Alivio de restrições anunciado por Espanha e França para vacinados é “passo na direção certa”, diz IATA

Por a 9 de Junho de 2021 as 17:15

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) veio esta quarta-feira, 9 de junho, saudar o alivio das restrições para passageiros vacinados contra a COVID-19 anunciado por Espanha e França, considerando que a decisão se trata de um “passo na direção certa”, ainda que seja necessário muito mais para restaurar a conectividade, já que continua a não existir uma harmonização de medidas na Europa.

“É encorajador ver mais países europeus a tomar medidas para reabrir as fronteiras. Estes países reconhecem a oportunidade criada pela vacinação e estão a tornar as viagens mais acessíveis com o uso de testes de antígenos. Mas essa abordagem não é universal, pois muitos estados europeus ainda não relaxaram significativamente os procedimentos nas fronteiras”, destaca Willie Walsh, diretor geral da IATA, citado num comunicado enviado à imprensa.

Para o responsável, esta “fragmentação” deve ser substituída “por uma abordagem unificada e que seja consistente com as recomendações da União Europeia”, uma vez que a reativação da mobilidade vai trazer benefícios para “pessoas, empresas e economias”.

No comunicado divulgado, a IATA considera que as decisões de Espanha e França vêm “amenizar o desapontamento” causado pelo fracasso da implementação de medidas harmonizadas em toda a Europa e pela “profunda frustração com a falta de coordenação” entre os governos em todo o mundo, com vista à adoção de uma abordagem de gestão de risco com base em dados concretos para restabelecer a liberdade de viajar.

Recorde-se que a Espanha reabriu, a 7 de junho, as fronteiras para a maior parte dos viajantes que já estejam vacinados contra a COVID-19, permitindo também que os cidadãos da união europeia possam entrar no país com um teste de antígeno negativo, enquanto os passageiros de países considerados de “baixo risco” passam a poder entrar no país sem quaisquer restrições.

Já a França reabriu fronteiras esta quarta-feira, 9 de junho, para todos os viajantes vacinados contra a COVID-19, com exceção dos países considerados de ‘alto risco’, enquanto os passageiros com origem em países  de risco moderado devem apresentar um teste negativo, seja PCR ou antígeno, devendo os passageiros não vacinados com origem nestes países realizar um período de auto-isolamento de sete dias.

A IATA exalta ainda os países a terem uma “abordagem consistente em toda a Europa”, de forma a que o Certificado Digital COVID-19 da UE possa entrar em vigor a 1 de julho, assim como os governos de todo o mundo a permitirem que os certificados digitais sejam integrados em aplicações digitais, como o IATA Travel Pass, para aliviar a pressão nos aeroportos e nas fronteiras.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *