Opinião| O peso do consumo da água na indústria da aviação

Por a 1 de Agosto de 2019 as 10:10

Não há dúvida nenhuma de que a aviação tem um enorme impacto não só para a economia e população, como para a natureza. Nesse sentido, de que forma pode esta indústria reduzir o seu impacto no planeta através da redução do consumo de água? Em 2017, o fabricante da Airbus declarou que o consumo total de água foi superior a 4.000.000m3 e apresentou várias medidas para reduzir o impacto deste consumo. Em vez de utilizar água potável para necessidades industriais e sanitárias, em Hamburgo a empresa utiliza água dos rios tratada. Em Espanha, urinóis sem água serão instalados em todos os escritórios, e os ares condicionados substituídos por versões com ‘água arrefecida’. A KLM foi uma das primeiras a mudar para o método EcoShine, em 2012, quando limparam o exterior dos aviões na esperança de consumir o mínimo de água possível. Esta técnica de semi-secador requer 80 vezes menos água que o sistema anterior e poupa até 8 milhões de litros de água por ano. A Emirates por sua vez poupou 11 milhões de litros de água por ano ao adotar esta iniciativa em abril de 2016. Alterar o foco para o mínimo consumo de água pode ser financeiramente benéfico para as companhias porque o consumo do combustível é diretamente afetado pelo peso do avião e pela sua lotação. Em 2018, a Finnair ajustou o volume da água, atingindo poupanças anuais de combustíveis de 100 toneladas. Um estudo realizado por Merve Özlem Vurmaz e Hülya Boyacioglu, definiu os aeroportos como instalações com grande consumo de água, geralmente para propósitos não potáveis tais como sistemas de arrefecimento, controlo de fogos, limpeza e lavagem de veículos, pistas e aeronaves, além de utilizações públicas. A água usada para o consumo de casa de banho e alimentação varia entre 6.5 a 10 litros por pessoa no aeroporto. Estes são fatores chocantes, sabendo que cerca de 4.3 mil milhões de passageiros foram transportados em 2018. Os aeroportos reconhecem a sua responsabilidade e estão a poupar água de diversas formas: usando água para irrigação, limpeza de ruas, controlo do pó de obras, lavagem de veículos; usam também sistemas avançados de purificação; instalaram sistemas de poupança de baixo fluxo nas casas de banho; entre outras medidas. É impossível eliminar por completo o impacto da aviação na natureza, mas continuar a reduzir é o caminho a seguir.

* Por Lukas Rasciauskas, CEO da Skycop.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *