Reino Unido adia decisão sobre viagens internacionais

Por a 5 de Abril de 2021 as 18:20
Lights Stock photos by Vecteezy

Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, confirmou esta segunda-feira (5 de abril), uma nova fase de desconfinamento para o país, revelando que lojas, bares com espaços exteriores, cabeleireiros e ginásios, entre outros serviços, reabrirão a 12 de abril, ou seja, na próxima segunda-feira.

“Isto está a resultar, os vossos esforços coletivos e nossos esforços coletivos para dar tempo e espaço para vacinar 31 milhões de pessoas”, referiu Johnson na conferência de imprensa, adiantando ainda não ver sinais, à presente data, “para pensar que teremos de nos desviar deste programa”.

Contudo, quanto às viagens internacionais, Boris Johnson não se mostrou tão afirmativo, esperando que as mesmas sejam retomadas a 17 de maio, mas adiando para o final da presente semana a certeza final. Certo é que, segundo o mesmo, “estamos a definir o nosso roteiro para a liberdade e vamos mantê-lo”.

Apesar das diversas perguntas feitas pelos jornalistas relativamente à retoma breve das viagens internacionais, Johnson não adiantou qualquer desfecho para tal realidade, admitindo que “as pessoas querem saber, mas ainda não estamos nessa fase”, remetendo para a chegada de dados mais sólidos para tomar a decisão.

No que diz respeito ao certificado de vacinação (Digital Green Pass), Boris Johnson advertiu que o mesmo “não será usado para a abertura do país na segunda etapa”, prevendo, no entanto, que seja usado para viagens internacionais e “eventos de massa”.

“Existem questões éticas e práticas complicadas levantadas pela ideia da certificação e do estado de vacinação”, referiu o primeiro-ministro britânico, salientando que “é preciso ter muito cuidado para lidar com a situação”.

Chris Whitty, Chief Medical Officer, que acompanhou Boris Johnson nesta comunicação ao país, admitiu que é preciso ter muita cautela, até porque “as variantes continuam a ser uma questão fulcral”, adiantando, contudo, que “não existe razão para acreditar que alterem a nossa posição”.

Johnson terminou, dizendo que para “a visão do futuro do Reino Unido, pós-21 de junho, muitas coisas dependerão do desenvolvimento da vacinação”. Certo é que para o próprio Boris Johnson, “precisamos ter certeza de que passamos pelo estágio dois e pelas aberturas de 12 de abril, de 17 de maio e 21 de junho. Abrimos muitas coisas que não podíamos ter aberto no ano passado. As coisas vão parecer muito diferentes pela primeira vez em muito tempo”, concluiu.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *