Opinião | A resiliência dos agentes de viagens

Por a 13 de Maio de 2020 as 10:34

Por João Taborda, Head of Sales  TTS – Travel Technology & Solutions

Durante estes últimos dois meses, tenho estado constantemente ao telefone, a falar com vários clientes e parceiros do setor, e vejo que as perspetivas inicialmente esperançosas que a maioria das pessoas tinha em relação à quarentena começaram a desaparecer, especialmente durante as últimas duas semanas, onde verifiquei uma crescente preocupação com a segurança no trabalho e uma perda de otimismo na recuperação do setor. Essa reação é perfeitamente normal, visto que o lay-off está a ser adotado em massa, além dos vários despedimentos.

Adicionalmente, a maioria das previsões está a ficar mais sombria (ou realista?!?), e as previsões que há algumas semanas disseram que a recuperação estava já ali atrás da porta, agora estão a mudar a sua análise para afirmar que talvez a nossa indústria precise passar um túnel escuro para alcançar a tão desejada recuperação! E a maioria dessas análises nem sequer considera um segundo período de quarentena durante este inverno! Dito isto, todos sabemos que as coisas vão recuperar, mas ninguém sabe a que nível ou quando.

Os agentes de viagens são uma das “espécies” mais resilientes que existe, pois no seu dia a dia são forçados a ter de se adaptar a mudanças constantes na oferta dos serviços que vendem, a trabalhar com comissões cada vez menores, a lidar com uma crescente disseminação de conteúdo (sendo cada vez mais urgente a necessidade de agregadores de conteúdo mais fortes) e, ainda assim, continuam a fazer isso com um sorriso no rosto permitindo-nos sonhar com as nossas próximas férias nas Caraíbas ou o nosso próximo cruzeiro no Mediterrâneo. São ameaçados com a desintermediação há muito tempo (foi minha dissertação quando me formei em Gestão de Empresas Turísticas há 13 anos atrás) e, ainda assim, eles estão cá. As companhias aéreas implementaram a comissão zero existe há muito tempo e, mais recentemente, as companhias aéreas têm implementado o standard NDC, contornando assim as taxas pagas ao GDS, conseguindo reduzi-las porque passam a pagar diretamente às agências de viagens, que não conseguem alavancar o seu volume de reservas tão eficientemente como o GDS e, por fim, isso resultará numa taxa de reserva mais baixa recebida pela agência de viagens, que terá um novo custo, que é o custo da tecnologia fornecida pelo GDS. Como se pode ver, não é fácil ser um agente de viagens, porque trabalham imenso para receber migalhas pelos serviços que vendem. Para ser um agente de viagens, é preciso ser engenhoso, ser um mediador exigente, conhecer bem os destinos que está a vender e, no final das contas, é preciso ser muito resiliente para enfrentar isso tudo.

Sabendo que a recuperação do setor não será imediata e sabendo que os agentes de viagens são muito resilientes, posso dizer que, especialmente nestas últimas semanas, estou a ver um vislumbre de esperança, mais uma vez, daqueles que estão acostumados a lutar… os agentes de viagens! Como todos sabem, houve o período de reembolsos e cancelamentos, em que as agências de viagens foram inundadas com pedidos de viajantes para cancelar as suas viagens ou trazê-los para casa, mas esse período acabou e o trabalho está a escassear nas agências de viagens. Em vez de ficarem tristes e a chorar por causa da sua triste sina, posso dizer com orgulho que tenho visto um número crescente de agentes de viagens a aproveitar o tempo livre para testar soluções tecnológicas que os ajudarão a estar numa posição melhor quando o negócio começar a recuperar. Houve muitos pedidos de informação, muitas demonstrações e conversas honestas e envolventes sobre as suas necessidades e o que eles acreditam que será útil para impulsionar o seu negócio quando as reservas começarem a fluir novamente.

Parabéns Agentes de Viagens! Sinto-me orgulhoso de trabalhar com pessoas como vocês e poder ajudá-los a adaptarem a vossa tecnologia para melhor atender às vossas necessidades e às necessidades dos vossos clientes.
Vamos manter o ritmo e estar melhor preparados para o futuro!

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *