IATA alerta para colapso do tráfego aéreo se projeto do Céu Único Europeu não avançar

Por a 20 de Abril de 2021 as 18:07

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA, sigla em inglês) veio esta terça-feira, 20 de abril, alertar que o tráfego aéreo europeu pode entrar em “colapso” se os estado-membros da União Europeia não apoiarem a proposta da Comissão Europeia para a criação do Céu Único Europeu (SES, sigla em inglês), que visa reformar o fragmentado sistema europeu de gestão do tráfego aéreo.

“A Comissão Europeia tem tentado demonstrar os benefícios do SES desde o início dos anos 2000. Mas a inação dos estados levou a que nenhuma de suas metas tenha sido alcançada. A nova legislação, tal como proposta pela Comissão, é a única forma de forçar a reforma e as melhorias que são desesperadamente necessárias”, considera Willie Walsh, diretor geral da IATA, citado num comunicado divulgado pela associação.

O diretor geral da IATA acusa os principais estados-membro da União Europeia de “intransigência e egoísmo”, numa atitude que, acrescenta, “ameaça colapsar o último esforço da Comissão”.

Para a IATA, o projeto do Céu Único Europeu “é vital para uma indústria europeia de transporte aéreo segura, sustentável e eficiente”, uma vez que vai trazer benefícios ao nível da segurança, pontualidade dos voos e capacidade disponibilizada, assim como ao nível das emissões poluentes da aviação .

“A crise da COVID-19 tornou os ganhos de eficiência do SES mais críticos do que nunca. E a crise climática torna os benefícios da sustentabilidade essenciais. A Europa fala bem sobre a importância da sustentabilidade e da competitividade. É hora de colocar em ação essas palavras”, acrescenta o diretor geral da IATA.

Para a IATA, o projeto do Céu Único Europeu da Comissão Europeia é a que melhor responde aos desafios do setor, uma vez que prevê a criação de “reguladores económicos nacionais poderosos e independentes e uma agência reguladora em toda a UE” e o reforço da gestão da rede pan-europeia para melhorar a eficiência.

A IATA lamenta ainda que vários estados-membro da  UE estejam a “bloquear as reformas em favor de uma visão alternativa que enfraquecerá as metas e a supervisão regulatória”, algo que diz ser “totalmente inaceitável” e que pode “levar ao colapso todo o pacote de reformas”.

“Uma falha catastrófica da proposta da Comissão levaria anos para se recuperar. Teríamos perdido uma oportunidade real de mudança. E o meio ambiente e a economia europeia pagarão um preço alto por isso, juntamente com os viajantes e as companhias aéreas. É hora de os estados porem fim a anos de manobras políticas míopes e paralisia administrativa, e apoiar a proposta da Comissão de finalmente entregar um Céu Único Europeu”, conclui Willie Walsh.

A concluir o comunicado divulgado, a IATA aproveita ainda para exortar os ministros dos Transportes, que a 3 de junho participam no Conselho dos Transportes, a adotarem uma “abordagem geral mais ambiciosa e em conformidade com a proposta da Comissão”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *