“É importante promover as competências digitais”

Por a 14 de Abril de 2021 as 15:35

Natalia Bayona, directora dos departamentos de Inovação, Educação e Investimentos da Organização Mundial do Turismo  (OMT), que integrou recentemente o Digital Bord do grupo Sommet Education, fala ao Publituris acerca dos desafios que se impõem à formação turística na atualidade, mas também sobre a influência que a situação pandémica teve nos recursos humanos.

Para a responsável, que foi reconhecida na ITB Berlin como uma das mulheres com poder a nível global para liderar a mudança no turismo, “investir no capital humano e no desenvolvimento de talentos, preparar-se para o futuro através de colaboradores qualificados e preparados e implementar estratégias de educação e formação adequadas” é uma das soluções-chave para os destinos turístico fazerem face aos desafios que a pandemia trouxe.

  • A inovação e a digitalização do turismo está na ordem do dia, motivado especialmente pelas alterações das condições de trabalho que a pandemia obrigou. O turismo ainda tem um longo caminho a percorrer nesta área? Que desafios identifica?

De facto, o turismo ainda é um setor sub-digitalizado, o que representa um grande desafio, mas também oportunidades nesse mesmo sentido. Aproveitar a inovação e os avanços digitais oferece ao turismo oportunidades para melhorar a inclusão, o da comunidade local e a gestão eficiente de recursos, entre outros objetivos dentro de uma agenda de desenvolvimento sustentável mais ampla. O turismo foi um dos primeiros setores a digitalizar os processos de negócios à escala global, oferecendo reservas online de voos e hotéis, tornando-se um pioneiro digital.

À medida que a tecnologia da informação e comunicação (TIC) se tornou um fenómeno global, o turismo foi um dos primeiros a adotar de forma consistente as novas tecnologias e plataformas. Um setor de turismo digitalizado deve inovar e gerar novas oportunidades de negócio para garantir a continuidade da competitividade, do crescimento e do desenvolvimento sustentável do setor. O objetivo final é dar uma contribuição sólida para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas e da comunidade de desenvolvimento global.
A digitalização tem um impacto ambiental positivo e ainda pode ter um impacto maior, com inovações na fabricação, nos ativos inteligentes e uso eficiente de recursos contribuindo para uma pegada mais sustentável da indústria. A digitalização é uma progressão constante em todas as áreas da sociedade e é evidente de diferentes formas. A pandemia da COVID-19 apresentou desafios para todos os setores e também proporcionou enormes oportunidades para mudanças num ritmo acelerado. E o turismo não é uma exceção.

A pandemia da COVID-19 apresentou desafios para todos os setores e também proporcionou enormes oportunidades para mudanças num ritmo acelerado. E o turismo não é uma exceção.

  • Quais as áreas em que a inovação mais vai fazer a diferença dentro do turismo?

Terei de dividir a resposta em duas áreas principais: Para tornar o turismo mais responsável e sustentável; e criação de empregos e apoio às PMEs.

Na primeira, contribui para reduzir a pegada de carbono do turismo e garante que as comunidades locais colhem os benefícios deste setor, considerando a capacidade demonstrada do turismo para gerar significativos benefícios e desenvolvimentos sociais, económicos e culturais. Os avanços na inovação podem contribuir para uma redução no impacto ambiental, aumento da conservação ambiental e desenvolvimento local, vitais para o turismo e o desenvolvimento das suas atividades.

Quanto à criação de empregos e apoio às PMEs, o futuro das viagens provavelmente terá como base a tecnologia, e, desta forma, os empregos no turismo exigirão habilitações técnicas e avançadas para efetivamente implementar e gerir iniciativas inteligentes. O maior impacto social da transformação digital no turismo pode ser o efeito sobre a força de trabalho do setor, que direta e indiretamente representa 1 em cada 10 empregos em todo o mundo. Como em outros setores económicos, a automação inteligente mudará a natureza de alguns empregos em viagens e erradicará outros completamente.

No entanto, um crescimento habilitado de forma digital também irá gerar novos empregos e oportunidades que podem ultrapassar a automação de funções existentes, especialmente com o crescimento previsto para o setor. Startups e micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) – motivadores de base tecnológica, inovação e empreendedorismo no turismo – vão ter um papel cada vez mais importante no desenvolvimento das competências necessárias para os empregos do futuro. O setor deve, portanto, priorizar o fortalecimento de startups e MPMEs para que possam tornar-se partes integrantes na cadeia de valor do turismo e impulsionar a educação baseada em tecnologia e competências, formação e políticas para estimular a inovação e o emprego capaz e qualificado.

  • Inovação e educação estão relacionadas, o que pode ser promovido nessas duas áreas?

Como a formação online e o acesso a competências digitais estão a tornar-se extremamente necessárias para todos, especialmente com as limitações devido à COVID-19, é de extrema importância implementar ferramentas de aprendizagem online de alta qualidade como a nossa âncora inovação + educação: a OMT Tourism Online Academy, desenvolvida pela IE University. Sob este modelo, queremos virtualizar e democratizar o acesso à educação de alto nível em turismo a fim de qualificar a força de trabalho do turismo, especialmente os jovens como principal componente dessa força de trabalho.
Por meio desta plataforma de aprendizagem on-line e individual, pretendemos fornecer conceitos, áreas de interesse e princípios fundamentais relacionados com o setor, abordando os desafios que enfrenta, como globalização, revolução digital, marketing de  viagens e sustentabilidade, entre outros. A nossa meta para 2021 é fornecer 1.000 bolsas certificadas.

Acredito que a conjuntura que todos estamos a enfrentar pode ser também uma oportunidade, onde a educação digital será o principal impulsionador para expandir a forma como as pessoas são formadas para este setor

  • Como a pandemia afetou a formação no turismo?

Atualmente, todos sabem que o turismo é um dos setores mais afetados pela pandemia, impactando as economias, com quase 120 milhões de empregos diretos no turismo em risco.

No entanto, acredito que a conjuntura que todos estamos a enfrentar pode ser também uma oportunidade, onde a educação digital será o principal impulsionador para expandir a forma como as pessoas são formadas para este setor.

Tanto as instituições como os professores precisam adaptar-se e aproveitar as novas tecnologias e plataformas para se ajustar à oferta de cursos numa variedade de modalidades que facilitam a educação e mitigam os impactos negativos a curto e médio prazo do ensino no contexto COVID-19. Ao implementar inovação, podem criar mudanças de longo prazo que irá trazer uma oferta formativa mais competitiva e resiliente, capaz de antecipar requisitos futuros enquanto mantêm uma educação de qualidade.

O objetivo da OMT é abrir portas, ligando as melhores universidades a nível global para consolidar um ecossistema de inovação turística de alto impacto. Neste sentido, estamos comprometidos para tornar a educação mais acessível nomeadamente através da Tourism Online Academy, a nossa principal plataforma de e-learning que oferece formação de alta qualidade com foco no turismo através das instituições académicas top em todo o mundo. Até ao momento, temos mais do que 10.000 alunos matriculados mas a meta é ter pelo menos 30.000 até ao final do ano.

  • Que tipo de contribuição pretende dar à Sommet Education?

Estamos a trabalhar em estreita colaboração com a Sommet Education para capacitar a formação em todas as regiões do mundo. Estamos cientes, mais do que nunca, de que o reforço do sistema educacional continua a ser essencial para moldar os líderes de turismo e hospitalidade de amanhã. Nesse sentido, a Sommet Education provou ser um parceiro ideal para cumprir todos os objetivos da Organização definida para o curto e médio prazo no que diz respeito à educação. É importante e destaco o especial empenho que temos com o grupo, sendo um notável Membro do nosso Comité de Educação de Turismo Online e o promotor do concurso Hospitality Challenge.
Esperamos continuar esta colaboração frutífera por um longo prazo.

  • Que conselho daria aos destinos no que diz respeito a formação em turismo e inovação?

Investir no capital humano e no desenvolvimento de talentos, preparar-se para o futuro através de colaboradores qualificados e preparados e implementar estratégias de educação e formação adequadas.
Desta forma, é importante promover a capacitação e, principalmente, as competências digitais, e é por isso que estamos muito focados em estabelecer parcerias com algumas das melhores e mais prestigiadas Universidades no mundo para fornecerem conteúdo de alta qualidade e acessível à Academia Online da OMT.
É a plataforma perfeita para todos os que desejam adquirir conhecimentos de forma fácil e acima de tudo acessível, e é aqui que reside a nossa prioridade, uma educação de qualidade.

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *