Programa de aceleração From Start-to-Table está de volta e aposta na sustentabilidade

Por a 16 de Setembro de 2020 as 10:01

From Start-to-Table, o programa de aceleração da Startup Lisboa para negócios ligados ao ecossistema da restauração, foi lançado no passado dia 8 de setembro. O programa tem candidaturas abertas até dia 20 de setembro e procura empreendedores com negócios dentro de duas categorias: “Tecnologia para Restauração” e “Conceitos de Restauração e Produtos de Food & Beverage Sustentáveis”.

“Estamos preparados para uma edição que se vai realizar em moldes consideravelmente diferentes e vamos pôr esse entusiasmo em prática sem comprometer a inovação característica do programa”: foi assim que Miguel Fontes, diretor executivo da Startup Lisboa, abriu a sessão de lançamento da terceira edição do From Start-to-Table.

Este ano o programa decorre de modo remoto parcial, entre 11 de outubro e 10 de dezembro, com apenas algumas atividades presenciais, mediante os constrangimentos do contexto de cada momento. Durante a sessão de apresentação, que decorreu esta manhã, no ABC – Airport Business Center, o espaço da Startup Lisboa no Aeroporto de Lisboa, ficou o compromisso da organização em manter o nível de inovação, qualidade e exigência que se tem experienciado nas duas últimas edições, apesar da pandemia.

“Perante a situação que vivemos hoje, seria seguramente mais simples não manter o programa, mas entendemos que o papel da Startup Lisboa ganha uma relevância ainda mais forte em momentos de crise. É por isso que decidimos trabalhar mais para manter esta terceira edição, mesmo com todos os constrangimentos. Acreditamos que a inovação na tecnologia e na sustentabilidade podem dar novas oportunidades a um setor que tanto necessita de crescer e de recuperar”, reforçou Miguel Fontes.

Rui Miguel Nabeiro, CEO da Delta Cafés, sublinhou o apoio que a empresa tem dado desde a primeira edição do programa: “Estamos presentes e queremos estar presentes. Num momento em que a restauração se encontra tão fragilizada, é importante apoiar programas que trazem proximidade entre os players da inovação no setor”, explicou.

Também Rita Marques, secretária de estado do Turismo, salientou a importância deste tipo de iniciativas para o setor: “A inovação, além de ter propósito, tem de ter tangibilidade e exequibilidade que só parceiros corporate podem atestar. Ter um programa que compreende esta necessidade e que junta os jovens empreendedores a mentores é muito importante”.

Além das entidades institucionais que apoiam o programa, estiveram também presentes vários projetos que já participaram nas edições anteriores do From Start-to-Table – Miap, Fumeiro do Mar, Kitchen Village, Classihy e Kitchen Dates -, que falaram sobre a sua experiência ao longo da aceleração, sobre o impacto da COVID-19 nos seus negócios e também sobre a forma como os mesmos podem ter um impacto positivo na indústria da restauração e do turismo.

10 mil euros para o vencedor de cada categoria
As candidaturas estão abertas até dia 20 de setembro no site do From Start-to-Table e podem candidatar-se empresas (constituídas há menos de cinco anos), portuguesas ou estrangeiras, que tenham um projeto de tecnologia para a restauração ou novos conceitos – sejam eles de restauração ou produtos – alinhados com objetivos de sustentabilidade. Há 20 mil euros para distribuir entre as equipas vencedoras de cada uma das categorias do programa: “Tecnologia para Restauração” e “Conceitos de Restauração e Produtos de Food & Beverage Sustentáveis”.

O From Start-to-Table é apoiado pelo Turismo de Portugal, e conta também, desde a sua primeira edição, com o apoio da Delta Cafés, associada da Startup Lisboa. Nas primeiras duas edições do From Start-to-Table, candidataram-se mais de 250 projetos, de mais de 30 países. A última edição acolheu participantes de 12 nacionalidades: EUA, Reino Unido, Brasil, Canadá, Israel, Alemanha, Ucrânia, Espanha, França, Bélgica, Itália e Portugal.

Este programa da Startup Lisboa dedicado ao ecossistema da restauração já premiou vários projectos como a Why Not Soda, uma marca de refrigerantes biológicos feitos em Portugal, que firmou recentemente uma parceria com a Delta; a Breadfast, um serviço de entrega de pequeno-almoço ao domicílio, que foi comprada pela EatTasty em maio de 2019; a TempJobs, um marketplace de trabalhadores independentes, que funciona em tempo-real; a Miap, uma plataforma digital para restaurantes, bares e hotéis para pedidos e pagamento em apenas 30 segundos; a Kitchen Villages, uma rede de contentores-cozinha que permite o aluguer de um espaço de produção num modelo kitchen-as-a service, ou o Fumeiro do Mar, um projeto que produz iguarias fumadas naturalmente a partir da cavala e da tainha , oferecendo ao mercado a possibilidade de diversificar o consumo de peixe, de forma sustentável.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *