Serra da Gardunha apresenta-se como um atrativo turístico para o verão

Por a 30 de Junho de 2021 as 10:52

Trata-se de um percurso circular que começa e termina nas Casas de Alpedrinha, pelo qual o caminhante, num trajeto de aproximadamente seis quilómetros e dificuldade entre fácil e moderada, passa pela vila e pela serra.

Para garantir a segurança dos turistas e dos moradores da região que têm interesse em traçar esse itinerário, é possível contar com a presença de um guia, contratado atempadamente junto ao Posto de Turismo do Fundão.

A oportunidade de conhecer as tradições e todos os pontos de visitação da Vila de Alpedrinha é apenas uma das vantagens propiciadas aos que decidem trilhar o Caminho do Anjo da Guarda. Alpedrinha é uma terra conhecida por seus solares ancestrais, de arquitetura ímpar, e por suas belas fontes, onde correm as águas cristalinas da Gardunha (como exemplo, há o monumental chafariz de D. João V).

Construções autênticas e edifícios históricos, caminhos romanos, mistérios, lendas e até a passagem das tropas de Napoleão pela Vila, fazem da caminhada pelas ruas estreitas uma viagem no tempo, em uma espécie de museu a céu aberto. Pouco mais de 1.000 habitantes povoam uma área de 18,22 quilómetros quadrados, o que torna a visita à Vila ainda mais intimista.

De resto, na zona protegida da Gardunha, na Beira Baixa, não faltam florestas, riqueza geológica, cerejais com frutos em abundância, além de rebanhos e aves que formam a fauna da região. Aos entusiastas do desporto e do turismo rural, os percursos que apresentam as maravilhas da natureza podem ser feitos com a devida preparação (chapéus, garrafas de água, sapatilhas e vestimentas confortáveis, além de alimentos leves, como frutas ou barras de cereais, são essenciais).

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *