TAP confirma “acordo de emergência” com todos os sindicatos

Por a 8 de Fevereiro de 2021 as 11:08

O presidente do Conselho de Administração da TAP, Miguel Frasquilho, e o presidente executivo da companhia, Ramiro Sequeira, confirmaram, em comunicado enviado aos trabalhadores, que a TAP chegou a acordo com todas as estruturas sindicais, num entendimento que vai vigorar até 31 de dezembro de 2024.

“É com satisfação que informamos que foi alcançado o entendimento com todas as estruturas representativas dos trabalhadores no que respeita ao Acordo de Emergência que vigorará até 31 de dezembro de 2024 ou até à celebração e implementação de um novo Acordo de Empresa entre as partes”, lê-se na nota dos responsáveis da companhia aérea, divulgada pelo jornal online ECO.

Na missiva aos trabalhadores da TAP, Miguel Frasquilho e Ramiro Sequeira elogiam o papel dos sindicatos no processo negocial, no qual participaram de “forma aberta, empenhada e construtiva”.

“Queremos agradecer a forma aberta, empenhada e construtiva com que negociaram e trabalharam para chegar a um entendimento, o sentido de urgência a que atenderam e a defesa inalienável do interesse comum: a sobrevivência e sustentabilidade da Companhia”, referem.

Em relação às medidas concretas do acordo, os responsáveis da TAP dizem apenas que “em breve será divulgado o conjunto de medidas laborais de adesão voluntária”.

“Este é um passo que não só vai ao encontro do entendimento alcançado, como é crítico e fundamental para a otimização dos recursos laborais, no adverso contexto operacional e económico decorrente da evolução da pandemia e das medidas tomadas para a conter, bem como no contexto da Plano de Reestruturação em curso”, apontam.

No comunicado enviado aos trabalhadores, Miguel Frasquilho e Ramiro Sequeira alertam ainda que “a quebra de receitas ao longo dos próximos anos será colossal e estimada em vários milhares de milhões de euros”, motivo pelo qual a TAP vai reduzir custos junto de fornecedores e prestadores de serviços, de forma a “ter benefícios financeiros de cerca de 1.5 mil milhões de euros até 2025″.

Recorde-se que a TAP começou por alcançar, na passada quinta-feira, 4 de fevereiro, um acordo com o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) e, no dia seguinte, também o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), o Sindicato dos Técnicos de Manutenção de Aeronaves (SITEMA), o Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes de Portugal (Sttamp) e o Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes, Manutenção e Aviação (Stama) chegaram a acordo com a companhia.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *