Mercado nacional vai dar a primeira resposta na retoma

Por a 9 de Abril de 2020 as 16:03

A expetativa é que o mercado interno responda, à semelhança de outras alturas de crise, à retoma turística nacional. Contudo, alerta Gonçalo Rebelo de Almeida, “não é minimamente suficiente”.

No âmbito do webinar  “Inovação e desafios tecnológicos no sector hoteleiro”, realizado esta quinta-feira, 9 de abril, pela Infraspeak e o Publituris/Publituris Hotelaria, o administrador do grupo hoteleiro Vila Galé não teve dúvidas em afirmar que o mercado nacional “vai ser a primeira resposta e a mais imediata” no período pós-COVID-19 e na recuperação do Turismo em Portugal. O mercado interno vai responder, como já respondeu em outras alturas, especialmente no continente, pois tanto nos Açores como na Madeira existe a problemática do transporte aéreo.  “Já em outros momentos de crise o mercado nacional tem respondido muito bem, há alguma tendência das pessoas ficarem dentro dos próprios países, circularem mais de carro”, refere. Contudo, “o mercado nacional, como todos sabemos, não é suficiente”.
O responsável hoteleiro relembrou que, “face à última crise, a oferta, ou seja, a capacidade de alojamento, de atividades de animação também aumentou substancialmente”. Assim, “número de pessoas que hoje em dia é necessário para ocupar os hotéis e as unidades de alojamento e as atividades de animação é completamente o número de pessoas que era necessário em 2008, 2009 porque a oferta também aumentou muito, portanto, hoje precisamos de muito mais gente”.  Para o responsável, trata-se de um cenário em que “os 16 ou 18 milhões de turistas que Portugal recebia, não são minimamente substituídos, nem que todos os portugueses quisessem fazer férias cá dentro e admitindo que as pessoas tinham capacidade teórica, não vai substituir minimamente”.

A par do mercado interno, Rebelo de Almeida destaca também o mercado espanhol como resposta na recuperação: “O espanhol, se as circunstâncias do ponto de vista da saúde também o permitirem, também pode ser um conceito de mercado nacional alargado que pode funcionar”.

No entanto, à semelhança do que vai acontecer em Portugal, em que os portugueses vão optar por, numa fase inicial, viajar cá dentro, também os outros mercados vão ter comportamentos semelhantes, como seja o mercado alemão, francês ou dos países nórdicos. O único que poderá reagir mais rapidamente também será o mercado britânico.

“O turismo interno vai ser uma ajuda mas não vai ser minimamente suficiente para os hotéis atingirem em agosto 80 ou  90% de ocupação unicamente com o mercado nacional”, realça.

O webinar contou também com a participação de Roberto Antunes, Diretor Executivo do NEST – Centro de Inovação do Turismo.

Inovação e desafios tecnológicos no sector hoteleiro

Este webinar vai discutir o tópico: "Inovação e desafios tecnológicos no sector hoteleiro".Gonçalo Rebelo de Almeida, Administrador/Board Member Vila Galé Hotéis e Roberto Antunes, Diretor Executivo do NEST – Centro de Inovação do Turismo – são os dois oradores convidados do próximo webinar Stay (In)fraspeak, que se realiza em parceria com o jornal Publituris.

Publicado por Publituris em Quinta-feira, 9 de abril de 2020

Um comentário

  1. Paulo Figueiredo

    9 de Abril de 2020 at 16:30

    Foi sem dúvida muito útil ouvir e assistir ao explanar de ideias, pode ser um WEBINAR a seguir, ramificando por sectores de atividades dentro da Indústria do Turismo. “o “Multi Role” que temos que sincronizar entre “todos os players” para tornar a experiência de fazer férias em Portugal atractivo tem de ser muito bem orquestrada. Cada sector tem de trazer para a mesa o melhor de si e em conjunto personalizarmos o produto Portugal a estadia. A tecnologia tem como foi referido na WEBINAR, um papel importante para a gestão, mas fundamental a meu ver “informação para com o hospede”. A minha “mega visão e maior transformação vai ser na personalização da viagem “one touch” entre a viagem propriamente dita e a estadia, o tratamento de bagagem etc, isto para não falar do transporte personalizado localmente. Já noutro tema que saiu um poco da abrangência do WEBINAR “o profissionalizar” e qualificar o produto turismo com melhor desempenho e fazer disso uma mais valia a nível internacional fará de Portugal mais competitivo…mas tem de haver uma grande força de união no sector… Parabéns a todos que estiveram presentes e aos palestrastes! Vamos ao Trabalho

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *