Assine já
Hotelaria

GuestCentric identifica tendências para hotéis em Portugal no verão de 2022

Existem sinais de uma procura exponencial pelos hotéis portugueses, com níveis de crescimento que ultrapassam os números pré-pandemia, mas também o surgimento de clientes mais exigentes, dispostos a pagar mais, desde que em troca de experiências realmente diferenciadoras.

Publituris
Hotelaria

GuestCentric identifica tendências para hotéis em Portugal no verão de 2022

Existem sinais de uma procura exponencial pelos hotéis portugueses, com níveis de crescimento que ultrapassam os números pré-pandemia, mas também o surgimento de clientes mais exigentes, dispostos a pagar mais, desde que em troca de experiências realmente diferenciadoras.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Nova Edição: Como atender hóspedes com deficiência pela voz dos próprios
Publituris Hotelaria
GuestCentric compra negócios da Great Hotels of the World
Homepage
Publituris Hoje: Lisboa, Web Summit e inovação
Homepage
Portugal é único país convidado do Conselho Internacional da Google
Homepage

Estas são algumas das tendências identificadas pela GuestCentric, empresa de tecnologia de reservas hoteleiras, para os hotéis em Portugal no verão de 2022, após ter analisado centenas de unidades.

De acordo com a pesquisa da Guestcentric, os hóspedes portugueses representam a maioria dos clientes que reservam diretamente os hotéis do país, seguidos dos EUA e do Reino Unido. Embora os Online Travel Agents (OTA) tenham intensificado os seus esforços de marketing, prevendo-se uma agressividade comercial maior no verão 2022, ainda há muito potencial de crescimento das reservas diretas e, portanto, de maior rentabilidade.

O preço médio diário (Average Daily Rate – ADR) está a atingir em 2022 níveis recorde, especialmente na Europa. A GuestCentric revela que os preços dos hotéis na Europa estão atualmente 31% acima de 2019, enquanto os preços dos das unidades dos EUA estão 13% acima de 2019.

As reservas de última hora continuam a ser a norma, e os dados da GuestCentric mostram que entre 40% a 50% das reservas ainda são feitas para o mesmo mês. Embora seja incerto se esta tendência se manterá durante o verão, a capacidade de gerir rapidamente a procura é nova para muitos hotéis, pelo que é importante que estes continuem a ser suficientemente ágeis para responder em conformidade.

A empresa sublinha, por ouro lado que as reservas, para estadas em hotéis para a segunda metade de 2022 estão atualmente 20% acima dos níveis de 2019.

Ao nível das viagens domésticas a expectativa é que se mantenham estáveis, atingindo os níveis de 2021 ou excedendo-os até ao segundo semestre deste ano; tendendo as internacionais a ultrapassar significativamente os níveis de 2019.

Os consultores de viagens (outrora agentes de viagens) estão a regressar, devido à complexidade das viagens, às constantes mudanças nas rotas aéreas e nos voos, e também à incerteza do mundo pós-pandemia. Diz a GuestCentric que, para o verão de 2022, a procura por pacotes mais simples e para destinos mais próximos pode ultrapassar largamente a de viagens exóticas de longo curso, especialmente no caso das famílias.

Outra das conclusões da análise é que a viagem responsável continua importante. Os hóspedes estão particularmente sensíveis às iniciativas sustentáveis que envolvem a comunidade local do hotel, especialmente no que se refere à utilização de fornecedores de comidas e bebidas locais.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Edição Digital

Edição Digital: Os Meeting Forums, Turismo Religioso e os projetos da hotelaria em aberto

A primeira edição de julho do Publituris faz um balanço dos Meeting Forums e traz a fotoreportagem do evento. Também pode ler o que aconteceu nos X Workshops Internacionais de Turismo Religioso, os objetivos da Associação Ibérica de Turismo do Interior (AITI), bem como o dossier sobre os projetos na hotelaria e o balanço feito pela United Airlines.

A primeira edição de julho do Publituris faz capa com um resumo dos Meeting Forums que juntaram, de 21 a 23 de junho, 17 buyers internacionais com 21 suppliers nacionais.

Além da fotoreportagem, ouvimos os participantes nacionais no evento que revelaram um grande otimismo para o presente ano. Certo é que o segmento MICE está em crescendo, com a procura a ser grande e a exigência por respostas rápidas a ser uma constante, mas para a qual a falta de recursos humanos constitui agora o grande desafio.

O Publituris também marcou presença nos X Workshops Internacionais de Turismo Religioso, em Fátima e na Guarda. Também aqui o otimismo reinou, mas todas as vozes enalteceram que a recuperação está a caminhar muito lentamente, até porque depende de turistas transcontinentais e de mercados que só agora estão a abrir às viagens internacionais.

Nasceu para unir os empresários, valorizar os recursos e aproximar os territórios da Raia no que ao turismo diz respeito, estruturar a oferta deste território comum, criando marcas fortes que coloquem essas regiões de fronteira no mapa turístico ibérico. Por isso, a Associação Ibérica de Turismo do Interior (AITI) tem por objetivos defender o turismo como setor criador de riqueza e sustentabilidade, com base nos seguintes princípios: unir, cooperar, colaborar, comercializar, ligar, sensibilizar, dar visibilidade, exigir, construir e tornar sustentável.

Esta edição traz, também, um “Check-in Especial” dedicado exclusivamente à temática do aeroporto para a região de Lisboa. Depois de anunciado não um, mas dois aeroportos pelo ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, o despacho foi revogado pelo primeiro-ministro, António Costa, pelo quisemos ouvir a opinião dos membros do Conselho Editorial do Publituris sobre esta matéria.

O “Pulse Report”, uma parceria entre o Publituris e a GuestCentric, mostra os dados relativos ao mês de junho, revelando que o “Pick-up” está a desacelerar, mantendo-se, contudo, acima de 2019. O “report” revela ainda dados relativos ao preço médio, procura por datas, cancelamentos, canais e mercados.

Os projetos da hotelaria são o tema do dossier desta edição. Portugal tem, até 2026, mais de 200 projetos de hotelaria em pipeline e, apesar da mudança de conjuntura internacional e do aumento da inflação e dos custos, a grande maioria dos projetos parece manter-se de pedra e cal. Apesar de alguns atrasos, as perspetivas são positivas e muitos dos novos hotéis previstos devem mesmo abrir portas nas datas anunciadas.

Nos “Transportes”, a United Airlines faz um balanço positivo das rotas portuguesas. Ao Publituris, a companhia aérea dos EUA destaca a aposta nos Açores e na rota entre Lisboa e Nova Iorque/Newark, que passou a contar com um avião maior desde março, reforçando a “importância desta rota e de Portugal como destino na rede” da companhia.

As opiniões desta edição pertencem a Jorge Catarino (ISCTE), Pedro Castro (SkyExpert) e António Paquete (economista).

Boas leituras!

Leia aqui a nova edição.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

AHRESP aplaude abertura do Governo para reduzir período de isolamento devido à COVID-19

A associação considera que a “obrigatoriedade de isolamento por, no mínimo, sete dias, veio agravar a já de si difícil disponibilidade de pessoas para trabalhar nos setores da restauração e alojamento turístico”.

Publituris

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) veio esta quarta-feira, 6 de julho, aplaudir a disponibilidade do Governo para reduzir o período de isolamento em caso de contágio pela COVID-19, de sete para cinco dias, destacando que, a confirmar-se, esta mudança “vem responder a um apelo da AHRESP feito logo em dezembro de 2021”.

Num comunicado enviado à imprensa, a associação diz que esta medida vem responder aos pedidos da AHRESP, que já vinha a defender a redução do período de isolamento, uma vez  que a “obrigatoriedade de isolamento por, no mínimo, sete dias, veio agravar a já de si difícil disponibilidade de pessoas para trabalhar nos setores da restauração e alojamento turístico”.

Com a diminuição do número de contágios e de internamentos, a AHRESP considera que é tempo de Portugal reduzir o período de isolamento, à semelhança do que já fizeram “outros países e a própria Região Autónoma da Madeira”.

Recorde-se que a redução do período de isolamento para contágios por COVID-19 foi anunciada como uma possibilidade pela ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, na passada quinta-feira, 30 de junho.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Eurostars Hotel Company integra Exe Praia Golfe

O Exe Praia Golfe, localizado em Espinho, passa a estar integrado no portefólio da cadeia hoteleira do Grupo Hotusa, que explora atualmente um total de 22 hotéis em Portugal.

Publituris

A Eurostars Hotel Company vai explorar um novo hotel em Portugal, o quatro estrelas Exe Praia Golfe, localizado em Espinho, que passa a estar integrado no portefólio da cadeia hoteleira do Grupo Hotusa, que explora atualmente um total de 22 hotéis em Portugal.

“É para nós um motivo de imensa alegria dar um novo passo em frente na consolidação da presença da Eurostars Hotel Company em Portugal e fazê-lo, nesta ocasião, com um estabelecimento do segmento de férias, que nos permite diversificar a nossa oferta. Este tem sido historicamente um mercado estratégico para a nossa empresa, no qual sempre tivemos experiências muito boas e onde esperamos continuar a crescer no futuro”, congratula-se Amancio López Seijas, presidente do  Grupo Hotusa.

Com a integração deste hotel, Portugal passa a ser, depois de Espanha, “o mercado com maior implementação do Eurostars Hotel Company”, que já conta com 1.800 quartos em território nacional, num total de 22 hotéis localizados em Lisboa, Porto, Cascais, Figueira da Foz, Matosinhos, Óbidos e agora também Espinho.

O Exe Praia Golfe é uma unidade de quatro estrelas, localizado na primeira linha de praia e com vistas para o mar, que conta com 136 quartos, SPA e restaurante/bar, além de várias salas de eventos com capacidade para até 350 pessoas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Arrow Global Portugal adquire 75% da Details Hotels & Resorts

A Arrow Global Portugal adquiriu 75% da Details Hotels & Resorts com o objetivo de proceder ao “desenvolvimento e gestão de ativos turísticos”, mantendo-se os restantes 25% do capital nas mãos dos atuais sócios.

Publituris

A Arrow Global Portugal adquiriu 75% da Details Hotels & Resorts com o objetivo de proceder ao “desenvolvimento e gestão de ativos turísticos”, mantendo-se os restantes 25% do capital nas mãos dos atuais sócios.

Num comunicado enviado à imprensa, Francisco Moser, Hospitality CEO da Arrow Global Portugal, explica que a empresa de gestão de ativos considera que este é o momento para aproveitar “a oportunidade de agregação que o mercado hoteleiro português oferece, à semelhança do que tem acontecido a nível internacional”.

“O objetivo é fazermos crescer o portefólio sob gestão, com um investimento previsto em Hospitality que pode ascender a €500 milhões nos próximos cinco anos”, acrescenta o responsável.

A aquisição de 75% do capital da Details Hotels & Resorts, que gere atualmente sete unidades hoteleiras no Algarve e que vai passar a contar, brevemente, com uma unidade de cinco estrelas, já foi concluída, com a Arrow Global Portugal a explicar que os “restantes 25% do capital mantêm-se nas mãos dos atuais sócios”, enquanto João Costa mantém a gestão operacional da cadeia.

“A entrada da Details no perímetro da Arrow Global deixa-nos muito satisfeitos. Acreditamos que podemos juntar a nossa experiência e conhecimento aos diferentes projetos em que o grupo está envolvido”, afirma João Costa, COO da Details Hotels & Resorts.

Além da aquisição de 75% do capital da Details Hotels & Resorts, a Arrow Global Portugal está também a estudar um “pipeline que contempla diferentes oportunidades de negócio localizadas não apenas no Algarve, mas em outras regiões do país”, nomeadamente em Lisboa e Porto.

“Queremos chegar aos principais destinos nacionais. Neste momento, o Algarve é uma escolha natural, por ser uma zona onde já gerimos diversos investimentos e pela forte dinâmica da procura que tem, mas estamos atentos a oportunidades em Lisboa, Porto e outras regiões. A escala é um fator determinante para o sucesso desta nova linha de negócio”, revela João Bugalho, Country CEO da Arrow Global.

A Arrow Global Portugal espera crescer através de negócios que vão desde a aquisição direta de ativos, aos contratos de aluguer ou de gestão de unidades hoteleiras e de apartamentos turísticos e diz que, para tal, conta com a experiência e cooperação que existe entre as várias empresas da Arrow Global em Portugal.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

“Be Our Guest” analisou boas práticas no controlo de custos de uma unidade hoteleira

O impacto do controlo de custos no desempenho financeiro dos hotéis foi tema da segunda conversa da série “Be Our Guest”, o novo projeto da ADHP. A sessão recebeu João Pedro Figueira, diretor de Operações da Ace Hospitality Management.

Publituris

As conversas “Be Our Guest” convidam diretores de hotéis de referência a falar sobre as suas experiências profissionais, a hotelaria e o setor do turismo e são organizadas pela Associação dos Diretores de Hotéis de Portugal na última segunda-feira de cada mês, às 19 horas.

A moderação da sessão ficou a cargo de Fernando Garrido, presidente da ADHP. Em discussão esteve o tema “Boas práticas no controlo de custos de uma unidade hoteleira”, e que pode ser visualizado no seu canal de YouTube: https://youtu.be/Yanygjxf6rc

Numa sessão que contou com diversos associados da ADHP e players do setor, João Pedro Figueira abordou temáticas centrais na discussão do controlo de custos, cada vez mais relevante “pela conjuntura atual”.

O diretor de Operações da Ace Hospitality Management destacou o papel de um bom controlo de custos para a implementação de uma estratégia sólida. “Permite entender melhor o negócio, ajuda a tomar decisões fundamentadas, permite criar um histórico importante para novas estratégias, é uma excelente ferramenta de budget, deteta de forma fácil desvios que podem ser corrigidos a tempo útil”, explicou.

Realçando a componente de F&B como especialmente desafiante para o controlo de custos, João Pedro Figueira elencou um conjunto de boas práticas que resultam na diminuição do desperdício e na entrega de um produto final de elevada qualidade. Entre o acompanhamento da sazonalidade dos alimentos, o correto armazenamento dos ingredientes, o redesenho frequente das cartas e o recurso a máquinas para uma maior segurança alimentar, o gestor apresentou soluções com impacto significativo no desempenho financeiro de um hotel

O responsável analisou ainda, o papel da estandardização para o bom funcionamento de uma unidade, numa altura em que a alta rotatividade de profissionais se tornou num desafio particularmente dispendioso para os hotéis.

“Manuais de procedimentos vão dar segurança a todo o processo [de trabalho] e minimizar custos. Cada vez que conseguimos mostrar a um colaborador, de forma sistemática, como vai ser o dia a dia dele, vai dar-lhe conforto e vai permitir-nos trabalhar de forma sustentada”.

Neste capítulo, João Pedro Figueira alertou para a importância da valorização dos funcionários e para o seu envolvimento nas tomadas de decisões, incidindo sobre a questão dos recursos humanos. o valor dos estágios e da relação entre a academia e o mercado laboral.

O diretor de Operações da Ace Hospitality Management enumerou, por outro lado, um conjunto de ferramentas de análise que asseguram uma gestão de custos mais eficiente e fundamentada, destacando a importância, a nível do diagnóstico e da previsão, dos indicadores de performance (KPI) e da informação histórica.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Anantara Royal Vila Viçosa Resort abre portas em 2024

Com a abertura do Anantara Royal Vila Viçosa Resort, em 2024, a marca passa a contar com duas unidades hoteleiras de luxo em Portugal.

Publituris

O projeto, que se enquadra no âmbito da expansão estratégica da cadeia hoteleira por toda a Europa, resulta de uma parceria estratégica com o grupo português Investaureum, com o objetivo de transformar um antigo mosteiro em Vila Viçosa, edifício icónico do século XV, num hotel de cinco estrelas.

Localizado no centro de Vila Viçosa, conhecida como a “Princesa do Alentejo”, este novo resort será constituído por 50 quartos, 10 suites, 16 residências, uma piscina exterior e interior, três restaurantes, incluindo uma área reservada a jantares, um bar e uma adega. O Anantara Spa, uma sala de fitness e três salas de conferência também farão parte das comodidades do resort.

O design de interiores é liderado pelo estúdio de arquitetura, urbanismo e design, Broadway Malyan, com o objetivo de manter e respeitar a história do edifício e o património de Vila Viçosa. O Anantara Royal Vila Viçosa vai ser distribuído por três pisos e o seu design procurará destacar as caraterísticas dos espaços originais do antigo convento.

A marca estreou-se na Europa em 2017 com o lançamento do Anantara Vilamoura Algarve Resort, seguido de um retiro de luxo em Marbella, o Anantara Villa Padierna Palace Resort. A marca tem prosseguido a sua expansão na Europa, e tem novas aberturas previstas até ao final de 2022.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

chic & basic Gravity hotel celebra 1.º aniversário com oferta de estadias e muitos outros prémios

Além das estadias, neste primeiro aniversário, o chic & basic Gravity hotel vai também oferecer refeições no Restaurante Valentina’s, cocktails no bar do hotel e vales de desconto.

Publituris

O chic & basic Gravity hotel, no Porto, está a comemorar o seu 1.º aniversário e, para assinalar a efeméride, está a oferecer estadias e muitos outros prémios aos hóspedes que, até 15 de julho, fiquem alojados na unidade hoteleira.

Além das estadias na unidade hoteleira, neste primeiro aniversário, o chic & basic Gravity hotel vai também oferecer refeições no Restaurante Valentina’s, cocktails no bar do hotel e vales de desconto.

“Queremos marcar esta data a parabenizar quem nos tem como hotel de eleição. Felizmente temos muitos hóspedes repetentes, mas na sua maioria são turistas que estão de visita à cidade do Porto. Com esta ação estamos, também, a mostrar a essência das gentes da terra, que gostam de receber bem”, justifica o diretor da unidade, Jorge Oliveira.

Para ganhar uma destas ofertas, os hóspedes do chic & basic Gravity hotel apenas necessitam de girar a tombola que se encontra na receção da unidade hoteleira e ter a sorte de lhe sair um dos muitos prémios em jogo, “sendo que é sempre garantido prémio”, segundo o comunicado divulgado.

O chic & basic Gravity hotel conta com 70 quartos e abriu portas em julho de 2021, apresentando um conceito diferenciador, já que se apresenta como um hotel que testa as leias da gravidade, “desde logo por ter uma piscina invertida, sapatilhas coladas no teto, vasos de plantas virados ao contrário ou letras que pairam no ar”.

A experiência começa logo na entrada do hotel, já que para entrarem no chic & basic Gravity hotel os hóspedes têm de passar por um cubo de espelhos que reproduz o seu reflexo ao infinito, enquanto no lobby “as letras parecem suspensas, as plantas estão invertidas no teto, o papel de parede está virado de cima para baixo e ainda existe um grande quadro negro de 11 metros repleto de fórmulas invertidas”.

No entanto, a grande atração “encontra-se no pátio interior e trata-se de uma piscina inversa” que, na realidade, é “uma escultura de arte contemporânea transitável do artista Luis Vidal, que consiste num jardim com uma piscina ao centro, dobrada ao meio, que faz com que tanto a relva do terreno como as plantas, mesas, cadeiras e a própria piscina, subam numa das paredes do playgroung”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

The Lince Santa Clara Historic Hotel & Spa recruta Diretor-Geral e Assistente de Direção

O Lince Santa Clara Historic Hotel & Spa é uma nova unidade de cinco estrelas em Vila do Conde, que tem abertura prevista para dezembro de 2022.

Publituris

O The Lince Santa Clara Historic Hotel & Spa, nova unidade em Vila do Conde, que tem abertura prevista para dezembro de 2022, já abriu o processo de recrutamento para as vagas de Diretor-Geral e Assistente de Direção.

Num comunicado enviado à imprensa, a nova unidade hoteleira da cadeia The Lince Hotels & Resorts, que fica localizada no antigo Convento de Santa Clara, indica que os interessados em apresentar a sua candidatura às vagas de Diretor-Geral e Assistente de Direção devem candidatar-se através do site https://www.thelincehotels.com/recrutamento-tls.

Localizado no topo de uma colina na periferia de Vila do Conde, com excelentes vistas sobre o oceano, o Rio Ave e sobre a própria cidade, o The Lince Santa Clara Historic Hotel & Spa é uma unidade de cinco estrelas, que resulta da requalificação e ampliação do edifício existente e que conta com 89 quartos, incluindo nove suites, uma das quais preparada para hóspedes com mobilidade reduzida.

O hotel vai também disponibilizar biblioteca, livraria, sala de eventos, restauração, piscinas exterior e interior, SPA, além de centro interpretativo dedicado ao património histórico do edifício e adega e prova de vinhos.

“Estas valências, aliadas à riqueza histórica e arquitetónica do edifício, permitem posicionar este produto para o Turismo de Cultura e de Experiências, criando um produto turístico diferenciado, inovador na região e com um posicionamento distintivo”, lê-se num comunicado divulgado esta segunda-feira, 4 de julho.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

NH Hotel Group conta abrir 2.500 novos quartos até 2025 e inclui Portugal

O NH Hotel Group planeia abrir cerca de 2.500 novos quartos entre 2022 e 2025 em vários países, incluindo Portugal. Já assinou contratos para 16 hotéis com quatro de suas marcas, sendo que 45% estão sob o modelo de gestão.

Publituris

A notícia avançada pelo jornal espanhol Hosteltur, cita Ramón Aragonés, CEO da cadeia hoteleira que sustenta que existe uma “grande oportunidade” no segmento de luxo através da marca Anantara e no segmento de férias com a Tivoli.

Durante a Assembleia Geral de Acionistas, Aragonés explicou que há 16 hotéis assinados, e outros em negociação, para abrir nos próximos três anos. O foco está no segmento superior, com contratos de gestão ou participações, e o que se procura é o fortalecimento em mercados-chave.

Cerca de 12% dos novos quartos que vão abrir nos próximos três anos serão divididos entre Portugal, Espanha e França, enquanto 38% estão na América Latina, 30% na Europa Central, e 20% em Itália.

O NH Collection concentra 37% dos futuros quartos, 31% corresponde ao Nhow, 26% ao NH Hotels e 6% à marca de luxo Anantara, segundo aquele jornal.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

GuestCentric deixa dicas para hotéis aumentarem reservas diretas este verão

À medida que os negócios se recompõem no verão de 2022, a Guestcentric Systems considera importante que os hoteleiros continuem a investir nos seus canais diretos e, neste sentido, deixa algumas sugestões para os hotéis aumentarem as suas reservas diretas.

Embora as OTAs (online travel agencies) possam dominar em termos de visibilidade online, os hotéis independentes têm a vantagem de conhecer os seus hóspedes e saber exatamente aquilo que estes gostam de fazer durante as suas estadias, indica este fornecedor de websites hoteleiros.

A GuestCentric desafia os hoteleiros a reavaliarem o seu principal canal de reservas diretas – o website do seu hotel – analisando como é que o site comunica a unidade hoteleira, como é que inspira os seus clientes com a história da sua marca, em que medida os conduz até à reserva efetiva. E deixa algumas dicas para ajudar o setor a obter mais reservas diretas neste verão.

Tendo em conta que o website do hotel é o primeiro ponto de contacto para os hóspedes compreenderem mais sobre o que podem esperar da unidade e do destino, será necessário, segundo a GuestCentric, assegurar que as visitas podem ser convertidas em reservas de estadias, para gerar mais negócio direto.  O primeiro passo é usar o poder visual do website para fazer com que os hóspedes sonhem em visitar o hotel.

Refira-se que um inquérito da Hospitality Net concluiu que a decisão de reservar é 60% emocional e 40% racional. As imagens não só valem mil palavras, como inspiram uma reação emocional nos hóspedes – que os levará a reservar ou a abandonar o website do hotel. Assim, a empresa diz que, usando o poder de fotografias e vídeos, durante a tomada de decisão dos hóspedes, o hotel consegue converter visitas em reservas.

Além disso, é importante saber o que os visitantes querem e orientar as suas decisões de reserva.

“Quando se trata de saber aquilo de que os hóspedes gostam, os hotéis têm uma grande vantagem sobre as OTAs porque observam, em primeira mão, as preferências dos clientes durante a sua estadia”, considera a Guestcentric Systems, para acrescentar que “o hotel deve assumir a liderança no processo de compreender bem os seus hóspedes. Caso contrário, é bem possível que deixe de beneficiar desta posição privilegiada”.

Depois de observar os hóspedes e compreender as suas preferências (ou aversões), há quatro passos que devem ser implementados pelo hotel no seu website: Criar ofertas e serviços em torno do que os hóspedes querem e incentivá-los a reservarem diretamente; Comunicar informações precisas e atualizadas sobre o hotel e destino; Manter e comunicar políticas flexíveis; Falar a mesma língua que os hóspedes.

Finalmente, a empresa destaca que, tal como no website do hotel, o motor de reservas deve encorajar todos os comportamentos ligados à compra em si. Assim, o melhor preço garantido, as ofertas especiais, promoções e alertas de ativação/recuperação de compras irão criar um sentido de urgência e inspirar os visitantes a reservar.

 

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.