Operadores turísticos portugueses cancelam primeiras saídas para a China devido ao coronavírus

Por a 27 de Janeiro de 2020 as 17:25

A Nortravel e a Lusanova, dois dos operadores portugueses com programação para a China, cancelaram as primeiras partidas  devido ao 2019-nCoV, o novo coronavírus que já terá causado mais de 80 vítimas mortais no país.
“Neste momento, devido à baixa procura por parte dos clientes para a primeira data de 4 de abril, decidimos cancelar essa saída, mantendo neste momento as restantes quatro datas. Seguramente que esta fraca procura também se deve ao “Coronavirus””, disse ao Publituris Nuno Aleixo, administrador da Nortravel.
Apesar da primeira partida ter sido cancelada, a Nortravel, que comercializa a China no circuito “China Milenar”, conta manter as restantes quatro partidas para o destino em junho, agosto, setembro e outubro, mas garante que vai continuar a “acompanhar a evolução do surto do vírus”, no sentido de avaliar se mantém as “próximas datas de saída deste circuito”, acrescenta o responsável.
Já a Lusanova, que conta com vários circuitos para a China, revelou que as  “reservas feitas para o mês de Fevereiro foram todas canceladas, pois o ministério do Turismo Chinês cancelou todos os serviços”.
Tal como no caso da Nortravel, também a Lusanova conta “manter a programação existente” para o destino, confirmou ao Publituris o gabinete de comunicação do operador turístico.
Recorde-se que , nos últimos dias, as autoridades chinesas colocaram várias cidades em quarentena e decretaram o encerramento de monumentos e outras atrações turísticas, numa tentativa de conter o surto deste vírus, cujos primeiros casos começaram a aparecer em dezembro, na  cidade  de Wuhan, capital e maior cidade da província de Hubei, no centro da China.
O próprio Portal das Comunidades Portuguesas recomendou, na passada quinta-feira, “aos viajantes que reconsiderem a realização de deslocações não essenciais à China”. Em geral, os viajantes devem permanecer atentos ao constante evoluir da situação, bem como às informações divulgadas nos portais da Direção-Geral da Saúde, do Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC) e da Organização Mundial da Saúde.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *