Apoio à Qualificação da Oferta turística com dotação de 300M€

Por a 12 de Janeiro de 2021 as 16:39

Entrou em vigor a nova linha de Apoio à Qualificação da Oferta com uma dotação de 300 milhões de euros, que se destina a “apoiar o esforço de investimento” das empresas do turismo, em particular no que diz respeito à requalificação dos respetivos empreendimentos e estabelecimentos, tendo em vista “adaptar e preparar a oferta turística, perspetivando o processo de recuperação do setor”.

Segundo informação do Turismo de Portugal, que vai gerir a linha de apoio à semelhança de outras de apoio ao turismo (Ler Linha de apoio à tesouraria para empresas de turismo reforçada em 100M€), esta linha, que se dirige a todas as empresas do turismo, acentua-se o foco no desenvolvimento de projetos sustentáveis e inclusivos, e reforça-se a intensidade de auxílio, através do aumento da componente de fundo perdido a que as empresas podem aceder, a título de prémio de desempenho.

Esta linha de apoio traduz uma parceria entre o Turismo de Portugal e 12 Instituições de Crédito (Abanca, Bankinter, BPI, BPG, CCAM, CGD, Eurobic, Millennium BCP, Montepio, Novo Banco, Novo Banco dos Açores e Santander), nos termos da qual o financiamento a conceder é partilhado entre o Instituto e uma daquelas instituições de crédito. O instituto público salienta ainda que, “no que se refere à parte do financiamento do Turismo de Portugal, até 30% da mesma pode ser convertida em fundo perdido, em função da dimensão da empresa”.

Os dados registados até esta terça-feira, dia 12 de janeiro,  indicam que foram aprovadas 342 candidaturas, com um investimento associado de 534 milhões de euros e um financiamento de 280 milhões de euros pelas linhas que antecederam esta.

Para Rita Marques, secretária de Estado do Turismo, “as alterações introduzidas à Linha de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Turismo e a aprovação da nova Linha de Apoio à Qualificação da Oferta, traduzem a estratégia contínua deste Governo no reforço do apoio às empresas do turismo, através da melhoria das condições de financiamento a que estas podem aceder, seja para necessidades de tesouraria, seja para necessidades de investimento. No período particularmente difícil que atravessamos, estes instrumentos, a par de outros já lançados e em fase de lançamento, permitem ajudar as empresas do setor a assegurar a liquidez imprescindível à manutenção da sua atividade e dos respetivos postos de trabalho, mas também possibilitam apoiar o esforço de investimento na adaptação e na requalificação dos respetivos empreendimentos e estabelecimentos, para que, no momento da recuperação, Portugal possa continuar a oferecer um turismo de excelência e a reforçar o seu posicionamento competitivo no mundo enquanto destino turístico”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *