CVA conta “reiniciar operações assim que a procura de viagens aéreas aumente”

Por a 19 de Fevereiro de 2021 as 11:29

O presidente da Cabo Verde Airlines (CVA), Erlendur Svavarsson, assegurou esta sexta-feira, 19 de fevereiro, que a companhia aérea vai “reiniciar as operações assim que a procura de viagens aéreas aumente” e revelou que o objetivo da companhia aérea cabo-verdiana é voltar a ligar os quatro continentes à partida do Sal.

“Esperamos conectar quatro continentes mais uma vez através do nosso ‘hub’ na ilha do Sal”, disse o responsável à Lusa, explicando que a administração da CVA está a tomar “todas as medidas possíveis” para poder retomar a atividade, o que deverá acontecer “assim que a procura de viagens aéreas aumente”.

“Para atingir esse objetivo, muitas questões precisam ser resolvidas, incluindo o treino de pessoal, a manutenção de aeronaves, atualizações do sistema de vendas e as negociações com os credores”, acrescentou o responsável.

Recorde-se que, em março de 2019, o Estado de Cabo Verde vendeu 51% da então empresa pública TACV (Transportes Aéreos de Cabo Verde) por 1,3 milhões de euros à Lofleidir Cabo Verde, empresa detida em 70% pela Loftleidir Icelandic EHF (grupo Icelandair, que ficou com 36% da CVA) e em 30% por empresários islandeses com experiência no setor da aviação (que assumiram os restantes 15% da quota de 51% privatizada).

Entretanto, com a pandemia, a companhia aérea suspendeu a operação e encontra-se em dificuldades financeiras, o que tem motivado negociações entre os acionistas com vista a um apoio à CVA, incluindo por parte do Estado cabo-verdiano, que permita “evitar a falência”, como explicava Erlendur Svavarsson em entrevista à Lusa, já este mês de fevereiro.

“Até ao momento, todos os esforços foram feitos para evitar a falência da Cabo Verde Airlines. Assim como acontece com a reestruturação de companhias aéreas em todo o mundo, o esforço de todas as partes interessadas, incluindo fornecedores e financiadores, será necessário para relançar a companhia aérea com sucesso”, afirmou Erlendur Svavarsson”, afirmava o responsável a 10 de fevereiro.

Antes da pandemia, CVA voava entre a ilha do Sal e a Europa, África, EUA e Brasil, ligações que foram suspensas em março de 2020 devido ao impacto da COVID-19 e que continuam interrompidas.

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *