Costa Toscana começa a navegar em 2021

Por a 31 de Julho de 2019 as 11:47

A Costa Cruzeiros apresentou esta terça-feira, 30 de julho, o Costa Toscana, navio que está a ser construídos no estaleiro finlandês Meyer, em Turku, e que vai ser entregue à companhia de cruzeiros em 2021, segundo comunicado enviado à imprensa.

De acordo com a informação divulgada, o Costa Toscana é o navio irmão do Costa Smeralda, que será o primeiro navio da companhia movido a GNL – Gás Natural Liquefeito, cuja entrega à Costa Cruzeiros está prevista para o próximo mês de outubro.

“A introdução do GNL é uma tecnologia inovadora que minimiza o impacto ambiental. A sua utilização resultará numa melhoria da qualidade do ar graças à eliminação das emissões de dióxido de enxofre (emissões nulas) e de partículas (redução de 95/100%), tanto no mar como no porto. Além disso, reduzirá a emissão de óxidos de nitrogénio em 85% e até 20% de dióxido de carbono”, explica a Costa Cruzeiros, no comunicado enviado à imprensa.

O gás vai estar armazenado em tanques especiais a bordo dos navios e será usado para gerar a energia necessária para os serviços de navegação, devido aos motores híbridos de combustível duplo que os navios possuem.

“O Costa Smeralda e Costa Toscana são parte integrante do plano estratégico de redução da pegada de carbono, definido pela Carnival Corporation e totalmente implementado pela Costa Cruzeiros. Com efeito, as medidas adotadas no âmbito de um plano de investimento específico permitiram que a Carnival Corporation reduzisse a pegada de carbono das suas operações em 27,6% já em 2018, cumprindo, três anos antes do previsto, o seu objetivo de redução de 25%”, acrescenta a companhia italiana, que pertencente à Carnival Corportation & plc, a maior operadora de cruzeiros do mundo.

Tal como o Costa Smeralda, também o Costa Toscana vai contar com um volume de 180 mil toneladas brutas e mais de 2600 quartos, sendo ambos navios que fazem parte do plano de expansão da frota do Grupo Costa (que inclui as marcas Costa Cruzeiros e AIDA Cruzeiros).

“O plano contempla a introdução de sete novos navios que deverão entrar em serviço em 2023 e um investimento superior a 6 mil milhões de euros. O primeiro navio entregue foi o AIDAnova, em dezembro do ano passado, seguido do Costa Venezia no final de fevereiro de 2019”, revela ainda a companhia.

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *