AHP “satisfeita” com adiamento da taxa turística de Fátima

Por a 2 de Maio de 2019 as 16:11

A Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) veio esta quinta-feira, 2 de maio, declarar-se “satisfeita pela ponderação e bom senso demonstrado” pela Câmara Municipal de Ourém, que decidiu adiar para 2020 a aprovação da taxa turística de Fátima.

Numa nota enviada à imprensa, a AHP recorda que “se opõe à implementação desta taxa turística por considerar que a mesma é desajustada à realidade de Fátima”, considerando que a aplicação desta taxa “irá prejudicar fortemente os hoteleiros locais, relativamente aos demais agentes económicos daquele destino”.

“A AHP congratula-se com o bom senso manifestado pela autarquia. Medidas como esta não podem ser avulsas. Estamos a falar de um destino muito particular, muitas das pessoas que visitam Fátima não pernoitam na cidade e demonstração disso foram os resultados obtidos em 2018, onde a taxa de ocupação não foi além dos 46% neste destino turístico. Pedimos, por isso, uma maior reflexão sobre esta medida, pois o impacto poderá ser enorme”, defende Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP.

Na mesma nota enviada à imprensa, a associação diz continuar disponível para encontrar, em conjunto com a autarquia de Ourém, alternativas à aplicação da taxa turística, à semelhança do que aconteceu em janeiro, numa reunião com o executivo camarário.

“Temos fundadas expectativas que sejam encontradas outras formas de financiamento e apoio ao desenvolvimento da atividade turística no Concelho ou, pelo menos, que a realidade da operação hoteleira na freguesia de Fátima seja comparada com as demais e encontradas as melhores formas de envolver a Hotelaria no destino das receitas provenientes deste tributo, caso o mesmo venha a ser aprovado”, acrescenta Cristina Siza Vieira.

Recorde-se que a Câmara Municipal de Ourém aprovou  a 1 de Outubro a criação de uma taxa turística a aplicar às dormidas na hotelaria de Fátima, que deverá ter o valor de um euro por noite, até um máximo de três noites.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *