Ávoris quer aumentar operação para Punta Cana e aposta na promoção

Por a 9 de Junho de 2021 as 13:17
Nuno Fouto, delegado comercial da Avóris em Portugal.

A Ávoris Travel quer incrementar o número de voos a partir de Portugal para a República Dominicana nas próximas semanas. A operação que liga Lisboa a Punta Cana arrancou no passado dia 24 de maio, através do operador turístico Jolidey. A já elevada procura e o aumento do número de reservas fazem antever um verão otimista para o grupo que conta, atualmente, com um voo a partir da capital portuguesa às segundas-feiras e que estará a operar até outubro.

A partir de 20 de julho e até 20 de setembro, é a vez do Porto iniciar a ligação com a cidade dominicana no novo avião da Iberojet, o A330-900neo. Contudo, está em cima da mesa a possibilidade de concentrar a operação toda em Lisboa. “As vendas estão a correr a um bom ritmo e estamos a ponderar colocar mais um voo a partir de Lisboa. Mas, no Porto, queremos ver como corre a operação. Se por acaso não encher passamos o voo do Porto para Lisboa. Em termos de garantia, Lisboa vai sempre continuar”, explica ao Publituris Nuno Fouto, delegado comercial da Ávoris em Portugal.

O primeiro voo que arrancou de Lisboa registou uma ocupação de 60% sendo que os seguintes “estavam praticamente cheios”, garante o responsável que desenha perspetivas otimistas para os próximos meses. “A partir e 15 de agosto e até à primeira semana de setembro os voos estão cheios. Esperamos que o Porto reforce para que possamos reforçar também em Lisboa”, adianta.

Além da operação em Portugal, a Ávoris promove ainda quatro voos semanais com partida da capital espanhola, Madrid, para Punta Cana.

Promoção de Punta Cana como destino seguro é prioridade
A incerteza ainda provocada pela pandemia faz antever um elevado número de reservas à última hora e o operador turístico está também a oferecer a possibilidade de os cancelamentos serem feitos com uma semana de antecedência.

Nuno Fouto atesta que Punta Cana é um destino “com bastante procura” e que existe um maior nível de confiança devido ao facto de todos os trabalhadores do turismo da República Dominicana já terem sido totalmente vacinados. Este é, aliás, um dos argumentos principais do governo do país para o facto de não exigir um teste PCR aos turistas para entrarem na República Dominicana, à exceção de viajantes provenientes do Brasil, África do Sul e Índia.

“Apesar de não ser exigido teste PCR à entrada, os passageiros têm feito os testes por iniciativa própria. Nós seguimos as indicações do próprio país que fez um grande esforço em vacinar todas as pessoas do turismo. Acreditamos que são poucos os clientes que saem fora da bolha do turismo. Por parte dos clientes, cabe a cada um decidir se faz o teste PCR ou não mas nós não podemos contornar as leis do país. Se a República Dominicana não pede testes aos turistas também não o podemos fazer”, justifica o porta-voz da Ávoris.

Nos últimos dias o número de infetados por COVID-19 na República Dominicana tem aumentado, com uma média diária de 1281 novos casos, de acordo com os últimos dados divulgados pela agência Reuters,  o que levou o governo a estabelecer o recolher obrigatório a partir das 17h00, entre outras medidas de mitigação da propagação do vírus, como a proibição de venda e consumo de bebidas alcoólicas em espaços públicos a partir das 15h00 – norma não aplicada aos hotéis e resorts.

Apesar do cenário, Nuno Fouto acredita que o destino cumpre as normas de segurança, principalmente nos espaços para os turistas e que importa continuar a apostar num regresso à normalidade.  “O aumento de casos também está a existir em Portugal e as pessoas também não podem parar. A nossa maior preocupação é verificar se os hospitais têm tido maior afluência ou não. Tem-se verificado um aumento de casos mas na área da saúde não tem sido como em janeiro, altura em que o aumento de casos se repercutiu nos hospitais”, aponta, assegurando que “mesmo com este aumento de casos as pessoas têm procurado fazer reservas”.

“Não podemos, de alguma forma, estar parados e andar neste ‘vai e vem’ e ficar alocados à espera que dos apoios do governo porque, no caso da Ávoris Travel, não tivemos praticamente nenhum apoio, tirando os lay-offs”, adianta.

A Ávoris Travel tem apostado em diversas iniciativas de promoção e espera que o fruto deste trabalho seja transmitido de forma clara entre as agências de viagem e os clientes.

“Temos desenvolvido várias campanhas e tem sido feito um esforço de comunicação da nossa parte, em termos de formação, com vários ‘training’, que são iniciativas que desenvolvemos há cerca de um ano, para estarmos em contacto com os agentes de viagem. Temos fomentado famtrips para que os agentes de viagem tenham um contacto real em termos de segurança e de serviço. E esperamos que as agências consigam transmitir isso. Tem de ser  desenvolvido um maior esforço junto dos clientes por parte das agências de viagem”, pede.

Famtrip reúne 30 agentes de viagens e jornalistas em Punta Cana
Inserida na estratégia de promoção do destino, a Ávoris, através do operador turístico Jolidey, em colaboração com o Ministério de Turismo da República Dominicana (MITUR), organizaram uma famtrip para o destino nas Caraíbas entre 31 de maio e 7 de junho, com cerca de 30 agentes de viagens e jornalistas, onde se incluiu o Publituris.

O programa inclui a visita a Punta Cana, Isla Saona e Santo Domingo bem como a inspeção a vários complexos hoteleiros do portefólio do grupo como  o Barceló Hoteles, RIU Hotels & Resorts, Be Live Hoteles, Melià Hoteles & Resorts, Palladium Hotel Group, Impressive Resorts & Spas, AM Resorts e Ocean by H10 Hotels.

A reportagem da famtrip à República Dominicana poderá ser lida em breve na edição impressa do Publituris.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *