Assine já
Hotelaria

Sindicato da Hotelaria do Algarve defende que baixos salários impedem regresso ao trabalho

Os baixos salários pagos no setor dificultam o regresso ao trabalho de milhares de pessoas inativas desde a pandemia da COVID-19, admite o Sindicato dos Trabalhadores da Hotelaria e Similares do Algarve.

Publituris
Hotelaria

Sindicato da Hotelaria do Algarve defende que baixos salários impedem regresso ao trabalho

Os baixos salários pagos no setor dificultam o regresso ao trabalho de milhares de pessoas inativas desde a pandemia da COVID-19, admite o Sindicato dos Trabalhadores da Hotelaria e Similares do Algarve.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Alojamento e Restauração criam 28.500 empregos no 2º trimestre
Alojamento
Bairro Alto Hotel
Grândola vai ter um novo hotel
Alojamento
Crescimento da hotelaria abranda em Agosto
Alojamento
Península Ibérica, Polónia e Alemanha lideram indústria hoteleira europeia
Alojamento

O Sindicato dos Trabalhadores da Hotelaria e Similares do Algarve refere que os baixos salários pagos no setor dificultam o regresso ao trabalho de milhares de pessoas inativas desde a pandemia da COVID-19.

A principal razão para a falta de trabalhadores é, “em primeiro lugar, os baixos salários pagos no setor […] que não permitem os trabalhadores fazerem face às suas necessidades básicas”, disse em conferência de imprensa Tiago Jacinto, coordenador do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Hoteleira, Turismo, Restaurantes e Similares do Algarve.

O sindicato nota que “o patronato do setor volta a queixar-se da dificuldade em contratar os trabalhadores necessários” e que “insiste que a solução para o problema é o Governo facilitar a angariação de trabalhadores no estrangeiro”.

Os empresários do setor afirmam que apesar de haver milhares de pessoas no setor a receber o subsídio de desemprego no âmbito de medidas implementadas durante a pandemia da COVID-19, quando são chamadas para entrevistas de trabalho recusam-se a regressar às empresas.

Para os representantes dos trabalhadores, aos baixos salários oferecidos tem de se acrescentar outras razões, como os horários de trabalho “cada vez mais desregulados e as longas jornadas de trabalho, que não permitem conciliar vida profissional com a vida pessoal e familiar”.

Outro problema tem a ver com a precariedade que está “generalizada em todo o setor”, com recurso a empresas de trabalho temporário, contratos a prazo na sua maioria ilegais, falsa prestação de serviços ou estagiários a ocupar postos de trabalho permanentes.

O Sindicato dos Trabalhadores da Hotelaria e Similares do Algarve também apontou o dedo ao encerramento dos estabelecimentos na época baixa “para evitar os vínculos efetivos”, defendendo que os trabalhadores “precisam de viver o ano inteiro”.

Tiago Jacinto denunciou “o aumento do assédio laboral e da repressão”, principalmente sobre os trabalhadores que exigem o cumprimento dos direitos e a melhoria salarial, entre outras.

O sindicalista afirma que não está contra a possibilidade de trabalhadores estrangeiros virem para Portugal, mas assegura que “o que está a afastar os trabalhadores” do setor do turismo são principalmente as razões apontadas.

“Para um turismo de qualidade é indispensável valorizar o trabalho e os trabalhadores e repartir com eles a riqueza criada de forma justa e dar-lhes melhores condições”, defende Tiago Jacinto.

O representante dos trabalhadores reclamou em seguida uma série de medidas que deveriam ser implementadas, como um aumento mínimo de 90 euros dos salários ou um salário mínimo nacional de 800 euros a partir de 1 de julho.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Alojamento

NH Hotel Group conta abrir 2.500 novos quartos até 2025 e inclui Portugal

O NH Hotel Group planeia abrir cerca de 2.500 novos quartos entre 2022 e 2025 em vários países, incluindo Portugal. Já assinou contratos para 16 hotéis com quatro de suas marcas, sendo que 45% estão sob o modelo de gestão.

Publituris

A notícia avançada pelo jornal espanhol Hosteltur, cita Ramón Aragonés, CEO da cadeia hoteleira que sustenta que existe uma “grande oportunidade” no segmento de luxo através da marca Anantara e no segmento de férias com a Tivoli.

Durante a Assembleia Geral de Acionistas, Aragonés explicou que há 16 hotéis assinados, e outros em negociação, para abrir nos próximos três anos. O foco está no segmento superior, com contratos de gestão ou participações, e o que se procura é o fortalecimento em mercados-chave.

Cerca de 12% dos novos quartos que vão abrir nos próximos três anos serão divididos entre Portugal, Espanha e França, enquanto 38% estão na América Latina, 30% na Europa Central, e 20% em Itália.

O NH Collection concentra 37% dos futuros quartos, 31% corresponde ao Nhow, 26% ao NH Hotels e 6% à marca de luxo Anantara, segundo aquele jornal.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

GuestCentric deixa dicas para hotéis aumentarem reservas diretas este verão

À medida que os negócios se recompõem no verão de 2022, a Guestcentric Systems considera importante que os hoteleiros continuem a investir nos seus canais diretos e, neste sentido, deixa algumas sugestões para os hotéis aumentarem as suas reservas diretas.

Embora as OTAs (online travel agencies) possam dominar em termos de visibilidade online, os hotéis independentes têm a vantagem de conhecer os seus hóspedes e saber exatamente aquilo que estes gostam de fazer durante as suas estadias, indica este fornecedor de websites hoteleiros.

A GuestCentric desafia os hoteleiros a reavaliarem o seu principal canal de reservas diretas – o website do seu hotel – analisando como é que o site comunica a unidade hoteleira, como é que inspira os seus clientes com a história da sua marca, em que medida os conduz até à reserva efetiva. E deixa algumas dicas para ajudar o setor a obter mais reservas diretas neste verão.

Tendo em conta que o website do hotel é o primeiro ponto de contacto para os hóspedes compreenderem mais sobre o que podem esperar da unidade e do destino, será necessário, segundo a GuestCentric, assegurar que as visitas podem ser convertidas em reservas de estadias, para gerar mais negócio direto.  O primeiro passo é usar o poder visual do website para fazer com que os hóspedes sonhem em visitar o hotel.

Refira-se que um inquérito da Hospitality Net concluiu que a decisão de reservar é 60% emocional e 40% racional. As imagens não só valem mil palavras, como inspiram uma reação emocional nos hóspedes – que os levará a reservar ou a abandonar o website do hotel. Assim, a empresa diz que, usando o poder de fotografias e vídeos, durante a tomada de decisão dos hóspedes, o hotel consegue converter visitas em reservas.

Além disso, é importante saber o que os visitantes querem e orientar as suas decisões de reserva.

“Quando se trata de saber aquilo de que os hóspedes gostam, os hotéis têm uma grande vantagem sobre as OTAs porque observam, em primeira mão, as preferências dos clientes durante a sua estadia”, considera a Guestcentric Systems, para acrescentar que “o hotel deve assumir a liderança no processo de compreender bem os seus hóspedes. Caso contrário, é bem possível que deixe de beneficiar desta posição privilegiada”.

Depois de observar os hóspedes e compreender as suas preferências (ou aversões), há quatro passos que devem ser implementados pelo hotel no seu website: Criar ofertas e serviços em torno do que os hóspedes querem e incentivá-los a reservarem diretamente; Comunicar informações precisas e atualizadas sobre o hotel e destino; Manter e comunicar políticas flexíveis; Falar a mesma língua que os hóspedes.

Finalmente, a empresa destaca que, tal como no website do hotel, o motor de reservas deve encorajar todos os comportamentos ligados à compra em si. Assim, o melhor preço garantido, as ofertas especiais, promoções e alertas de ativação/recuperação de compras irão criar um sentido de urgência e inspirar os visitantes a reservar.

 

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Alojamento

Novo cinco estrelas Art Legacy Hotel abre em Lisboa até ao final do ano

O Art Legacy Hotel vai contar com 53 quartos e cinco suites, e vai funcionar num conceito “top luxury”, ficando localizada na Rua do Ouro, na Baixa lisboeta.

Publituris

O AT Group vai abrir, até ao final do ano, um novo hotel de cinco estrelas em Lisboa, o Art Legacy Hotel, unidade de luxo, com 53 quartos e cinco suites, que fica localizada na Rua do Ouro, na Baixa lisboeta.

Num comunicado divulgado esta quinta-feira, 30 de junho, o AT Group revela que o Art Legacy Hotel vai posicionar-se “num conceito “top luxury”, que se impõe desde logo pela originalidade do Design Mooi, marca de referência na área de decoração a nível internacional”.

“O Art Legacy apresenta-se assim com um diferencial de imagem que, do mobiliário dos quartos e casas-de-banho, aos quadros e outras peças decorativas, assenta na diferenciação, bom gosto e modernidade”, indica o grupo, no comunicado divulgado.

A unidade fica localizada no edifício onde, no passado, funcionaram os escritórios da Companhia de Seguros Sagres, em plena Baixa lisboeta, e que foi reabilita e convertido em hotel pelo arquiteto Luis Rebelo de Andrade.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Atualidade

Cabo Verde: Brava Resort & Conference Center começa a ser construído no verão de 2023

O maior projeto turístico da ilha cabo-verdiana, o Brava Resort & Conference Center, orçado em 35 milhões de euros, deverá começar a ser construído no verão do próximo ano, estima o promotor, que considera que os processos estão bem encaminhados.

Andy Andrade, diretor da caboverdeonline.com, uma sociedade 100%privada, que que está por detrás do projeto Brava Resort & Conference Center, avançou que neste momento se encontra no processo de conclusão do registo da escritura do contrato, segundo notícia publicada na Inforpress.cv.

Após este processo, o investidor deu conta que vai ser concluída a parte da arquitetura e de seguida negociar com o Instituto do Património Cultural (IPC), uma vez que a cidade de Nova Sintra (capital da ilha Brava) é um centro histórico, tendo que seguir alguns processos e procedimentos para a construção dentro da cidade.

O empreendimento Brava Resort & Conference Center é uma parte do projeto “Brava – O Destino”, que vai ser implementada por fases, e que vai ser executado em Nova Sintra. Vai incorporar um conjunto de ofertas de “alta qualidade”, incluindo restauração, spa, aluguer de espaços para conferências, eventos e reuniões, ginásio e infraestruturas de lazer, e que “deverá criar um total de 180 empregos diretos, indica a mesma fonte citada pela agência de notícias de Cabo Verde.

O objetivo do Brava Resort & Conference Center é “transformar” a ilha num destino turístico de conferência, natureza e cultural, com “particular foco” no mercado norte-americano, visando atrair a primeira, segunda e terceira gerações da diáspora cabo-verdiana nos Estados Unidos.

A empresa promotora vai contar vai contar também com os serviços de uma frota de autocarros e carrinhas, bem como uma embarcação construída de raiz que garante o transporte de e para a Brava, além da construção de um porto alternativo.

 

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Alojamento

InterContinental Hotels Group deixa de operar na Rússia

Grupo de hotelaria, que conta com 28 hotéis na Rússia, anunciou a decisão esta segunda-feira, 27 de junho, quatro meses depois do início da guerra na Ucrânia.

Publituris

O InterContinental Hotels Group (IHG) anunciou esta segunda-feira, 27 de junho, que vai suspender todas as suas operações na Rússia, decisão que é tomada quatro meses depois do início da guerra na Ucrânia.

De acordo com o jornal espanhol especializado em turismo Hosteltur, a decisão foi anunciada em comunicado e abrange os 28 hotéis do IHG no país, com cujos proprietários o grupo tem estado em negociações relativamente aos “complexos” contratos de gestão de longo prazo sob os quais as unidades se encontravam a funcionar.

“Estamos agora no processo de encerrar todas as operações na Rússia de acordo com as sanções do Reino Unido, EUA e União Europeia e os desafios contínuos e crescentes de operar lá”, indica o grupo de hotelaria, no comunicado divulgado na segunda-feira.

O grupo recorda também que, assim que começou a guerra, encerrou a sua sede em Moscovo e suspendeu futuros investimentos, assim como novas aberturas de hotéis na Rússia, tendo indicado, logo nessa altura, que não pretendia retomar qualquer investimento no país, num futuro próximo.

Apesar da decisão agora anunciada, o IHG não esclarece em que data deixará, completamente, de operar na Rússia, garantindo apenas que vai continuar a apoiar as suas equipas, tanto na Rússia como na Ucrânia.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

Rede Virtuoso acrescenta Octant Ponta Delgada ao portefólio

Esta é a terceira unidade da Octant Hotels a integrar a rede Virtuoso.

Carla_Nunes

O hotel Octant Ponta Delgada passa a integrar o portefólio de parceiros de viagens de luxo da rede Virtuoso.

Esta é a terceira unidade da Octant Hotels a integrar a rede, seguindo os passos do Octant Vila Monte e Octant Douro – que são preferred partners da Virtuoso desde 2017 e 2021, respetivamente.

A unidade foi admitida na Virtuoso após “critérios de seleção rigorosos e exigentes no que respeita à avaliação dos mais elevados padrões de qualidade e serviço”, de acordo com Vitor Santos, diretor-geral do Octant Ponta Delgada.

A integração nesta rede é vista pela unidade como “uma oportunidade para alargar a oferta e reforçar a notoriedade e prestígio no segmento de luxo”, tal como refere em comunicado, já que “a Virtuoso reúne as melhores agências de viagens e parceiros de luxo do mundo, cujas vendas anuais ultrapassam os 25 mil milhões de dólares americanos”.

“Estamos muito satisfeitos e orgulhosos do caminho que fizemos para chegar até aqui e sentimos que este é um duplo reconhecimento: por um lado, reflete os nossos esforços em garantir um serviço à medida e exclusivo aos nossos clientes e, simultaneamente, testemunha que somos uma referência no segmento de luxo em Ponta Delgada”, declara Vitor Santos.

A coleção Virtuoso reúne atualmente mais de 2.000 hotéis de luxo, resorts, empresas de cruzeiros, companhias aéreas, operadores turísticos e outras entidades de viagens em todo o mundo.

Junta ainda mais de 1.100 agências de viagens espalhadas por 50 países, numa rede que funciona com base em convites a parceiros exclusivos.

Sobre o autorCarla_Nunes

Carla_Nunes

Mais artigos
Homepage

Tarrafal Alfândega Suites é a nova unidade hoteleira da Oásis Atlântico em Cabo Verde

A inauguração terá lugar na próxima sexta-feira, 1 de julho, no novo empreendimento.

Publituris

O grupo Oásis Atlântico vai inaugurar esta sexta-feira, 1 de julho, um novo empreendimento, o Tarrafal Alfândega Suites.

Localizado na Baía do Tarrafal, na Ilha de Santiago, em Cabo Verde, o edifício da antiga alfândega foi agora transformado numa unidade de 20 apartamentos, “todos com vista para o mar”, como indicado pelo grupo em comunicado.

O projeto turístico pretende “valorizar o património cultural, local e nacional, estimulando a economia da região”. Por essa razão, os detalhes arquitetónicos da traça original do edifício histórico foram preservados.

Para além dos apartamentos, o Tarrafal Alfândega Suites dispõe de um espaço de restauração, o “Restaurante Malagueta”, com terraço com vista para o mar e uma ementa que promete “refeições ligeiras e saudáveis”.

O cocktail de inauguração deste empreendimento contará com a presença do primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, bem como de diversas entidades institucionais.

O grupo Oásis Atlântico tem um portefólio de oito hotéis, nomeadamente: Hotel Belorizonte e Hotel Salinas Sea (Ilha do Sal, Cabo Verde); Hotel Praiamar (Santiago, Cabo Verde); Hotel Porto Grande (S.Vicente, Cabo Verde); Hotel Fortaleza e Hotel Imperial, no Brasil, e os hotéis Hotel Saidia Palace & Hotel Blue Pearl, em Marrocos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Portugal entre os destinos mediterrânicos com menor subida nos preços na hotelaria

A Grécia é, segundo uma análise realizada pela Mabrian, a campeã da subida de preços nos hotéis nos destinos mediterrânicos.

Victor Jorge

De acordo com uma análise da Mabrian, Portugal está entre os destinos mediterrânicos onde os preços na hotelaria menos subiu.

Na comparação feita entre os dias 25 de julho e 7 de agosto de 2022 e os mesmos dias de 2019, regista-se que foi na Grécia onde os preços mais subiram.

Efetivamente, no caso dos hotéis de 3*, a Mabrian indica uma estagnação dos preços em Portugal (0%), sendo o Egito o destino mediterrânico que maior subida apresenta (+25%), seguido da Grécia (+19,2%) e da Tunísia (+10,8%).

França apresenta-se como o único destino mediterrânico onde os preços dos hotéis de 3* desceu (-12%) no período analisado pela consultora.

Já nos hotéis de 4*, Portugal apresenta uma subida de 10,4% face ao período em análise que compara os anos de 2022 e 2019. O campeão da subida de preços é a Grécia (+62,7%), seguida do Egito (+40,9%) e da Tunísia (-28,3%). Mas existem destinos onde o preço apresenta uma descida, casos da França e Itália, com baixas de 11,3% e 5,3%, respetivamente.

Finalmente, nos hotéis de 5*, a subida de preços registada em Portugal é superior aos de 4*, já que o preço sobe 18,3% face a igual período de 2019. O líder neste capítulo volta a ser a Grécia, com uma subida de 110%, seguida, novamente, do Egito (+48,3%) e Tunísia (+26,6%).

Espanha, França e Itália registam subidas inferiores às indicadas para Portugal, com a Mabrian a estimar evoluções de 14,2% no caso espanhol e 13,2% e 1% para os hotéis de 5* franceses e italianos.

No campo das descidas, somente a Turquia apresenta um decréscimo nos preços (-9,9%) nos hotéis de 5*.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Homepage

Sleep & Nature Hotel dinamiza terapias do sono em Montemor-o-Novo

A unidade abre em regime soft opening esta quinta-feira, 30 de junho.

Publituris

Esta quinta-feira, 30 de junho, o Sleep & Nature Hotel, em Montemor-o-Novo, abre em regime de soft opening, prometendo aos hóspedes “um sono repousante”, tal como indicado em comunicado.

A unidade de quatro estrelas gerida pela Amazing Evolution localiza-se no Monte do Vagar, freguesia de Lavre, e pretende oferecer “mais do que um sítio para descansar” rodeado pela natureza.

Isto porque o conceito do hotel passa por aproveitar o ambiente envolvente, numa zona calma, para influenciar o bem-estar dos hóspedes, incentivando o contacto com a natureza como forma de melhorar as práticas de sono, através de terapias não-médicas.

Teresa Paiva, especialista em neurologia, é a responsável pelo conceito e desenvolvimento deste projeto. Chama a atenção para o facto de o sono ser “um dos cinco pilares da saúde”, influenciando o risco de “cancro, doenças autoimunes, depressão, demência e doenças cardiovasculares”.

Com uma oferta direcionada para as perturbações relacionadas com o sono e stress, a unidade disponibiliza um ginásio, piscinas interior e exterior, spa, biblioteca e restaurante.

O hotel rural contará com 32 unidades de alojamento, incluindo 8 quartos duplos, 12 quartos duplos com pátio, 7 suites e 5 suites familiares com terraço. Existem também quartos para pessoas com mobilidade condicionada.

A sua localização no Monte Vagar dá o nome ao restaurante desta unidade, com opções que pretendem “revigorar o corpo”, tendo em conta “os sabores da região”.

Da carta fazem parte opções como Polvo à lagareiro com batata a murro e espinafres salteados; Sopa de Cação; Borrego confecionado a baixa temperatura, com texturas de ervilha e hortelã Lombinhos de porco preto grelhados com migas de espargos, enchidos e ameijoas salteadas.

Os alojamentos estão disponíveis a partir de 108 euros e as reservas podem ser realizadas através do website da Sleep and Nature  ou do email [email protected].

A responsável pelo projeto, Teresa Paiva, formou-se em medicina em 1969 e especializou-se em neurologia.

É pioneira na investigação e tratamento de problemas relacionados com o sono, sendo considerada a maior especialista de medicina do sono em Portugal.

O seu trabalho clínico na medicina do sono começou em 1983 no Hospital de Santa Maria e, após uma longa experiência, começou em 1998 o Centro de Medicina e Sono (CENC).

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Golden Residence Hotel Madeira distinguido pela TUI

Unidade madeirense recebeu a distinção TUI QUALITY HOTEL, atribuída com base na qualidade do serviço e nas avaliações feitas pelos clientes da TUI a nível mundial.

Publituris

O Golden Residence Hotel Madeira conquistou a distinção TUI QUALITY HOTEL, atribuída com base na qualidade do serviço e nas avaliações feitas pelos clientes do operador turístico a nível mundial.

O prémio TUI QUALITY HOTEL, que é atribuído pela TUI, um dos principais operadores turísticos da Europa e visa distinguir as unidades hoteleiras reconhecidas pela qualidade do serviço prestado, tendo em conta as avaliações dos clientes de todo o universo TUI, concretamente TUI Alemanha, TUI Bélgica, TUI Holanda, TUI Polónia.

“Esta distinção é um reflexo da nossa dedicação para com os nossos hóspedes. O nosso grau de exigência é elevado, pois queremos providenciar a melhor experiência. Temos equipas altamente qualificadas e focadas em prestar um serviço de qualidade ímpar. Sabermos que estamos a contribuir para a criação de momentos e memórias marcantes é, sem dúvida, enriquecedor. É muito gratificante sabermos que nos destacamos pelas melhores razões”, congratula-se Arcilia Martin, diretora do Golden Residence Hotel Madeira.

Além do reconhecimento enquanto TUI QUALITY HOTEL, o Golden Residence Hotel Madeira tem vindo a ser distinguido pela qualidade do serviço e, este ano, já recebeu vários prémios e recomendações.

Localizado na costa sul da Madeira e com vistas panorâmicas sobre o mar e as plantações de bananas, o Golden Residence Hotel Madeira é uma unidade de quatro estrelas, que conta com 172 quartos, SPA, piscina exterior e interior, restaurante e bar, sendo também uma unidade ‘pet friendly’.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.