Constituição de novas empresas ligadas ao turismo confirma tendência de descida

Por a 12 de Junho de 2019 as 16:59

De janeiro a maio, Portugal viu nascer 23.868 empresas, o que representa um crescimento de 12,4% face a igual período do ano passado, tendência que não foi, no entanto, acompanhada pelos setores das Atividades imobiliárias e do Alojamento e restauração, que registaram quebras de 5,3% e 1,0% em comparação com período homólogo de 2018, respetivamente, de acordo com o Barómetro da Informa D&B, divulgado esta terça-feira, 11 de junho.

“Há setores relacionados com o turismo que confirmam uma tendência de descida, depois de terem revelado grande dinamismo nos anos recentes. São o caso das Atividades imobiliárias e do Alojamento e restauração, setores onde estão a ser criadas menos novas empresas do que em 2018, com quebras de 5,3% e 1,0%, respetivamente, sendo aliás os únicos a registar uma descida face ao ano passado”, lê-se no estudo, segundo um comunicado enviado à imprensa.

No caso das Atividades imobiliárias, as maiores quebras registam-se nos subsetores do ‘Arrendamento’ e ‘Compra e venda’, onde as descidas chegaram aos 23,8% e 11,5% na constituição de empresas, respetivamente, enquanto no Alojamento e restauração “a maior quebra regista-se no subsetor do ‘Alojamento de curta duração’, que entre janeiro e maio perdeu 13,3% na constituição de novas empresas”.

Já os subsetores ligados à restauração registam crescimento na constituição de empresas, que subiram 0,7% no caso das ‘Bebidas’, 6,3% nos ‘Cafés e pastelarias’ e ainda 0,8% no que diz respeito à ‘Restauração’.

Tendência positiva apresentou o setor dos Transportes, que viu o número de novas empresas crescer 114,1% e que, em conjunto com a Construção, que subiu 37,3%, representou um terço do total das novas empresas criadas até 31 de maio.

“No setor dos Transportes, este enorme crescimento é fruto do subsetor ‘Transporte ocasional de passageiros em veículos ligeiros’, que reúne mais de 70% das novas empresas dos Transportes em 2019 e que representa uma subida de 240% face ao mesmo período de 2018. Desde janeiro, foram constituídas 1 214 empresas deste subsetor”, aponta o Barómetro da Informa D&B.

Até maio, também o número de encerramentos de empresas subiu, chegando a um total de 6 434 encerramentos, o que traduz um aumento de 5,4% face ao período homólogo e com a maioria dos setores a registar mais encerramentos.

“Os setores que mais contribuíram para este aumento dos encerramentos, foram os Serviços Empresariais com mais 98 encerramentos, seguindo-se as Atividades Imobiliárias (+57) e Agricultura e outros recursos naturais (+56)”, lê-se ainda na informação enviada à imprensa.

Já as novas insolvências caíram 10,5% face a período homólogo de 2018, o que mantém a tendência de descida verificada nos últimos anos, com exceção da indústria, que registou uma subida nas insolvências de 225 para 270 novas insolvências.

 

 

 

 

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *