Malta reabre ao turismo internacional a 1 de junho

Por a 6 de Abril de 2021 as 11:36

Com o avançar do processo de vacinação e cerca de 40% da população já imunizada contra a COVID-19, Malta vai voltar a receber turistas internacionais a partir de 1 de junho e vai aplicar um sistema de semáforo que prevê a entrada sem restrições no país dos viajantes provenientes dos chamados ‘países verdes’.

De acordo com o jornal espanhol Hosteltur, o sistema de semáforo que Malta vai adotar divide os países de origem dos viajantes por cores, consoante o risco de contágio pelo coronavírus,  com os países vermelhos a indicarem um elevado risco, os amarelos um risco moderado, enquanto os países verdes representam um baixo risco para a COVID-19.

Segundo este semáforo, os viajantes que queiram entrar em Malta a partir de 1 de junho devem cumprir alguns requisitos se forem provenientes de países vermelhos ou amarelos, enquanto os turistas com origem nos ‘países verdes’ poderão entrar e circular livremente pelo país.

No caso dos países de maior risco, Malta vai, no entanto, permitir que os turistas já vacinados há pelo menos 10 dias e que sejam provenientes da União Europeia ou de destinos com quem existem acordos bilaterais, possam viajar livremente para o país, desde que façam prova da vacinação. Já os viajantes de fora do espaço Schengen, devem cumprir as condições estabelecidas pela União Europeia.

Já os turistas com origem nos países de risco moderado e que são assinalados a amarelo neste semáforo, que não tenham sido vacinadas contra a COVID-19, devem apresentar um teste PCR negativo para a COVID-19, realizado num máximo de 72 horas antes da viagem.

Ao Hosteltur, o Turismo de Malta justificou a decisão com o fato de Malta ser, depois do Reino Unido, o segundo país na Europa mais avançado no processo de vacinação contra a COVID-19, contando já com cerca de 40% da sua população adulta  inoculada com pelo menos uma dose da vacina, numa taxa de vacinação que tem vindo a aumentar cerca de 1% por dia.

“A saúde e a segurança dos cidadãos e turistas malteses serão sempre a nossa principal prioridade e, com a implementação contínua da vacina aqui em Malta, este plano de reabertura foi concebido para reabrir o turismo de forma lenta e segura, com base nas condições anunciadas”, explicou Clayton Bartolo, ministro do Turismo e Defesa do Consumidor de Malta.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *