STP Airways: EAA nega fim de contrato em outubro mas está disponível para negociar saída

Por a 12 de Junho de 2019 as 16:15
euroAtlantic Airways

A euroAtlantic airways (EAA) veio esta quarta-feira, 12 de junho, negar que o contrato para a realização dos voos da STP Airways termine em outubro, como avançado nos últimos dias pela comunicação social, e diz que o único acordo com fim nesse mês é relativo ao aluguer de uma aeronave, apesar de se mostrar disponível para “sair de acionista e gestora desde que salvaguardados os seus interesses”.

Num comunicado enviado à imprensa e assinado por Tomaz Metello, presidente do Conselho de Administração da EAA, a companhia sublinha que é “o maior acionista da STP Airways e gestora designada nos Estatutos da sociedade” e refere que, em 2018, viu estendida a concessão do handling por um período de dois anos, “conforme carta recebida do Governo de São Tomé à data”.

Por esse motivo, diz a EAA, “ao contrário do transmitido na notícia, houve incumprimento, mas por parte do Estado de São Tomé ao insistir em retirar o handling à STP Airways antes do prazo previsto, i.e. 2020”.

A companhia aérea refere ainda que “enquanto acionista e gestora, há vários anos que recomenda a não separação das atividades aérea e handling”, mostrando-se, no entanto, disponível para, “se os demais acionistas assim o entenderem”, “sair de acionista e gestora desde que salvaguardados os seus interesses, com as devidas compensações”, além do pagamento de uma dívida “que o Estado de São Tomé e Príncipe tem para com a euroAtlantic Airways há mais de 12 anos, no montante de EUR 625.334,73”.

No mesmo comunicado, a EAA refere ainda que as notícias divulgadas ao longo da última semana têm tido um “impacto comercial negativo na STP Airways”, “tendo sido já recebidos inúmeros contactos por parte de agências de viagem, operadores turísticos e passageiros que, face à notícia enganadora de que a operação terminaria em outubro, pretendem o reembolso dos bilhetes já adquiridos”.

“Convém aqui cabalmente esclarecer que não existe qualquer acordo entre o Estado são-tomense e a euroAtlantic airways: o que existe é um contrato de aluguer de aeronave (esse sim a terminar em outubro 2019) entre STP Airways e euroAtlantic airways, contrato esse que foi assinado pela gestão da STP Airways. A gestão da STP Airways poderia ter alugado outra aeronave se houvesse melhores ofertas no mercado”, acrescenta a EAA.

A EAA refere ainda que a STP Airways “continuará a voar independentemente de alguma alteração acionista que possa ocorrer”, já que é uma “marca bem aceite no mercado e que cumpre e continuará a cumprir os seus compromissos”.

A concluir, a companhia aérea nacional destaca ainda que sempre manteve um “bom entendimento com todos os Governos que passaram por São Tomé nos últimos 11 anos” e diz que somente agora, com o atual Governo, “a STP Airways se defronta com este problema”, que, alerta a EAA, “poderá ter repercussões muitos negativas para a economia do país”.

 

 

 

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *