TAP admite voar para Pequim e Hong Kong em três ou quatro anos

Por a 26 de Julho de 2019 as 10:44

A TAP tem planos para abrir voos diretos para a China dentro de três ou quatro anos, com preferência por Pequim, capital chinesa, mas também por Hong Kong, disse Miguel Frasquilho, chairman da companhia aérea de bandeira nacional ao website Plataforma.

De acordo com a informação avançada, Pequim é, segundo Miguel Frasquilho, a prioridade da TAP “por todas as razões políticas e económicas”, ainda que também Hong Kong entre nos planos futuros da companhia aérea.

Para Miguel Frasquilho, “Portugal só será um hub global quando a Ásia entrar na equação”, isto apesar da companhia aérea nacional contar com um acordo de code-share com a Beijing Capital Airlines, que retoma os voos entre Lisboa e Pequim a 30 de agosto, desta vez com escala em Xi’an.

“O próximo passo será a TAP operar voos diretos em nome próprio”, acrescentou Miguel Frasquilho, considerando que “Pequim será previsivelmente a porta de entrada para um voo direto” e que, depois da capital chinesa, a atenção da companhia deverá virar-se para Hong Kong, “que diz muito a Macau”, o antigo território português, para onde a TAP chegou a ter voos diretos no final dos anos 90, mas que não deverá entrar novamente nos planos da companhia.

“Hong Kong está a uma hora de barco de Macau e temos a ponte ainda a menos tempo, portanto, considera-se o voo para Hong Kong como sendo praticamente para Macau”, explicou o chairman da TAP, revelando que o início dos voos diretos para a Ásia não deverá acontecer antes de 2021.

 

 

Um comentário

  1. Alberto Pereira Martins

    30 de Julho de 2019 at 16:25

    Bem pensado!
    É hora de começar quanto antes.
    Felicidades e sucesso.
    Um abraço de Chongqing (China)

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *