Turistas brasileiros gastam sete vezes mais em Portugal que clientes locais

Por a 6 de Novembro de 2019 as 10:37
.

Os turistas brasileiros ocupam a 2.ª posição no ranking do Turismo de Compras em Portugal e gastam, em média, 311 euros nas compras realizadas em território nacional, sete vezes mais que os clientes locais, segundo dados revelados pela Global Blue, empresa de transações tax free.

“No mix de compras estão as lojas de roupa e moda, com um gasto médio de 237 euros, e relógios e jóias, com 1.300 euros. Estas compras são feitas, sobretudo, na Av. da Liberdade, no El Corte Inglês, na Baixa, no Colombo e no Freeport”, acrescenta a Global Blue, referindo que nos últimos anos, os turistas brasileiros têm vindo a reforçar a sua posição, com um crescimento sustentado, mas ainda com grandes oportunidades de expansão e de negócio.

A importância do mercado brasileiro para o Turismo de Compras em Portugal esteve recentemente em destaque nas Tax Free Talks, iniciativa que a Global Blue promoveu em Lisboa, na Casa da América Latina, para analisar a importância estratégica dos turistas brasileiros e debater o desenvolvimento do turismo de compras em Portugal.

A iniciativa contou com a moderação da jornalista da Folha de S. Paulo, Giuliana Miranda e com a participação de Renato Leite, da Global Blue; Bernardo Cardoso, coordenador do mercado brasileiro no Turismo de Portugal; Susana Santos, do El Corte Inglés; e Pedro Miguel Silva, Associate Partner da Deloitte.

Entre os vários pontos em análise, a iniciativa apurou que o segmento de luxo, que representa uma pequena parte das compras tax free em Portugal, registou o mais importante crescimento em 2018, com um aumento de 12.4%, sendo um segmento muito procurado pelos turistas brasileiros, que gastaram, em média, 15.200 nas compras que fazem na Europa, mas no qual Portugal está a captar apenas 40% da capacidade de compra desta elite brasileira

A Global Blue identifica três pontos que precisam de ser trabalhados para atrair a elite brasileira, sugerindo que Lisboa se posicione “como um “destino de compras” e não apenas uma porta de entrada para a Europa”, que se aumente “a oferta de lojas de luxo” e se promova o artesanato de luxo, sendo ainda necessário “adaptar a oferta ao gosto dos international shoppers da elite brasileira e tornar o país num destino de compras essencial na Europa”.

“Por outro lado, é preciso incrementar o esforço de divulgação do Tax Free, uma vez que nem todos os brasileiros que visitam Portugal sabem da existência e das vantagens do reembolso do IVA nas compras”, acrescenta a Global Blue.

Para Renato Leite, Managing Director da Global Blue, iniciativas como as Tax Free Talks são “muito relevantes, porque ajudam a cadeia de valor a pensar estrategicamente o turismo de Compras e são uma oportunidade para sensibilizar as entidades oficiais para a importância deste segmento do turismo nacional”.

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *