Aigle Azur suspende parte dos voos, Portugal incluído

Por a 5 de Setembro de 2019 as 17:33

A companhia aérea francesa Aigle Azur, que entrou esta semana em processo de insolvência, decidiu cancelar parte da sua operação aérea e suspendeu os voos para Portugal, Brasil e Mali, segundo um comunicado publicado na página de Facebook da transportadora.

A notícia chegou esta quarta-feira, 4 de setembro, pouco depois da Aigle Azur ter garantido que, apesar do processo de insolvência, iria manter todos os voos em operação, incluindo as ligações para Portugal. Esta quarta-feira, a companhia confirmou que os voos do Porto foram cancelados, não existindo referência às ligações para a Madeira, para onde a Aigle Azur também opera.

“Desde segunda-feira, 2 de setembro de 2019, a Aigle Azur foi colocada em recuperação judicial. Por isso, informamos os nossos passageiros que o conjunto dos voos provenientes ou com destino a São Paulo, Bamako e Porto estão suspensos. Em nome de todas as equipas da Aigle Azur, manifestamos as nossas sinceras desculpas aos nossos passageiros”, lê-se na página de Facebook da companhia aérea.

Recorde-se que os problemas financeiros da companhia aérea já se arrastavam há algum tempo, tendo mesmo levado à devolução de alguns aviões da Aigle Azur, mas agravaram-se recentemente, após um conflito entre acionistas, que envolveu David Neelman, o empresário que é também acionista da TAP e que detém 32% da Aigle Azur.

O conflito, conta a imprensa internacional, terá surgido depois de Gerard Houa, acionista minoritário da Aigle Azur, ter retirado a presidência executiva da companhia a Frantz Yvetin, decisão que foi encarada pelos restantes acionistas da companhia aérea, com David Neelman incluído, como um ‘golpe’ e que motivou intervenção judicial.

A escalada do conflito entre acionistas resultou na “desconfiança e deterioração do clima social” em torno da Aigle Azur, motivando o pedido de insolvência, admitiu a companhia num comunicado interno, divulgado pela imprensa francesa.

 

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *