70% dos investidores mantém investimentos no mercado de luxo

Por a 13 de Julho de 2020 as 13:10

O Global Fashion & Luxury Private Equity and Investors Survey 2020, estudo da Deloitte que analisa as tendências do mercado de luxo a nível global, revela que no período Pós-Covid-19, cerca de 70% dos investidores irão manter os seus investimentos no mercado de luxo. De acordo com esta análise, os setores do vestuário & acessórios, cosméticos & perfumes e luxo digital serão os mais importantes.

Após a queda em 2020, devido ao impacto da Covid-19, o mercado de bens pessoais de luxo deverá atingir até 2025, 1,1 vezes o nível de vendas registado em 2019. De acordo com o estudo da Deloitte, o mercado antevê que os hotéis de luxo, a indústria de cruzeiros, relógios & joias e móveis de luxo sejam os setores mais afetados pela pandemia. Por seu turno, cosméticos & perfumes e aviões particulares serão os menos afetados.

No que toca ao ritmo de recuperação pós-Covid-19, hotéis de luxo, vestuário & acessórios e cosméticos & perfumes terão uma retoma mais rápida, beneficiando da reabertura de fronteiras e do aumento do foco nas vendas online.

No setor de bens pessoais de luxo, espera-se que a Europa e Américas sofram uma maior contração da procura, com uma queda esperada nas vendas de 30 a 40% e tempo de recuperação esperado de entre 12 a 18 meses. As estratégias mais adotadas para superar a crise serão o foco dos canais de distribuição online, marketing e promoção digital e
sustentabilidade ambiental.

Fusões & Aquisições: hotéis de luxo impulsionam crescimento
O ano de 2019 provou ser um ano positivo para o mercado de luxo, com 271 transações, que representou um aumento ligeiro, de mais 6 operações em comparação com o ano anterior.

O setor de hotéis, que representa 43% do total, foi o melhor segmento em termos de crescimento de transações em relação ao período homólogo, com mais 40 negócios. As transações no setor de carros de luxo aumentaram durante 2019 (mais 6 operações), impulsionadas pela indústria de carros elétricos.

As transações em Artigos de Luxo Pessoais diminuíram (-53 em comparação com 2018), com “vestuário & acessórios” (17% do total) diminuindo 26 transações, “relógios & joalharia” (4% do total) diminuindo 17 negócios e “cosméticos & perfumes” (12% do total) diminuindo 10 operações, em comparação com o ano anterior.

Em 2019, os investidores estratégicos, que representam 55% do total, lideraram as operações de fusões e aquisição concentradas principalmente no mundo dos “hotéis” e “outras indústrias”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *