Cabo Verde Airlines transportou mais de 10 mil passageiros por semana em dezembro

Por a 8 de Janeiro de 2020 as 13:10

O ministro do Turismo e Transportes de Cabo Verde, José Gonçalves, revelou esta quarta-feira, 8 de janeiro, que a Cabo Verde Airlines transportou 10.100 passageiros e realizou 48 voos por semana para 12 destinos internacionais em dezembro, números que foram usados pelo governante para defender a privatização da companhia aérea e a aposta no hub do Sal.
“É evidente que o ‘hub’ aéreo está em franca expansão”, defendeu José Gonçalves, que discursava na primeira sessão plenária da Assembleia Nacional de Cabo Verde em 2020, citado pela Lusa.
Em março de 2019, o governo de Cabo Verde avançou para a privatização da companhia aérea TACV e vendeu 51% do seu capital à Lofleidir Cabo Verde, empresa detida em 70% pela Loftleidir Icelandic EHF e em 30% por empresários islandeses com experiência no setor da aviação.
Na altura, o executivo cabo-verdiano justificou a privatização com os problemas financeiros da companhia aérea e garantia que a alternativa seria a sua liquidação, com um custo superior a 181 milhões de euro.
Desde a privatização, a companhia tem vindo a apresentar números positivos e, lembra a Lusa, em dezembro a administração da Cabo Verde Airlines anunciou um aumento para quase 200.000 passageiros transportados nos primeiros oito meses depois da privatização, números que traduzem um crescimento de 85,4% no total de passageiros transportados, face a igual período de 2018.
De acordo com a Lusa, entre março e outubro de 2018, a companhia aérea cabo-verdiana tinha transportado 107.027 passageiros e, em igual período de 2019, registou um aumento para 198.457 passageiros.
Além dos resultados operacionais positivos, a Cabo Verde Airlines espera também um bom desempenho financeiro nos próximos anos, prevendo quintuplicar a sua faturação até 2023, para 422 milhões de euros.
“Para além de ganhos comerciais, esta solução trouxe também enormes ganhos financeiros para o país”, sublinhou ainda José Gonçalves, lembrando que o Estado cabo-verdiano subsidiava a transportadora em mais de 27 milhões de euros.
De acordo com os mesmos dados, a administração da companhia prevê faturar mais de 81,9 milhões de euros em 2019, valor que deverá subir para 213,2 milhões de euros em 2020 e para mais de 422 milhões de euros em 2023.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *