Dormidas registam quebra de 82% em junho

Por a 14 de Agosto de 2020 as 11:49

Depois de ter estimado uma quebra de dormidas na ordem dos 85%, em junho, no setor do alojamento turístico em Portugal, o INE publicou esta sexta-feira, dia 14, os dados finais correspondentes àquele mês.

O alojamento turístico em Portugal registou 493,5 mil hóspedes e 1,1 milhões de dormidas em junho de 2020, o que equivale a  quebras de -82,0% e -85,2%, respetivamente.

Os dados do INE confirmam o que já tinha sido anunciado no início de agosto, ou seja, o turismo interno permitiu uma queda da atividade turística “menos intensa” em junho face a maio. As dormidas de residentes caíram 59,7% face ao mesmo mês de 2019 (-86,6% em maio), ainda assim muito abaixo da quebra de 96,2% das dormidas de não residentes (-98,8% em maio), refere o INE.

Em junho, os proveitos totais registaram uma variação negativa de 88,5% (-97,5% em maio), fixando-se em 53,4 milhões de euros, enquanto os proveitos de aposento atingiram 42 milhões de euros, diminuindo 88,2% (-97,1% no mês anterior).

Em junho, todas as regiões registaram decréscimos das dormidas superiores a 70%, com exceção do Alentejo (-48,9%). As maiores reduções verificaram-se na RA Madeira (-97,7%) e na RA Açores (-96,9%). O Algarve concentrou 31,5% das dormidas, seguindo-se o Norte (20,2%), Centro (17,0%), Alentejo (14,7%) e AM Lisboa (14,2%).

No conjunto dos primeiros seis meses do ano, as regiões que apresentaram menores diminuições foram o Alentejo (-52,2%), Centro (-61,2%) e Norte (-61,7%).

Em junho, as regiões com menores diminuições do número de dormidas de residentes foram o Alentejo (-31,6%), seguindo-se o Norte (-54,4%) e o Algarve (-55,6%).

Neste mês, em termos de dormidas de não residentes, o Alentejo registou uma diminuição de 85,1%, enquanto as
restantes regiões apresentaram decréscimos superiores a 90%.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *