Especialistas dizem que limite de visitas nas Berlengas é “apenas progresso moderado”

Por a 14 de Junho de 2019 as 17:14

Os biólogos da Universidade de Aveiro Henrique Queiroga e João Serôdio, autores do estudo que levou o Ministério do Ambiente a impor um limite de 550 visitas diárias à Reserva Natural das Berlengas, defendem que o limite estabelecido é elevado e representa “apenas um progresso moderado” para atenuar os danos causados pelo número descontrolado de visitantes que aportaram na ilha nos últimos anos, segundo comunicado enviado à imprensa.

No estudo, Henrique Queiroga e João Serôdio recomendam o número máximo de 500 visitantes diários, condicionado à requalificação do sistema de tratamento de águas residuais para uma capacidade de 500 equivalentes populacionais.

“Considerando a rotatividade média dos diferentes perfis de visitantes, o valor de 550 visitantes em simultâneo pode provavelmente corresponder a mais de 700 pessoas a visitar a Ilha da Berlenga diariamente, número a que se deve adicionar o pessoal de apoio ao turismo, residentes temporários e representantes das autoridades”, explica Henrique Queiroga, citado no comunicado da Universidade de Aveiro.

Na opinião do especialista, “isto pode facilmente elevar o número máximo de pessoas na ilha a mais de 900 quando as medidas de controlo da visitação estejam devidamente implementadas”, número que está “claramente acima da capacidade do atual sistema de tratamento de águas residuais, que nunca foi requalificado para o valor de 500 equivalentes-populacionais”, defende o responsável.

Os autores do estudo apontam uma série de danos causados pelo excesso de visitas às Berlengas, nomeadamente ao nível da fauna e flora, mas também das próprias condições de acolhimento nas Berlengas.

Apesar dos danos e do limite estar acima do recomendado, Henrique Queiroga considera que “este valor representa um progresso moderado relativamente à visitação descontrolada verificada nas últimas duas décadas”.

Os programas de monitorização da visitação do ICNF atualmente em curso registaram 19 dias com mais de 1000 visitantes por dia durante a estação alta de 2018, e um total de 82 mil visitantes durante todo o ano.

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *