Air France vai compensar 100% das emissões de CO2 nos voos domésticos

Por a 2 de Outubro de 2019 as 14:27

A partir de 1 de janeiro de 2020, a Air France vai passar a compensar as emissões de CO2 nos seus voos domésticos, tornando-se numa das primeiras companhias aéreas a compensar as emissões poluentes sob “a forma de participação em projetos certificados por organizações reconhecidas”, explica a companhia aérea em comunicado.

“Precisamos acelerar a transição para um transporte aéreo mais sustentável e assumimos voluntariamente novos compromissos para hoje e no horizonte 2030. Decidi introduzir uma compensação de 100% nas emissões de CO2 dos nossos voos domésticos a partir de janeiro de 2020, a fim de propor a todos os nossos clientes uma viagem neutra em carbono em França”, considera Anne Rigail, diretora-geral da Air France.

Além da compensação de CO2 nos voos domésticos, a Air France vai também passar a dar a oportunidade aos seus clientes empresariais de compensarem “voluntariamente até 100% dos seus voos de curto, médio e longo-curso, graças a uma oferta dedicada”.

Paralelamente, a Air France estabeleceu também uma nova meta para 2030, prevendo “reduzir em 50% as suas emissões de CO2 por passageiro/km face a 2005, o equivalente a um consumo de combustível por passageiro e 100 km inferior a três litros”, revela ainda a companhia aérea.

A partir de 1 de outubro, a companhia começou também a fazer uma triagem de materiais para reciclagem a bordo dos seus voos para Paris, passando a separar as garrafas de plástico, as embalagens Tetra Pack de cartão, as latas de alumínio e as garrafas de vidro de vinho e champanhe.

“Todos esses materiais, triados pela equipa a bordo, são, de seguida, entregues à Servair em Paris-Charles de Gaulle e Paris-Orly e reciclados em França ou na Europa”, acrescenta a Air France.

Recorde-se que a Air France decidiu eliminar, a partir do final de 2019, o uso dos plásticos descartáveis (copos, talheres, misturadores, etc.) a bordo dos seus aparelhos, numa diminuição de 1.300 toneladas de plástico/ano.

 

 

 

 

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *