a três anos e já o atingimos em 2022. Ainda não estamos aos níveis de 2019, mas acima do orçamentado. Acho que fomos conservadores, mas este ano conseguiremos a estabilidade da empresa. Isto está conseguido, mas ainda muita coisa pode acontecer. A previsão é superar o nosso orçamento, o que é bom. O objetivo era atingir os 70%, mas acredito que vamos ultrapassar essa percentagem, devendo andar acima dos 80%”, considerou.

De acordo com Ricardo Gordo, os destinos de longo curso que estão a vender mais são as praias do Índico, como aconteceu durante a pandemia, mas, “atenção, estamos a vender muito mais do que o ano passado, e muito mais ainda do que em 2020”. Em 2019, este operador turístico faturou 10 milhões de euros. Quem escolhe os seus produtos, que na maior parte ronda os mil euros por pessoa, são os segmentos médio e médio-alto.

“A Europa está a sentir uma grande pressão por causa da guerra, e as pessoas estão a fugir para outros continentes e mais o produto praia”, destacou o responsável, para salientar que, uma vez que muitos destinos são contratados em dólares, com a África, as Américas e a Ásia, os preços estarão mais caros 5% a 7%, mas “a maior parte dos produtos mantiveram os preços que eram praticados antes da pandemia”, concluiu.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.