Assine já
Meeting Industry

É obrigatório apresentação de teste no Congresso da APAVT

É obrigatória a apresentação de um teste PCR efetuado nas 72 horas anteriores, ou teste antigénio realizado nas 48 horas anteriores à participação no Congresso da APAVT, que acontece de 01 a 03 de dezembro, em Aveiro.

Carolina Morgado
Meeting Industry

É obrigatório apresentação de teste no Congresso da APAVT

É obrigatória a apresentação de um teste PCR efetuado nas 72 horas anteriores, ou teste antigénio realizado nas 48 horas anteriores à participação no Congresso da APAVT, que acontece de 01 a 03 de dezembro, em Aveiro.

Sobre o autor
Carolina Morgado
Artigos relacionados
BTL 2013 promove-se no congresso da APAVT
Homepage
“Concorrência desleal” é preocupação do Capítulo das DMC’s da APAVT
Homepage
APAVT confirma regresso do congresso nacional em dezembro
Homepage
Congresso da APAVT já tem programa
Distribuição

Em circular enviada aos inscritos no seu Congresso, que se realiza de 01 a 03 de dezembro, em Aveiro, a APAVT informa que é obrigatório a apresentação de um teste PCR efetuado nas 72 horas anteriores, ou teste antigénio realizado nas 48 horas anteriores ao evento. 

A APAVT justifica a decisão na sequência das medidas tomadas quinta-feira pelo Governo sobre a assistência a grandes eventos.  

“Não estando ainda clarificado juridicamente o conceito de ‘grande evento’, não é possível classificar o nosso Congresso, que conta neste momento com 718 inscritos, nesta categoria”, indica a circular da Associação, esclarecendo que, “apesar desta circunstância, face ao curto prazo de que dispomos, e para minimizar riscos, optámos por nos preparar para este cenário, ou seja, atuar como se este Congresso da APAVT seja classificado como grande evento”. 

A Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo informa ainda que irá preparar um módulo de apoio no Centro de Congressos, mas alerta que, devido à previsão de um número elevado de participantes, e do curto espaço de tempo disponível, convém realizar um destes testes antes da partida para Aveiro.  

Em resposta, face a estas circunstâncias, a APAVT quer demonstrar “a nossa vontade de trabalhar, e a possibilidade de continuarmos a trabalhar, apesar das novas restrições em que vivemos”, conclui a comunicação. 

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Artigos relacionados
Meeting Industry

Conferência Publituris Hotelaria: “Não há que ter medo da inovação porque ela vai acontecer à mesma”

Esta quinta-feira, 27 de outubro, a inovação no setor da hotelaria lançou o mote para uma sessão da Publituris Hotelaria na DecorHotel, em parceria com a Associação da Hotelaria de Portugal (AHP).

Carla Nunes

Os processos postos em prática pelos hotéis, principalmente durante o período inicial da pandemia, bem como o percurso que ainda falta percorrer nesta área, foram alguns dos pontos debatidos nesta sessão que juntou Rui Martins, CEO SmartLinks e responsável pelo Gabinete Digital da AHP; Jaime Quesado, economista e professor na Faculdade de Economia do Porto; Pedro Serra, diretor-geral de operações do The Editory Hotels; João Rodrigues, Technological Advisor e ex-Country Manager da Schneider Portugal e Miguel Velez, CEO da Unlock Boutique Hotels.

Começando pelos exemplos práticos, Pedro Serra afirma que o período da pandemia foi aproveitado para colocar em prática projetos que já tinham em mente, como o check-in automático, pagamentos contactless e robotização de alguns projetos, “mesmo no backoffice”: “Não é totalmente novo, mas nós não tínhamos”, admite.

Já na Unlock Boutique Hotels, Miguel Velez aponta para a conquista do selo Biosphere em todos os hotéis do grupo, conseguido através de, entre outras medidas, check-in online e concierges digitais.

“Nem sempre a inovação obriga a grandes investimentos financeiros. No nosso caso fizemos o ciclo completo de operações e experiência do cliente, todos os pontos de contacto, para ver onde poderíamos ser mais eficazes e eficientes. [Com base nisso] fizemos um manual para cada um dos hotéis, onde fomos tocando ponto a ponto onde é que poderíamos fazer melhor” explica Miguel Velez, afirmando que esta pode não ser “a inovação no modelo tradicional, mas é um processo contínuo”.

Sobre este assunto, Rui Martins afirmou que, de facto, é necessário “cada vez mais que os competidores de hotéis centralizem dados e extraiam deles padrões”, nos quais devem basear-se para tomar decisões.

“Existem silos de informação, mas depois não existe uma visibilidade sobre os dados, de forma que estes possam ser [utilizados] para tomar decisões. Isto é inovação para nós, mas de inovação não tem nada. É inovação para nós porque não a fazemos”, declara.

A inovação ao serviço dos recursos humanos do setor

Na sua intervenção, Rui Martins aponta ainda que a inovação “acontece muitas vezes por necessidade”. Aportando-se à questão da falta de recursos humanos “nos últimos anos no setor hoteleiro” – não só na “dificuldade de obter bons recursos”, como também em “mantê-los fidelizados” –, o responsável pelo Gabinete Digital da AHP relembra que “a digitalização e a transformação digital ajudam a compor essa necessidade”.

“Ao substituir pessoas por processos automatizados, permitimos que as pessoas façam o que fazem melhor, que é ligar-se a outras pessoas” afirma.

Sobre a possibilidade que a inovação tecnológica possa retirar trabalho no setor, o profissional deixa apenas uma questão: “Quando as pessoas deixaram de usar velas e passaram a usar lâmpadas houve uma transformação do setor, certo?”

Se “não é possível uma máquina transmitir uma emoção ao ser humano”, por outro lado, é possível “resolver problemas de processos que são contínuos, permitindo que essas pessoas sejam desviadas para funções muito mais impactantes” – razão pela qual aponta que “enquanto uma máquina não conseguir causar sentimentos e mostrar empatia, não há nenhum processo de automação que nos possa substituir”.

“Não há que ter medo da inovação. É absolutamente incorreto e desnecessário, porque ela vai acontecer à mesma”, afinca.

Os passos para o futuro

Numa nota final, os intervenientes apontam processos de inovação que ainda estão em falta na hotelaria. Se para Jaime Quesado é “muito importante” criar expetativas em relação ao cliente, apostando no customer experience, para Miguel Velez “é fundamental trazer a escala” para os hotéis.

“[É necessário] transportar a inovação para os hotéis independentes, pequenos, que [caracterizam] a maior parte dos hotéis em Portugal. Praticamente um terço são hotéis de cadeia, dois terços são hotéis independentes. É a mesma história que é no vinho e noutros setores que estavam muito disseminados e foi necessário juntar para ganhar dimensão”, explica o CEO da Unlock Boutique Hotels.

Já Rui Martins é da opinião de que “sem uma boa experiência para o hóspede e centralização de dados, é muito difícil para um hotel sobreviver”, acrescentando ainda que as unidades têm de apostar na diferenciação, em serem únicas, oferecendo algo que só se possa encontrar ali – dando, para isso, o exemplo do H2otel, em Unhais da Serra.

“As pessoas estão dispostas a ir se a experiência for satisfatória”, defende.

Também João Rodrigues partilha da mesma opinião no que respeita à diferenciação dos hotéis, explicando que estes devem “identificar no seu business plan o que tem de ser feito e fazê-lo”. Por fim, Pedro Serra aponta que a inovação no setor passa pela preocupação com a “pegada que os hotéis deixam no sítio em que estão”.

Sobre o autorCarla Nunes

Carla Nunes

Mais artigos

International Golf Travel Market

Meeting Industry

Lisboa acolhe a International Golf Travel Market nos próximos dois anos

Até à data, a maior feira do mundo ligada aos setores do golfe e turismo era realizada todos os anos em locais diferentes.

Publituris

A cidade de Lisboa foi escolhida para acolher as edições de 2023 e de 2024 da International Golf Travel Market (IGTM), a maior feira do mundo ligada aos setores do golfe e do turismo. O anúncio foi feito no jantar de encerramento do evento deste ano, que teve lugar em Roma de 17 a 20 de outubro, como indicado em comunicado.

“A escolha de Lisboa para receber um evento desta dimensão é fruto do trabalho que tem sido desenvolvido para colocar Lisboa no mapa e ser reconhecida pelas suas características tão distintas ao nível da acessibilidade, oferta hoteleira e cultural”, refere Paula Oliveira, diretora executiva da Associação Turismo de Lisboa (ATL).

Assegura ainda que, “certamente, será um evento muito bem organizado e pensado para dar a conhecer o melhor do Golf em Lisboa. O Lisboa Golf Coast já é um produto consolidado, reconhecido internacionalmente e bastante apreciado, com mais de 20 campos de golfe em Cascais, Sintra, Península de Setúbal e Oeste”.

A ATL marcou novamente presença na edição deste ano da IGTM, com um espaço dedicado ao destino e às suas empresas. Durante os quatro dias de evento, Lisboa contou com a participação de nove empresas sob a marca Lisboa Golf Coast.

O International Golf Travel Market é o ponto de encontro a nível mundial da comunidade de viagens de golfe. Centenas de fornecedores do segmento de golfe juntam-se a outras centenas de compradores e jornalistas internacionais para quatro dias de oportunidades de networking e atualizações da indústria.

Até à data, o evento era realizado todos os anos em locais diferentes. Nos próximos dois anos passa a decorrer em Lisboa.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

HotelShop

Meeting Industry

Inscrições para a 7ª Convenção HotelShop já estão abertas

O programa abre com intervenções de profissionais de hotelaria, que abordarão temas como a gestão de custos em F&B, engenharia de menus e gestão de custos na cozinha.

Publituris

Os interessados em participar na 7ª Convenção HotelShop já podem fazer a sua inscrição online. Este ano, o evento bianual organizado pela central de compras HotelShop+SocialShop versa sobre o tema “Gestão Estratégica de Compras”.

A convenção decorre no Hotel Altis Grand, em Lisboa, a 30 de novembro, e as inscrições gratuitas deverão ser realizadas através do website da HotelShop, tal como a organização indica em comunicado.

O programa abre com intervenções de profissionais de hotelaria, que irão abordar temas como a gestão de custos em F&B, a engenharia de menus e a gestão de custos na cozinha. Nestes painéis, os visitantes podem contar com as intervenções de Neale French, consultor no Algarve Hotel Consultant; António Bóia, chef-executivo no restaurante JNcQUOI e Marta Sotto-Mayor, formadora e consultora internacional.

Já da parte da tarde, Carlos Abade, do Turismo de Portugal, fará uma intervenção sobre as perspetivas turísticas para 2023, seguida pelo painel “Logística e custos de abastecimento”, onde os CEOs da Makro, Sogenave e Parmalat/Lactalis serão confrontados com os graves problemas sentidos no abastecimento de matérias-primas e produtos.

Segue-se um painel com Isabel Jonet, presidente do Banco Alimentar Contra a Fome, e o economista João César das Neves, que abordarão o impacto da inflação sobre a estrutura social do país e das IPSS. Haverá ainda espaço para uma sessão com o CEO da Mercedes-Benz Portugal, que explicará as vantagens e custos de aquisição de veículos elétricos.

A fechar os painéis de debate, o político e comentador Luís Marques Mendes dará a sua perspetiva sobre o futuro do turismo e do setor social.

Paralelamente a esta programa, estará a decorrer uma feira de fornecedores, sendo que ao almoço os participantes terão a oportunidade de “contactar com diversas ofertas de produtos e serviços”, bem como “participar em degustações, fast meetings e provas de bebidas”.

O evento termina com a entrega dos Prémios HotelShop+SocialShop, a cargo do apresentador televisivo Jorge Gabriel, referentes à performance dos melhores compradores e fornecedores da hotelaria em 2022.

Será ainda sorteado o prémio de viagem Gergran/Delifrance, no valor de 1.000 euros, bem como vários brindes que incluem estadias em hotéis associados à HotelShop.

Em comunicado, a organização afirma que o congresso “conta habitualmente com mais de 400 participantes”, tendo a pretensão de ser “um fórum aberto de formação em gestão de custos para a hotelaria e uma plataforma de networking entre responsáveis pelas compras e abastecimento de hotéis e IPSS”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

IFEMA Madrid premiada nos World MICE Awards

Os diversos eventos realizados nos últimos anos consolidou a IFEMA Madrid como palco para os maiores eventos MICE do mundo.

Publituris

A IFEMA Madrid foi reconhecida como Melhor Centro de Congressos na Europa e Espanha nos World MICE Awards, tendo a capital espanhola recebido, igualmente, o prémio de Melhor Destino MICE da Europa.

Esta é a terceira vez que a IFEMA vence o prémio enquanto instituição organizadora e dos seus espaços para o turismo de negócios europeu.

O vencedor é escolhido com base nos votos dos profissionais MICE e dos media de todo o mundo. Desde o seu lançamento em 2020, o World MICE Awards ajudou a elevar os padrões no setor MICE, premiando organizações no seu campo em todos os países.

“Este reconhecimento reforça o esforço da IFEMA Madrid para liderar o turismo de negócios internacionalmente, ao mesmo tempo que valida a sua estratégia de negócio e consolida a sua posição como operador e palco de grandes congressos e eventos, graças às suas instalações de nível superior, bem como infraestruturas e serviços que permitiram competir no mercado internacional MICE”, refere José Vicente de los Mozos, presidente do Comité Executivo da IFEMA Madrid.

Apoiada nas novas linhas de negócio que tem vindo a desenvolver nos últimos anos, a atividade MICE na organização e produção de importantes feiras e congressos internacionais continua a ser o core business da IFEMA Madrid. A atividade consolidou-se ao longo de mais de 40 anos de história, durante os quais foi palco de eventos importantes como a Cimeira do Clima das Nações Unidas COP25, a Cimeira da NATO 2022 e a Assembleia da União Interparlamentar da UIP 2021, além de dezenas de grandes congressos especializados, associações profissionais e médicas de todo o mundo.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

Publituris Hotelaria debate inovação no setor na DecorHotel

A Publituris Hotelaria e o jornal Construir (publicação do grupo Workmedia), em parceria com a AHP, irão debater no primeiro dia da DecorHotel a inovação na hotelaria e a sustentabilidade no turismo.

Publituris

A Publituris Hotelaria, em parceria com a Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), vai realizar uma conferência no primeiro dia da DecorHotel, que decorre de 27 a 29 de outubro na Exponor, Porto.

O tema da conferência, que tem início às 14h30, é “Inovar na Hotelaria” e terá como oradores, Liliana Conde (consultora) como speaker inicial, a que se seguirá uma mesa redonda, na qual participarão Rui Martins, CEO SmartLinks e responsável pelo Gabinete Digital da AHP; Jaime Quesado, Economista e Professor na FEUP; Pedro Serra, Diretor-geral de Operações The Editory Hotels; João Rodrigues, ex-Country Manager da Schneider Portugal; e Miguel Velez, CEO da Unlock Boutique Hotels.

Com a pandemia, o setor da hotelaria foi obrigado a adaptar a sua oferta e temas como a digitalização e sustentabilidade entraram, definitivamente, nas estratégias adotadas ou a adotar por parte dos agentes do setor. A questão é se a inovação posta em prática pela hotelaria portuguesa foi suficiente para ir ao encontro das novas necessidades, exigências, preocupações do cliente/hóspede.

A segunda parte da conferência, a realizar no mesmo dia, a partir das 16h45, está a cargo do jornal Construir, publicação pertencente ao universo do grupo Workmedia, na qual será debatido a sustentabilidade no turismo.

Nesta conferência participarão Hipólito Campos de Sousa, da Faculdade de Engenharia do Universidade do Porto (FEUP); Mónica Gonçalves, General Manager do Hilton Porto Gaia; Julião Pinto Leite, da OOD Architecture; André Fernandes, da Ordem dos Arquitetos; e Bento Aires, da Ordem dos Engenheiros.

A participação nas duas conferências é gratuita, com inscrição aqui.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

Portugal será o centro do enoturismo mundial em fevereiro de 2023 com a Wine & Travel Week

O mundo do enoturismo vai encontrar-se em Portugal entre os dias 20 e26 de fevereiro do próximo ano, naquilo que será a Wine & Travel Week, uma feira internacional que trará ao até ao nosso país dezenas de operadores internacionais dedicados à promoção e à comercialização de programas e produtos turísticos que aliam o vinho ao turismo e aos territórios.

Publituris

A primeira edição da Wine & Travel Week, promovida pela Essência, com os apoios do Turismo de Portugal e das Great Wine Capitals, a rede de capitais dos grandes vinhedos do mundo, terá lugar de 20 a 26 de fevereiro de 2023, e será composta por uma série de momentos.

Trata-se, segundo a organização, de uma feira profissional que congrega projetos e marcas ligados ao enoturismo, onde serão igualmente possíveis reuniões B2B para contacto e/ou estabelecimento de parcerias de negócios, e um fórum de troca de conhecimentos, partilha de tendências e apresentações de estudos de casos internacionais, ao mesmo tempo que terá um programa de experiências paralelas que percorrerá diferentes regiões portuguesas que apostam no enoturismo, dirigido a compradores de vários mercados emissores e a uma comitiva internacional de jornalistas convidados.

A feira profissional, as reuniões e o fórum serão realizados no edifício da Alfândega do Porto, entre os dias 20 a 22 de fevereiro, enquanto o programa de experiências pelas diferentes regiões decorrerá de 23 a 26 de fevereiro.

A semana culminará com a realização da 19ª edição do evento Essência do Vinho – Porto, “a principal experiência do vinho em Portugal”, no Palácio da Bolsa, de 23 a 26 de fevereiro.

A empresa que promove a iniciativa, considerada hoje uma referência na produção de eventos de vinho e de gastronomia em Portugal, atuando igualmente na divulgação de vinhos portugueses noutros mercados – europeus, americanos e asiáticos, recorda, em nota de imprensa que o vinho e a gastronomia constam dos principais motivos de interesse dos milhões de visitantes estrangeiros que têm viajado até Portugal e que a indústria global do enoturismo apresenta atualmente taxas significativas de crescimento.

As mais recentes estimativas apontam para que em 2025 seja atingida a fasquia dos 100 milhões de enoturistas em todo o mundo, o que poderá representar um impacto positivo de 45 mil milhões de euros na economia global.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

Web Summit prevê 70 mil participantes, 2.600 startups e empresas e mais de mil investidores

O ministro da Economia e Mar, António Costa Silva, afirmou esta quinta-feira que a edição deste ano da Web Summit contará com mais de 70.000 participantes, acima de 2.600 startups e mais de mil investidores.

Publituris

António Costa Silva, citado pela Agência Lusa, falava no Hub Criativo do Beato, numa conferência de imprensa conjunta com o cofundador da Web Summit Paddy Cosgrave, a propósito do evento que arranca já no início de novembro em Lisboa.

“Os números que estamos à espera” são de “mais de 70.000” participantes, “mais de 2.600 ‘startups’ e empresas, mais de 1.000 investidores”, referiu o governante.

A Lusa cita ainda a organização da Web Summit, aquela que é considerada a maior cimeira tecnológica a nível mundial, que indica que esgotou os bilhetes mais cedo do nunca, espera mais de 70.000 participantes, 2.630 startups e empresas, 1.120 investidores e terá 1.040 oradores a viajar para Lisboa.

Os dados da edição deste ano “confirmam os níveis” de participação pré-pandemia, afirmou o ministro, salientando que o evento “será bem sucedido”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

“Desafia o teu caminho” é o tema do RoadShow do Fórum Turismo

A iniciativa do Fórum do Turismo percorrerá 20 localidades de Norte a Sul do país.

Publituris

O “RoadShow: Desafia o teu caminho”, organizado pelo Fórum do Turismo, tem início no dia 25 de outubro e tem duração de, aproximadamente, um mês. A iniciativa pretende que que os estudantes analisem o seu percurso profissional, através de um conjunto de experiências.

Durante um mês, o “RoadShow: Desafia o teu caminho” vai percorrer cerca de 20 escolas de Norte a Sul do país, todas elas com cursos de Turismo e Hotelaria, passando por: Lisboa, Setúbal, Viana do Castelo, Barcelos, Vila do Conde, Porto, Peniche, Coimbra, Santarém, Vila Real de Santo António, Portimão e Faro.

“Para além de desafiar os estudantes a analisarem o seu percurso profissional e/ou pessoal até ao momento, apresentará também um conjunto de experiências possíveis, que ajudarão a desenvolver o percurso até à empregabilidade”, refere a organização em comunicado.

Anualmente, o Fórum Turismo organiza o RoadShow com o objetivo de aproximação da comunidade escolar, para levar aos estudantes temas pertinentes sobre o setor, de forma a conseguir envolvê-los de forma ativa. Este ano, a Travel Generation juntou-se à iniciativa como parceira do Fórum Turismo, sendo a primeira uma agência dedicada às viagens escolares e de grupo.

Projetos como o Tomorrow Tourism Leaders (TTL), uma competição nacional de turismo, o ENETUR, um encontro nacional de estudantes de turismo, a Viagem à FITUR, a Bolsa de Empregabilidade, entre outros, são algumas das experiências a apresentar. Todas estas iniciativas, que os estudantes podem participar, trazem benefícios como a saída da zona de conforto, a coragem de arriscar, o conhecimento de novas culturas e o networking.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

Euromonitor revela inovações no digital e nas viagens sustentáveis no WTM 2022

Durante o World Travel Market London 2022 realizar-se-ão diversas conferências. Uma delas será da responsabilidade da Euromonitor que abordará o tema do digital e das viagens sustentáveis.

Publituris

A Euromonitor irá revelar o que de melhor se faz e pode fazer nas viagens digitais e sustentáveis bem como na relação com o consumidor durante o World Travel Market (WTM) London 2022.

A sessão “Powered Up: Driving Travel Forward with Digital and Sustainable Innovation”, que decorrerá no dia 9 de novembro, das 12h30 às 13h30, centrar-se-á em como as marcas e destinos de viagens estão a lidar com os desafios de hoje, como inflação crescente, mudanças nas procuras dos viajantes e a necessidade de fazer a transição para um futuro de emissões zero.

Caroline Bremner, Senior Head of Travel Research at Euromonitor, refere que “a inovação está a acontecer de muitas formas diferentes nas viagens, seja no ‘front-end’ com novas ofertas de produtos digitais e sustentáveis ou no ‘back-end’ para impulsionar a descarbonização em todo o setor. Novas tecnologias vistas no metaverso estão a ser aproveitadas por marcas e destinos que experimentam mundos virtuais para aumentar a descoberta, o prazer e criar novos fluxos de receita”.

De referir que uma análise recente da consultora revela como as empresas de viagens estão a inclinar-se para o digital, ‘consumer-centric’ ou inovação sustentável para captar a procura do consumidor, mitigar a dinâmica atual do mercado e impulsionar o crescimento.

A análise demonstra ainda que, em 2022, a tecnologia pode facilitar o aumento espiral dos custos, com mais empresas de viagens a fornecer aplicações móveis aos seus clientes (45%), correspondendo a um aumento impressionante de oito pontos percentuais em relação ao ano anterior.

A outra preocupação reside nas crescentes preocupações com o custo de vida e a probabilidade de os consumidores não valorizarem as opções de viagens sustentáveis. No entanto, a pesquisa do Euromonitor sugere que os consumidores continuam preocupados com a crise climática e a apoiar as empresas locais, além de combaterem a pegada de carbono.

Do lado da organização, Juliette Losardo, Exhibition Director do World Travel Market London, considera que a sessão da Euromonitor está “perfeitamente alinhada com o tema deste ano da WTM: ‘O Futuro das Viagens Começa Agora’”.

“Os participantes ouvirão exemplos fascinantes e inspiradores de como a indústria está a avançar com soluções inovadoras e engenhosas para os problemas que todos enfrentamos – como expandir o mercado, mas também crescer de maneira sustentável e responsável”, diz Losardo.

“A tecnologia de viagens está a avançar rapidamente para acompanhar a procura pós-pandemia, por isso é essencial que os profissionais do setor estejam atualizados com os desenvolvimentos mais recentes.”

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

SETCS Rita Marques participa na 22.ª edição do Global Summit do WTTC na Arábia Saudita

“Travel for a Better Future” é o tema da 22.ª edição do Global Summit do WTTC que contará com a presença da Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques. O evento realiza-se em Riade (Arábia Saudita), de 28 de novembro a 1 de dezembro de 2022.

Publituris

“Travel for a Better Future” (Viajar para um futuro melhor) é o tema da 22.ª edição do Global Summit organizado pelo World Travel & Tourism Council (WTTC) e que contará com a participação da Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços (SETCS), Rita Marques.

O evento que se realizará, em Riade, na Arábia Saudita, de 28 de novembro a 1 de dezembro de 2022, o evento terá, segundo a organização, como foco “o valor do setor do turismo, não apenas para a economia global, mas para o planeta e comunidades no mundo”.

Durante esta 22.ª edição do Global Summit, líderes do setor e entidades governamentais internacionais de todo o mundo reunir-se-ão em Riade para “continuar a alinhar esforços para apoiar a recuperação do setor e enfrentar os desafios que o futuro representa para garantir viagens e turismo mais seguros, resilientes, inclusivos e sustentáveis”.

Entre os primeiros participantes e oradores do evento estão Anthony Capuano, CEO da Marriott International; Paul Griffiths, CEO da Dubai International Airports; Christopher Nassetta, presidente e CEO da Hilton; Matthew Upchurch, presidente e CEO da Virtuoso, e diversos ministros do Turismo mundiais, entre outros.

Julia Simpson, president e CEO do WTTC, refere, em comunicado, que “o Governo da Arábia Saudita tem sido fundamental na recuperação do setor global das viagens e turismo após dois anos de crise”.

Preparado para se tornar um importante destino turístico, Julia Simpson considera, com base na análise efetuada pelo WTTC, que “o setor das viagens e turismo da Arábia Saudita superará os níveis pré-pandemia no próximo ano e verá o crescimento mais rápido em todo o Médio Oriente na próxima década.”

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.