Estarreja lança aplicação de experiências e interação com o território e património

Por a 16 de Setembro de 2020 as 10:12

O município de Estarreja apresenta no dia 18 de setembro, às 15 horas, no Cine-Teatro de Estarreja, a aplicação “Sentir Estarreja”, uma app que tem como objetivo proporcionar a interação com o património e o território, com recurso às novas tecnologias.

Num contexto de transformação da cidade, seja pela sustentabilidade ambiental, reabilitação urbana, espaço público, equipamentos e serviços, seja pela Arte e Cultura, o Município de Estarreja, tendo presente o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas, aposta assim “numa estratégia de inovação, dando os primeiros passos de transformação para o conceito de “smart city””.

O presidente da Câmara Municipal de Estarreja, Diamantino Sabina, refere que “o contexto atual obriga-nos a uma dimensão mais digital e assim entendemos projetar a cidade para o futuro e a continuar a procurar estratégias de melhoria da qualidade de vida da população”. Sublinha ainda que “o projeto “Sentir Estarreja” constitui um desafio, traduzindo-se no ponto de partida para a transformação do território, para fazer de Estarreja uma cidade mais inteligente, tendo como foco as pessoas.”

A nova ferramenta pretende criar “novas experiências ao permitir interagir com o território, dando-o a conhecer nas suas múltiplas e diferentes dimensões, proporcionando ainda a possibilidade de poder partilhá-lo com o mundo”.

A app “Sentir Estarrreja” disponibiliza nesta fase dois roteiros temáticos, um dedicado ao BioRia e outro ao circuito de arte urbana ESTAU, e convida a explorar o território de forma simples, interativa e intuitiva, imagem e texto, em diferentes línguas. As próximas fases de desenvolvimento passam por traçar novos caminhos, em formato de realidade aumentada e recurso a áudio-guia.

A APP “SENTIR Estarreja” é um projeto do Município de Estarreja, desenvolvido pela unloop, em parceria com a zetgallery, de acordo com o conceito de smartcities da mosaic do dstgroup.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *