China encerra partes da Grande Muralha e outros monumentos devido ao coronavírus

Por a 24 de Janeiro de 2020 as 12:37

A China anunciou esta sexta-feira, 24 de janeiro, o encerramento de partes da Grande Muralha e de monumentos emblemáticos de Pequim, como a Cidade Proibida, numa tentativa de controlar a propagação do 2019-nCoV, o novo coronavírus que já causou 25 vítimas mortais no país.

De acordo com a Lusa, que cita as autoridades chinesas, o troço da Grande Muralha da China em Juyingguan, a cerca de 60 quilómetros ao norte de Pequim, vai ser encerrado, e no de Simatai, a 110 quilómetros a nordeste da capital, foram já canceladas todas as festividades, enquanto os turistas que visitem a vila de Gubai vão ter de realizar testes de temperatura.

Além da Grande Muralha, também a Cidade Proibida de Pequim, classificada como Património Mundial desde 1987, foi encerrada esta quinta-feira, 23 de janeiro, e assim deverá continuar até ordens em contrário, e os túmulos imperiais da dinastia Ming e a floresta de pagodes serão fechados a partir de sábado, 25 de janeiro.

Já o Estádio Nacional de Pequim, conhecido como “ninho de pássaro” e que foi construído para os Jogos Olímpicos de Pequim de 2008, foi encerrado esta sexta-feira, 24 de janeiro, e deverá permanecerá fechado até 30 de janeiro.

Em Xangai, também a Disneyland anunciou o encerramento, enquanto o Cirque Du Soleil suspendeu um espetáculo na China, a pedido das autoridades.

As autoridades chinesas consideram que o país está no ponto “mais crítico” no que toca à prevenção e controlo do vírus e colocaram em quarentena, impedindo entradas e saídas, três cidades onde vivem mais de 18 milhões de pessoas — Wuhan, a as vizinhas Huanggang e Ezhou.

A Lusa lembra ainda que, num esforço sem precedentes para tentar travar a propagação, as autoridades chinesas cancelaram também as comemorações do Ano Novo chinês em várias localidades, incluindo a capital, Pequim.

Os primeiros casos do vírus “2019 – nCoV” apareceram em meados de dezembro na cidade chinesa de Wuhan, capital e maior cidade da província de Hubei, no centro da China, quando começaram a chegar aos hospitais pessoas com uma pneumonia viral.

Os sintomas destes coronavírus são mais intensos do que uma gripe e incluem febre, dor, mal-estar geral e dificuldades respiratórias, incluindo falta de ar.

 

Um comentário

  1. stefania Silva Dourado

    8 de Abril de 2020 at 2:46

    assistir,por catuas veses,a Muralha o filme.E sempre me pergunto, que segredo tera por trás dessa constrição? me sinto ,na condicao de ser interrogada por varias questoes que ocorrem durante o filme, pois o mesmo é um pouco que complexo,mas muito interessante.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *