Colaboradores da Revolut passam a poder trabalhar no estrangeiro 60 dias por ano

Por a 8 de Abril de 2021 as 14:42

A Revolut, a plataforma financeira global, anunciou que vai passar a permitir aos colaboradores trabalhar a partir do estrangeiro até 60 dias por ano.

No âmbito da sua estratégia de promoção do trabalho flexível, a empresa estudou todas as leis aplicáveis – impostos corporativos, individuais, imigração, segurança social – para criar uma política que fosse o “mais conveniente e benéfica para os colaboradores”. Estes passam assim a poder trabalhar, temporariamente, a partir de uma localização diferente do país da sua residência fiscal/contratual.

A empresa explica que esta nova política de trabalho temporário no estrangeiro foi lançada para “acomodar as necessidades da força de trabalho maioritariamente internacional da Revolut, com os colaboradores a desejar a possibilidade de visitar familiares ou os seus países de origem com maior frequência ou durante períodos mais longos”.

Segundo Jim MacDougall, Vice-Presidente de People na Revolut, “quando os países começarem a levantar as restrições com viagens ou começarem a distanciar-se dos confinamentos, depois de mais de um ano fechados entre quatro paredes, acreditamos que esta política vai ser um enorme sucesso junto das nossas equipas. Na mesma medida que estamos a eliminar fronteiras nos serviços financeiros, fazia sentido adaptar a política interna com a missão do produto”.

Esta é mais uma das medidas lançadas pela empresa, depois de, em fevereiro, ter adotado um modelo híbrido de trabalho, suportado pela implementação de RevLabs – novos escritórios desenhados para o trabalho colaborativo. Uma solução que “permite agora à larga maioria dos seus funcionários escolher quando e com que frequência trabalham de casa ou do escritório”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *