Fundação AIP confirma realização da BTL

Por a 2 de Março de 2020 as 20:39

A Fundação AIP acaba de anunciar que vai manter a realização da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) agendada para os dias 11 a 15 de março, apesar das circunstâncias inerentes ao COVID 19. A decisão foi tomada depois de auscultar diferentes stakeholders  da BTL.

Em comunicado de imprensa, a organização da feira informa que, para minimizar os possíveis impactos inerentes a este vírus, vai ser criado um Plano de Mitigação de Riscos, tendo em conta as orientações da Organização Mundial de Saúde e da Direção Geral de Saúde.

Entre as medidas do palno estão: informação sobre os cuidados a ter em locais visíveis nos pavilhões, a colocação de dispensadores com gel desinfetante à entrada e no recinto, a existência de um posto médico avançado com médico e enfermeiro em permanência, uma área de isolamento com respetivo circuito e protocolo de evacuação e a comunicação de informação e boas práticas a seguir, junto dos colaboradores do Grupo Fundação AIP de forma a minimizar o potencial risco associado ao desempenho das suas funções

“A organização da BTL está firmemente empenhada com a realização de mais uma edição de grande sucesso, comprometendo-se a adotar, em articulação com as entidades competentes todas as medidas que venham a ser consideradas necessárias para assegurar a segurança dos expositores e visitantes”, refere o comunicado.

Na presente edição estão inscritos cerca de 1500 expositores de 67 destinos internacionais e que apesar das circunstâncias atuais foram registados apenas três cancelamentos.

 A BTL apela “ao sentido de responsabilidade de todos aqueles que considerem poder ter estado expostos a um potencial risco de contágio, ou em zonas de risco, que se abstenham de participar na edição de 2020 da BTL, contribuindo assim para a minimização dos riscos dos participantes”.

Por último, a organização da feira destaca que importa reter que informação veiculada pela Direção-Geral de Saúde refere “que à data e seguindo orientações da Organização Mundial da Saúde, não existem restrições de viagens, comércio ou produtos, e portanto, a decisão de participar ou não em eventos públicos e de massas pertence a cada cidadão”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *