Willie Walsh vai ser o próximo diretor geral da IATA

Por a 25 de Novembro de 2020 as 12:10

O antigo CEO do International Airlines Group (IAG) Willie Walsh vai ser o próximo diretor geral da IATA – Associação Internacional de Transporte Aéreo, a partir de abril de 2021, de acordo com a decisão tomada na 76.ª Assembleia Geral da associação, que decorreu esta terça-feira, 24 de novembro, em formato virtual.

“Estou honrado com a confiança depositada em mim para assumir a responsabilidade de diretor geral da IATA. As associações desempenham um papel critico na nossa indústria e nenhuma é mais importante que a IATA”, afirma Willie Walsh, citado num comunicado enviado à imprensa.

De acordo com Willie Walsh, a IATA deve assumir, nesta fase de pandemia, um papel ainda mais interventivo, tornando-se num “defensor enérgico da indústria”, de forma a contribuir para a recuperação da aviação, garantindo a sustentabilidade e ajudando as companhias aéreas a reduzir custos e impostos, bem como a eliminar bloqueios à atividade.

Willie Walsh destaca também a responsabilidade que representa assumir o cargo de diretor geral da IATA e garante que vai dar continuidade ao trabalho de mudança iniciado por Alexandre de Juniac, que ainda ocupa o cargo de diretor geral da associação.

O futuro diretor geral da IATA é considerado um veterano da indústria da aviação, que começou a sua carreira como piloto e ocupou o cargo de CEO do IAG desde a criação do grupo em 2011 até 2020 e, antes disso, tinha sido também CEO da British Airways, entre 2005 e 2011, assim como CEO da Era Lingus, entre 2001 e 2005.

Na IATA, Willie Walsh também é já conhecido, uma vez que já pertenceu ao Board of Governors da associação por 13 anos, entre 2005 e 2018, tendo mesmo chegado a liderar este organismo da IATA em 2016 e 2017.

Além da indicação de Willie Walsh para diretor geral, a IATA vai proceder ainda a outras mudanças na sua estrutura diretiva, com Robin Hayes, CEO da JetBlue a ser indicado para Chair do Board of Governors da associação, até 2022, passando depois a pasta a Rickard Gustafson, CEO do SAS Group, que deverá ficar no cargo até 2023.

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *