Medidas de apoio ao turismo | Jorge Rebelo de Almeida

Por a 2 de Junho de 2020 as 15:43

Por Jorge Rebelo de Almeida

Esta pandemia, ainda sem fim à vista, provocou não só em termos de saúde, mas também em termos económicos impactos tremendos, que ainda não é possível avaliar em toda a extensão.
Em jeito de compensação, seria bom aproveitar esta paragem forçada no tempo para uma reflexão e para tomada de medidas que a recuperação, provavelmente lenta, poderão proporcionar.
Neste quadro, a medida que se impõe é o “REFORÇO DA SUSTENTABILIDADE”, nela englobando:
▪ A redução do plástico que não seja reaproveitável (plastic free);
▪ A redução do consumo de papel (paper free);
▪ A mobilidade elétrica e as energias alternativas, que seriam um excelente cartaz para o destino turístico Portugal;
▪ A proteção da autenticidade dos centros históricos;
▪ A revitalização dos centros das cidades com habitação para jovens e idosos a preços controlados;
▪ O regresso ao interior e à natureza para repovoar e aliviar a sobrecarga do litoral também em termos turísticos;
▪ A redinamização do transporte ferroviário elétrico a nível nacional e internacional;
▪ A aposta num turismo diferenciado para segmentos mais elevados em detrimento da massificação;
▪ A valorização cultural da oferta turística;
▪ A opção pela qualidade arquitetónica, quer em termos de património histórico (REVIVE), quer em termos de peças contemporâneas de referência;
▪ A descentralização da vida pública e empresarial para o interior, mas de forma racional e não como mera propaganda política;
▪ A oportunidade única para repensar o novo Aeroporto de forma consistente e duradoura, de modo a que possa ser uma alternativa real à Portela e não apenas um remendo.
Por exemplo, um aeroporto em área menos crítica ambientalmente (Alcochete?), a construir de forma expansiva com um custo inicial baixo, mas com condições para crescer e vir a substituir a Portela, se tal se vier a mostrar necessário por qualquer razão;
Entretanto, a Portela deve ser melhorada como previsto e aproveitar também algumas soluções complementares como por exemplo Beja;
Uma última nota:
Porquê gastar slots e carbono com as ligações aéreas Porto – Lisboa quando poderiam bem servir, se melhoradas, com grande eficácia as ligações ferroviárias;
E, por fim, talvez seja bom refletir sobre qual o limite de equilíbrio para o crescimento do turismo.

Nota de editor: O Publituris vai publicar, ao longo dos próximos dias, uma lista de medidas de apoio ao turismo, com base na opinião e visão de 28 personalidades que trabalham neste setor em diversas áreas direta ou indiretamente.

Um comentário

  1. José Luís Gordo

    5 de Junho de 2020 at 13:19

    Homens de talento empresarial como o meu amigo Jorge Almeida ,António Parente e Tantos outros fazem falta em qualquer parte do mundo e Fazem muita falta em Portugal.Desejo-lhes tudo de bom.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *