Regressão do confinamento em Odemira “penalizará seriamente” economia local, denuncia Rota Vicentina

Por a 19 de Abril de 2021 as 11:32

Associação Rota Vicentina veio esta sexta-feira, 16 de abril, manifestar-se “seriamente preocupada com a decisão do Governo de fazer regredir as medidas de confinamento no Concelho de Odemira”, medida que, segundo comunicado da associação, “penalizará seriamente toda a economia local e atividades várias que têm ficado à margem da evolução da pandemia no concelho”.

No comunicado enviado à imprensa, a Associação Rota Vicentina pede uma “reavaliação urgente desta decisão, com uma verificação rigorosa da real situação pandémica do Concelho de Odemira”, uma vez que, defende, “sendo compreensível que será difícil analisar cada situação caso a caso, o Concelho de Odemira requer uma análise particular”.

E a associação aponta dois motivos para essa análise particular, desde logo devido ao facto de Odemira “ter uma população permanente que não é considerada residente, o que altera drasticamente os indicadores de referência”, mas também porque “procedeu a uma campanha de testagem massiva nas últimas semanas”.

“O país tem lutado a nível europeu por uma avaliação que considere as taxas de testagem, e não é justo que o mesmo critério não seja aplicado a nível interno, sendo que Odemira procedeu a uma campanha de testagem massiva nas últimas semanas que, sendo essencial ao controle da situação, deve ser devidamente ponderada nos indicadores”, aponta a Associação Rota Vicentina.

Recorde-se que, na última quinta-feira, 15 de abril, o Conselho de Ministros decidiu que os concelhos com maior incidência de casos de COVID-19 vão voltar a contar com medidas mais restritivas, voltando, nomeadamente, a ser proibida a circulação entre concelhos e a ser apenas permitida a venda ao postigo nos estabelecimentos comerciais.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *