Tourism International Academy vai custar 24M€

Por a 17 de Julho de 2019 as 10:59

A Tourism International Academy (TIA), o ambicioso projeto de formação em Turismo, que vai criar um Centro de Formação da OMT no Estoril, vai motivar um investimento de 24 milhões de euros, 40% dos quais financiados por privados, segundo comunicado do Turismo de Portugal.

Além do Centro de Formação da OMT, cujo protocolo foi assinado esta terça-feira, 16 de julho, pelo secretário-geral da organização, Zurab Pololikashvili, a TIA vai também incluir a Escola do Turismo de Portugal e a Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril, cujos campus vão ser requalificados, assim como um espaço para incubação de empresas do setor, o Instituto de Formação Turística de Macau (IFT), um hotel de aplicação e uma residência com capacidade para receber 150 estudantes.

O protocolo para a criação do Centro de Formação da OMT foi assinado esta terça-feira, 16 de julho, numa cerimónia que contou com a presença do secretário-geral da organização, Zurab Pololikashvili, e que assinalou também o lançamento do concurso público para a criação do hotel de aplicação da residência para estudantes.

“O projeto representa um investimento de 24 M€ – dos quais 40% são assumidos por privados – para um total de 21.000 metros quadrados dedicados à formação de Turismo em Portugal, que cobre todas as áreas da formação, desde o ensino técnico profissional até programas de executivos”, sublinha o Turismo de Portugal, no comunicado enviado esta quarta-feira, 17 de julho, à imprensa.

A TIA vai levar à renovação do “edifício escolar atual com equipamentos e instalações que respondam às novas necessidades de formação”, num espaço de sete mil metros quadrados, onde vai ficar instalada a Escola do Turismo de Portugal-Estoril e outras escolas internacionais, como a IFT Macau, estando ainda prevista a recuperação de um edifício de 1.500 metros quadrados, atualmente devoluto, para espaços de coworking.

Já o hotel de aplicação vai contar com 150 quartos, ocupando uma área total de cinco mil metros quadrados, enquanto a residência para estudantes vai contar com 80 quartos, resultando da reabilitação de um edifício devoluto, com uma área de 2.500 metros quadrados.

“Estes dois edifícios serão alvo de concurso público de concessão para os privados. Será ainda construído um edifício com 2.500 m2, para instalar o Centro de Excelência em Turismo, gerido pela ESHTE, e um outro edifício com 2.500 m2 para instalações independentes da ESHTE”, acrescenta o Turismo de Portugal.

O projeto prevê o envolvimento de várias entidades públicas e privadas, a exemplo Universidade NOVA de Lisboa; CITUR; Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril e Turismo de Portugal, para além de grupos privados como o Grupo Pestana, PortoBay, Vila Galé, Hoti, Martinhal e Vip, num consórcio que, segundo o Turismo de Portugal, “pretende, não apenas dar resposta às necessidades do setor, como incluir a componente de Turismo em áreas das Ciências e Humanidades”.

Até 2023, a TIA vai integrar também a Escola Internacional de Turismo no âmbito da Academia da Organização Mundial de Turismo (OMT), projeto que prevê a duplicação do número de alunos, para cerca de cinco mil.

“Este projeto é fundamental para qualificar recursos humanos no Turismo e afirmar Portugal como país de referência, também na formação turística. Teremos como parceiros-chave a OMT e o Instituto de Formação Turística de Macau, criando pontes para a capacitação de pessoas de todo o mundo. Por outro lado, o projeto é aberto às empresas de Turismo que queiram participar para aproximar a resposta da formação às necessidades da procura”, considera a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, citada na mesma informação.

 

Um comentário

  1. Patrick

    17 de Julho de 2019 at 16:58

    Parabéns

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *