Outubro: atividade turística continua a passo lento com quebra de alemães e franceses

Por a 13 de Dezembro de 2019 as 16:49

O número de turistas que visitou Portugal em outubro cresceu para 2,5 milhões (+5,4%), o que se traduziu em 6,4 milhões de dormidas (+2,1%). Contudo, os sinais de desaceleração da atividade turística já sentidos em setembro deste ano, mantiveram-se no mês seguinte, revelou o Instituto Nacional de Estatística (INE), esta sexta-feira, 13.

No décimo mês de 2019, houve menos turistas estrangeiros a estender o número de noites no país o que beliscou a estada média, que se fixou em 2,55 noites (-1,0% nos residentes e -4,7% nos não residentes). Os alemães, os franceses e os espanhóis foram os mercados que mais decresceram em solo nacional.

“As dormidas de hóspedes alemães (13,5% do total) diminuíram 8,9% em outubro. Desde o início do ano, este mercado reduziu-se 6,9%. O mercado francês (8,6% do total) diminuiu 2,6% em outubro e 1,6% desde o início do ano. As dormidas de hóspedes espanhóis (7,3% do total) registaram um decréscimo de 5,9% em outubro. No conjunto dos dez primeiros meses do ano, este mercado aumentou 6,6%”, refere a nota informativa do INE.

Do lado oposto, com uma boa performance, está o mercado norte-americano (+20,5% em outubro)  que tem vindo a crescer ao longo do ano e exceção não foi feita no mês em análise. Em destaque estão também os turistas ingleses (+2,7%), os chineses (+17,7%) e os brasileiros (+15,6%).

No total, as dormidas dos mercados externos (peso de 75,5% em outubro) cresceram 2,7% (+2,9% em setembro) e atingiram 4,8 milhões.

Já no que diz respeito ao mercado interno, somaram-se 1,6 milhões de dormidas um aumento ligeiro de 0,1% bastante abaixo do crescimento de +4,6% registados em setembro.

Contas feitas, e também os proveitos totais desaceleraram, para 5,4% (+6,8% em setembro), atingindo 387,9 milhões de euros. Já os proveitos de posento (289,1 milhões de euros) cresceram 6,7% (+6,9% no mês anterior).

“O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) situou-se em 50,3 euros, o que se traduziu num aumento de 2,2% (+1,7% no mês anterior) e o rendimento médio por quarto ocupado (ADR) atingiu 84,8 euros (+3,1%, +2,8% no mês anterior)”, acrescenta o boletim.

Também a  taxa líquida de ocupação-cama nos estabelecimentos de alojamento turístico (48,7%) recuou 1,2 p.p. em outubro (-1,3 p.p. em setembro). As taxas de ocupação mais elevadas registaram-se na AM Lisboa (61,8%) e RA Madeira (56,6%).

No que diz respeito às regiões em destaque “em outubro, registaram-se aumentos das dormidas em todas as regiões com exceção do Algarve (-0,6%) e RA Madeira (-5,9%). O Norte e a RA Açores destacaram-se, com crescimentos de 7,6%. O Algarve concentrou 30,5% das dormidas, seguindo-se a AM Lisboa (27,1%) e o Norte (15,6%). Desde o início do ano, são de realçar os acréscimos no Norte (+9,4%), Alentejo (+7,4%) e RA Açores (+6,6%)”, adianta o INE.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *