Hotéis representam a grande fatia dos gastos dos namorados em Portugal

Por a 14 de Fevereiro de 2020 as 14:59

No dia mais romântico do ano, os hotéis representam a grande fatia dos gastos dos namorados em Portugal, 44% do total investido entre 2017 e 2019. O número de transações aumentou 77%, o que representa mais 67% nos gastos totais deste dia especial, analisando este período de três anos.
Esta é uma das conclusões do Mastercard Love Index, estudo Mastercard sobre transações de cartões em mais de 53 países em todo o mundo.
Os “gastos sentimentais” registaram um aumento 69% comparativamente com 2017 e o número global de transações 85%. Os portugueses despenderam mais de 27 milhões de euros em presentes e experiências no ano passado – por comparação a 2017 em que gastaram cerca de 16 milhões de euros.

Os namorados portugueses desembolsaram cerca de 10 milhões de euros em reservas de voos e viagens (transporte) no ano passado, um aumento de 70% em relação a 2017.

O número de transações realizadas em restaurantes, no Dia dos Namorados em Portugal, aumentou 105% nos últimos 3 anos; com o valor dos gastos a subir 68%, para cerca de 4,3 milhões de euros em 2019. A cozinha continua a ser uma forma segura para “chegar ao coração” e os gastos  em restaurantes continuam a aumentar também a nível global. Desde 2017 houve uma subida de 32% no valor das  transações nos restaurantes, com os gastos globais a aumentarem 16%, para cerca de 3,1 mil milhões de euros em 2019.

No caso dos portugueses, os dados dos últimos três anos demonstraram que presentes tradicionais como joias ou flores continuam a marcar pontos entre as suas “caras-metade”  neste dia especial, e, quer os gastos em joalharia quer em flores, aumentaram exponencialmente face ao ano anterior, nomeadamente 89% para as jóias e 160% para as flores.

A tendência portuguesa não encontra eco a nível internacional. Uma análise global mostra que enquanto as experiências, incluindo viagens e refeições, continuam a crescer a um ritmo acelerado, os gastos com  presentes  tradicionais  continuam a abrandar. A oferta de flores continua a florescer, mas apenas 3%  desde 2017, e os presentes de joalharia cresceram apenas  6%  no mesmo período.

Todavia, no caso das reservas de hotéis, a nível global, também se regista um crescimento a dois dígitos, mas atinge apenas os 22% e os voos para escapadinhas românticas 13%, uma média significativamente inferior à percentagem portuguesa. Globalmente, as reservas de voos e viagens representaram cerca de 2 mil milhões de euros.
“A tendência de privilegiar as experiências em relação aos presentes tradicionais  continua a crescer, mas fica claro que as gerações atuais colocam grande enfâse no Dia dos Namorados enquanto oportunidade para viver uma experiência partilhada”, disse Paulo Raposo, Country Manager da Mastercard em Portugal.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *