Aeroportos nacionais com quebra de 79,5% nos passageiros em julho

Por a 17 de Setembro de 2020 as 15:43

Os aeroportos nacionais movimentaram 1,3 milhões de passageiros no mês de julho, número que indica uma recuperação face ao mês anterior, mas que corresponde, ainda assim, a uma descida de 79,5% face a julho de 2019, segundo os números revelados esta quinta-feira, 17 de setembro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

As estatísticas rápidas do transporte aéreo de julho mostram que o movimento de passageiros nos aeroportos nacionais recuperou no sétimo mês do ano, depois da quebra de 94,6% apresentada em junho e de 98,5% em maio, mas continua “ainda distante dos valores homólogos”, aponta o INE.

Em julho, os aeroportos nacionais receberam nove mil aeronaves em voos comerciais, o que traduz igualmente uma diminuição, ainda que mais ténue, já que face a período homólogo o número de aviões que aterraram nas infraestruturas nacionais desceu 61,8%, quando nos meses imediatamente anteriores tinha caído 86% e 92,3%, em junho e maio, respetivamente.

“Analisando o número de aeronaves aterradas e o número de passageiros desembarcados diariamente entre janeiro e julho de 2020, e comparando com o período homólogo, é visível o impacto da pandemia de covid-19 e das medidas adotadas ao nível do espaço aéreo a partir do início da segunda quinzena do mês de março”, refere ainda o INE.

O INE diz que, a partir de julho, se observou uma “ligeira recuperação”, apesar de ainda se registarem reduções superiores a 50% no número de aterragens e a 70% no número de passageiros desembarcados.

No acumulado do primeiro semestre, aterraram nos aeroportos nacionais 55,1 mil aeronaves em voos comerciais, o que corresponde a menos 58,4% face ao mesmo período do ano anterior, enquanto o movimento de passageiros contabilizou 11,2 milhões de pessoas, numa descida de 67,3%.

O aeroporto de Lisboa voltou a ser a infraestrutura que maior número de passageiros processou, correspondendo a 55% do total contabilizado no acumulado do primeiro semestre, o que representa um 6,2 milhões de passageiros e um decréscimo de 65,2%. Já o aeroporto de Faro apresentou a maior diminuição do número de passageiros movimentados entre janeiro e julho, com uma queda de 79,8%.

Por mercados, a maior parte dos passageiros que passou pelos aeroportos nacionais nos seis primeiros meses de 2020 teve como origem ou destino França, seguindo-se o Reino Unido, que registou a maior redução do número de passageiros desembarcados e embarcados (quedas de 74,9% e 73,9%, respetivamente).

Espanha e a Alemanha mantiveram-se em terceiro e quarto lugar na lista de principais países de origem e destino, enquanto a Suíça substituiu o Brasil na quinta posição deste ranking.

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *