Alojamento: Quebras em setembro ainda acima dos 50%, diz INE

Por a 16 de Novembro de 2020 as 11:20

Em setembro de 2020, o setor do alojamento turístico registou 1,4 milhões de hóspedes e 3,6 milhões de dormidas, refletindo-se em variações de -52,7% e -53,4%, comparativamente com o período homólogo do ano anterior.

Segundo a análise da Atividade Turística, divulgada, esta segunda-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE),  as dormidas de residentes diminuíram 8,5% e as de não residentes recuaram 71,9%. Dos mercados internacionais, o belga (-49,6%),  Países Baixos (-51,1%), espanhol (-51,8%) e suíço (-55,2%) foram, entre os principais, os que registaram menores decréscimos no período em análise.

Na análise por regiões, foram o Alentejo (-20,9%), Centro (-40,5%) e Algarve  (-44,8%) que verificaram menor redução no número de dormidas.   As maiores reduções verificaram-se na AM Lisboa (-71,8%), RA Açores (-66,3%) e RA Madeira (-66,2%). O Algarve concentrou 40% das dormidas, seguindo-se o Norte (15,9%) a AM Lisboa (14,4%) e o Centro (13,0%).
Contudo, numa análise mais pormenorizada, o INE revela que os residentes verificaram um aumento no mês de setembro na região do Algarve (+10%) mas também no Alentejo (+3,9%). Foram também estas duas regiões que registaram  as menores diminuições nas dormidas dos não residentes.

No que diz respeito ao conjunto dos primeiros nove meses do ano, as regiões que apresentaram menores diminuições no número de dormidas foram o Alentejo (-36,4%), Centro (-50,4%) e Norte (-56,5%).

A taxa líquida de ocupação-cama nos estabelecimentos de alojamento turístico (30,5%) recuou 27,0 p.p. em setembro. No entanto, há que referir que 24% dos alojamentos turísticos  estiveram fechados neste período ou não registaram qualquer movimento de hóspedes.

Proveitos
Em setembro, os proveitos registados nos estabelecimentos de alojamento turístico atingiram 204,8 milhões de euros no total e 155,0 milhões de euros relativamente a aposento, correspondendo a variações de -59,2% e -59,5%, respetivamente. Em setembro, a evolução dos proveitos foi negativa nos três segmentos de alojamento:hotelaria, alojamento local, e turismo em espaço rural e de habitação.
Todas as regiões registaram “decréscimos expressivos” nos proveitos totais e de aposento em setembro, com maior enfoque na AM Lisboa (-80,1% e -81,1%, respetivamente), RA Açores (-69,6% e -70,5%, pela mesma ordem) e RA Madeira (68,1% e 68,6%, respetivamente), indica ainda o INE.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *