CEO da Ryanair diz que Wizz e easyJet terão de “fundir-se ou ser absorvidas”

Por a 13 de Setembro de 2021 as 15:01

Depois de notícias que davam conta de uma oferta de aquisição feita por parte da Wizz Air sobre a easyJet, recusada por esta última, Michael O’Leary, CEO da Ryanair, afirmou ao Financial Times (FT) que estas duas companhias “teriam de se fundir, ou mesmo ser absorvidas pelo resto da indústria, numa altura em que o setor se tenta consolidar no pós-pandemia”.

O’Leary sugeriu mesmo que as grandes companhias, como IAG, Lufthansa ou Air France, “poderiam, eventualmente, tentar comprar companhias rivais, sejam low cost ou não”.

“A consolidação tem de acontecer e irá acontecer, é inevitável”, admitiu O’Leary,

O CEO da Ryanair acredita ainda que “as companhias aéreas precisam de grande escala para sobreviver e que o fragmentado mercado europeu é insustentável a longo prazo”.

“Muitos governos europeus não estão dispostos a perder as suas companhias aéreas nacionais depois de terem injetado ajudas”, afirma O’Leary, garantindo que, de momento, a Ryanair não irá procurar qualquer negócio que prejudique a sua eficiência operacional, logo, qualquer fusão/aquisição.

Contudo, deixou uma revelação: “fiz três ou quatro tentativas para comprar a Wizz [ao investidor norte-americano Bill Frankie antes da companhia ter entrada na bolsa de Londres, em 2015], mas nunca concordamos com o preço”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *