União Europeia coloca 115 companhias aéreas na lista negra

Por a 10 de Dezembro de 2019 as 11:39

A Comissão Europeia atualizou esta segunda-feira, 9 de dezembro, a lista de companhias aéreas que não cumprem os parâmetros de segurança e estão proibidas ou têm restrições para voar no território da União Europeia, que passou a contar com um total de 115 companhias aéreas.

Entre as 115 companhias aéreas incluídas naquela que também é conhecida como a “lista negra” da aviação, encontram-se 109 transportadoras certificadas em 15 países, mas sobre as quais existe um deficiente controlo das respetivas autoridades nacionais, a exemplo da Avior Alirlines, da Venezuela.

Na lista encontram-se também sete companhias aéreas de Angola – sendo que apenas a TAAG e a Heli Malongo não estão incluídas nesta lista -, bem como todas as transportadoras de São Tomé e Príncipe e todas as que se encontram registadas na Guiné Equatorial.

Além destas, a lista europeia inclui também as companhias certificadas no Afeganistão, República do Congo, República Democrática do Congo, Eritreia, Quirguistão, Libéria, Líbia, Moldávia (com a exceção de três companhias), Nepal, Serra Leoa e Sudão.

A lista contempla ainda seis companhias independentes que apresentam problemas de segurança, nomeadamente Avior Airlines (Venezuela), Iran Aseman Airlines (Irão), Iraqi Airways (Iraque), Blue Wing Airlines (Suriname), Med-View Airlines (Nigéria) and Air Zimbabwe (Zimbabué).

Apesar dos problemas de segurança, existem ainda três companhias que podem voar na Europa, mas com restrições operacionais e que apenas podem usar determinados modelos de aviões, como é o caso da Air Koryo (Coreia do Norte), Air Service Comores (União das Comores) e Iran Air (Irão).

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *