Sobe para 116 o número de concelhos em risco e com medidas mais restritivas

Por a 22 de Julho de 2021 as 17:28

O número de concelhos em risco  elevado e muito elevado para a COVID-19 subiu para 116, representando já 41,7% do território nacional, nos quais se mantêm em vigor medidas mais restritivas contra a pandemia, como o recolher entre as 23h00 e as 05h00, revelou esta quinta-feira, 22 de julho, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva.

“Esta semana não são alteradas nenhumas regras e o que acontece é que a pandemia é controlada pela eficácia da matriz, pelo cumprimento das regras da matriz, e temos hoje 116 concelhos em risco elevado e muito elevado”, disse a governante, na conferência de imprensa no final do Conselho de Ministros, citada pela Lusa.

No total, esta semana, o país tem 61 concelhos em risco muito elevado e 55 em risco elevado, contabilizando um total de 116 territórios em maior risco, quando a semana passada eram 90, já que o número de concelhos em risco muito elevado subiu de 46 para 6, enquanto os territórios em risco elevado passaram de 44 para 55.

Além dos concelhos em risco elevado e muito elevado, há ainda 29 municípios em situação de alerta, por registarem, pela primeira vez, uma taxa de incidência superior a 120 casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias (ou superior a 240 se forem concelhos de baixa densidade populacional).

Nos concelhos de risco elevado e muito elevado mantêm-se em vigor medidas mais restritivas, como o teletrabalho obrigatório , espetáculos culturais até às 22h30, assim como restaurantes, cafés e pastelarias (no interior com o máximo de quatro pessoas por grupo e em esplanadas com o máximo de seis pessoas por grupo), com a particularidade de que às sextas-feiras a partir das 19h00 e aos sábados, domingos e feriados durante todo o horário de funcionamento, o acesso ao interior dos restaurantes ser limitado apenas aos portadores de certificado digital de vacinação ou teste negativo à COVID-19. Nos concelhos de maior risco, aplica-se ainda a limitação da circulação na via pública, diariamente, entre as 23h00 e as 05h00.

Nos concelhos de risco muito elevado estão ainda em vigor restrições para os casamentos e batizados, que devem ter até 25% da lotação, enquanto os ginásios não podem ter aulas de grupo; o comércio a retalho alimentar funciona até às 21h00 durante a semana e até às 19h00 ao fim de semana e feriados, enquanto o comércio a retalho não alimentar funciona até às 21h00 durante a semana e até às 15h30 ao fim de semana e feriados.

Já nos concelhos de risco elevado são permitidos casamentos e batizados com 50% da lotação, prática de todas as modalidades desportivas, sem público, e de atividade física ao ar livre e em ginásios, enquanto o comércio a retalho alimentar e não alimentar pode funcionar até às 21h00, os eventos no exterior devem ter diminuição de lotação, a definir pela Direção-Geral da Saúde (DGS), e as Lojas de Cidadão funcionam apenas com atendimento presencial por marcação.

Em todo o território continental, mantém-se a exigência de certificado digital ou teste negativo para acesso a estabelecimentos turísticos e de alojamento local.

O Concelho de Ministros aprovou ainda uma resolução que prolonga a situação de calamidade em Portugal Continental até 8 de agosto.
“O Conselho de Ministros aprovou uma resolução que prorroga a situação de calamidade em todo o território nacional continental até às 23:59 do dia 8 de agosto de 2021 e altera as medidas aplicáveis a determinados concelhos”, refere o comunicado divulgado após o Conselho de Ministros.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *