Camboja decreta fim dos passeios turísticos de elefante em Angkor

Por a 22 de Novembro de 2019 as 12:32

A partir do início de 2020, os passeios turísticos de elefante em Angkor, no Camboja, passam a estar proibidos, decretou a APSARA, a agência governamental do Camboja que supervisiona o Parque Arqueológico de Angkor.

De acordo com o Público, que cita o jornal do Camboja Khmer Times, a decisão foi tomada depois de um elefante ter morrido por insuficiência cardíaca em 2016, após ter transportado turistas sob calor intenso, o que levou ao lançamento de uma petição, através do site change.org, que reuniu mais de 185 mil assinaturas e que pedia o fim da prática, considerada como uma “atração turística cruel”.

A APSARA decidiu agora acabar com os passeios turísticos de elefante nos templos de Angkor, o que acontecia desde 2001, e decretou que, até ao fim do ano, os elefantes sejam “transferidos gradualmente para um novo lar, numa área de selva adequada”, revela o jornal Khmer Times.

Cinco dos animais que realizavam os passeios em Angkor já terão mesmo sido deslocados para outro local, a cerca de 40 quilómetros dos templos e que se localiza numa floresta comunitária.

A administração do parque de Angkor veio, entretanto, reconhecer que “alguns dos 14 elefantes residentes no local estão idosos e com problemas de saúde” e que os animais devem viver no seu habitat natural, considerando que a sua utilização “para os negócios já não é adequada”.

O Público diz ainda, citando a CNN, que a decisão coincide com uma redução do número de visitantes no parque, informação que já foi confirmada pela Angkor Enterprise, empresa gestora da venda de bilhetes para o parque, que revelou que nos primeiros dez meses deste ano houve menos 13,7% turistas que em igual período de 2018.

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *