Depois do Douro, Rebelo de Almeida e António Parente olham oportunidades no Minho (c/fotos)

Por a 24 de Abril de 2019 as 5:55

Foi inaugurada, esta terça-feira, aquela que é a primeira unidade da parceria entre Jorge Rebelo de Almeida, presidente do Grupo Vila Galé, e António Parente, dono dos AP Hotels & Resorts e da SP Televisão: o Vila Galé Douro Vineyards. Trata-se de um agroturismo em Armamar, no coração do Douro Vinhateiro, que por agora conta com sete quartos, restaurante e bar com vista panorâmica e terraço, adega, biblioteca e piscina exterior.

Numa primeira fase, a unidade contou com um investimento de 8 milhões de euros, concretizado pela Xvinus, empresa que resulta da parceria entre a Vila Galé e a Madre, detida por António Parente.

Em junho arrancará uma segunda fase, prevendo-se a construção de mais 42 unidades de alojamento (quartos e suites), na qual a Xvinus grupo vai investir mais cinco milhões de euros. Deverá estar concluída em junho de 2020.

Instalado na Quinta do Val Moreira, o Vila Galé Douro Vineyards distingue-se pela vista para os rios Tedo e Douro, mas também pela aposta no Enoturismo e na produção de vinhos e azeite. Aqui, a Xvinus já está a produzir vinhos do Douro e vinhos do Porto, tirando partido dos cerca de 25 hectares de vinhas existentes na propriedade. Nesse âmbito foi também criada uma nova marca: Val Moreira. Diariamente, é possível fazer visitas à adega em provas de vinhos.

Jorge Rebelo de Almeida, presidente do Grupo Vila Galé, salientou, aos jornalistas, que “é um grande prazer vir para o interior do país. (…) Estamos aqui a fazer um projecto que faz falta ao país” e que “tem tudo para dar certo”. Para o responsável, a região do Douro não foi muito afortunada com alguns projetos hoteleiros que entraram em falência, mas agora está novamente a ganhar força com a entrada de marcas fortes, internacionais e nacionais, como a Vila Galé. “Não temos a imagem internacional que tem a Six Senses, mas tem uma imagem já forte e temos condições de trazer [mercado] para aqui e para Elvas e Manteigas, que são os nossos atuais projectos mais de interior”, referiu. O mesmo acrescentou que importa fazer projectos que não estraguem e respeitem a paisagem do destino, mas que se enquadrem na mesma, pretensão colocada em prática com o atual projecto do Vila Galé Douro Vineyards.

O mercado brasileiro e o norte-americano são os principais mercados em que se deve apostar para esta região, indicou o responsável, pois vêm ao longo do ano todo e não apenas na época alta. 

Vinho Verde

Contudo, esta parceria não se fica por aqui. Ambos os empresários adiantaram que estão a analisar oportunidades no Minho, concretamente na região do Vinho Verde. António Parente destacou que esta união surgiu “para consolidar uma amizade já de há muitos anos com o Jorge, porque somos os dois produtores de vinho e porque achámos que o Douro era um desafio é uma oportunidade. Decidimos fazer este investimento e estamos a pensar num outro na zona do Vinho Verde. Andamos à procura. Achamos que a parceria se pode estender a outras oportunidades”.

No que diz respeito aos investimentos do Grupo Vila Galé, está prevista a abertura a 31 de maio do Vila Galé Collection Elvas, que resulta de um concurso do Revive, e até ao final do ano, ou início do primeiro trimestre de 2020, do primeiro hotel da cadeia hoteleira na Serra da Estrela. Quanto a novos projectos, Rebelo de Almeida destacou que a cadeia hoteleira pode vir a concorrer ao projecto do Revive para o Quartel da Graça, ema Lisboa, e olhar para o Paço Real de Caxias, em Oeiras.

previous arrow
next arrow
Slider

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *