CTP defende “gestão cada vez mais criteriosa do território”

Por a 30 de Setembro de 2019 as 10:55

O vice-presidente da Confederação do Turismo de Portugal (CTP), Carlos Moura, defendeu sexta-feira, 27 de setembro, que é “preciso abandonar de uma vez por todas” a ideia de que existem turistas a mais no país e defendeu uma “gestão cada vez mais criteriosa do território”, como forma de atenuar desequilíbrios que possam existir.

“A verdadeira ameaça não está no aumento dos turistas, mas sim na incapacidade de antecipar, planear e intervir”, considerou Carlos Moura, que substituiu Francisco Calheiros, presidente da CTP, durante a sessão de abertura da conferência “Turismo Sustentável: Um legado para o futuro”, que decorreu nos Açores, no âmbito do Dia Mundial do Turismo.

De acordo com o responsável, Portugal não está em “condições de dispensar 17 mil milhões de euros em receitas anuais” que provêm do turismo, nem de “prescindir de mais de 500 mil empregos, que representam cerca de 10% na economia nacional” e que são gerados pelo setor.

Por isso, e porque a eleições legislativas, que vão dar início a um novo ciclo político, decorrem dentro de poucos dias, a CTP entregou às “principais forças políticas” um conjunto de “propostas que visam impulsionar a atividade turística” no país e que passam, desde logo, por “assegurar uma correta articulação entre os fluxos turísticos e a sua distribuição pelo território português”.

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *